Browsed by
Mês: junho 2013

Zaqueu

Zaqueu

figueira

Luc. 19.2-9

Zaqueu era de pequena estatura, maioral dos publicanos (cobrador de rendimentos públicos), rico, poderoso. Notamos que ele possuía tantos problemas quantos os de hoje. Os problemas continuam os mesmos, só mudaram de donos. Ele resolve ir ter com Jesus, à noite. Para melhor vê-LO, subiu em uma árvore para se tornar mais fácil a visão. Jesus vendo-o e conhecendo o seu propósito ou o seu coração, olhou para ele e ordenou-lhe que descesse depressa, pois Ele (Jesus) se hospedaria em sua casa naquele dia. Zaqueu muito se alegrou e desceu a toda pressa e O recebeu em sua casa. Os invejosos murmuravam, dizendo que Jesus se hospedara com homem pecador.

A Palavra de Deus é tão atual, como o foi naquela época que aconteceu este episódio. Zaqueu representa toda criatura que se preocupa com a salvação de sua alma/espírito. Todos os seres humanos deveriam se preocupar com isto. Para Deus não há acepção de pessoas, Ele ama desde o menor até o maior, desde o sem dinheiro, como o que tem muito dinheiro. Para Deus o dinheiro não compra o que é espiritual. Tendo em vista, essa característica de Deus, o que é importante é a preocupação com a salvação. Quer seja rico ou pobre, na presença de Deus todos são iguais, porque o espírito é indiferente a todo e qualquer bem material.

Zaqueu subiu em uma árvore para ver a Jesus, tal era a sua vontade de encontrá-LO. Hoje, podemos encontrar muitos problemas, que se amontoados seriam maiores que uma grande árvore. Muitas pessoas amontoam os problemas, e muitas vezes colocam-nos de lado e buscam soluções para os mesmos. No entanto, quando não encontram soluções, deixam o monte de problemas, e procuram conhecer a Jesus, e quando O conhecem, passam a segui-LO. O espírito é livre para acompanhar o amado Mestre. Em recompensa, o Senhor distribui ricas e copiosas bênçãos todos os dias. Hoje, o Senhor Deus faz os mesmos milagres que realizava na época que Jesus andava fisicamente na terra, basta nós analisarmos os acontecimentos ao nosso derredor.

Geralmente as pessoas buscam a Jesus à noite. Sim, porque à noite é o período mais propício para uma pessoa se preocupar com o porvir. Quando uma pessoa está em sua casa, em seu quarto, em seu banheiro se preparando para dormir, geralmente, ela faz uma retrospectiva do que aconteceu durante o dia, durante a semana ou mês. Quantas vezes a pessoa relembra dos seus feitos, donde resulta a consciência. A consciência é o maior computador da história que se encontra em nossas cabeças. À noite, surgem preocupações, que realmente, levam a pessoa buscar a parte espiritual, daí os preocupados com a sua salvação entram na busca do Senhor Jesus. Jesus é o mesmo de ontem, hoje e O será amanhã (eternamente).

Quase todos os que viram Jesus falar com Zaqueu, criticaram, achando que Jesus se hospedara com homem pecador, mas estes murmuradores eram o quê?  “… pois todos pecaram e carecem da glória de Deus”. Rm. 3.23. “Não há justo, nem um sequer”. Rm. 4.10. Há uma diferença entre os zombadores ou críticos e os que procuram ter com Jesus. Quando uma pessoa reconhece que por si só, não conseguirá a salvação de sua alma/espírito, ela se torna humilde, reconhece que só Jesus tem esse dom perfeito, que é o de salvar a sua alma/espírito. Só Ele é Deus, Salvador e Senhor. E os que zombam ou criticam, são tão pecadores quantos os demais, mas não reconhecem, apenas caminham para um fim indesejado, mas procurado por eles mesmos.

A decisão de Zaqueu foi tão contundente, que ele prometeu dar metade de seus bens aos pobres, e se tivesse defraudado alguém, ele devolveria quatro vezes mais. Ele ganhou uma bênção tão grande, tão rica, tão gloriosa, que os bens materiais eram insignificantes perto do que ele ganhara do Senhor. Jesus disse: “Hoje, houve salvação, nesta casa,…” Lc. 19.9. Não porque Zaqueu resolveu dar metade de seus bens aos pobres ou devolver quatro vezes mais aos que por ventura tivesse defraudado, mas porque ele creu, ele sentiu a necessidade da salvação de sua alma/espírito, que por si só seria impossível. Nada como a paz de espírito para a pessoa viver tranquila, e confiante no porvir.

“Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o perdido”. Lc. 19.10.paisagem

Um espírito contrito e um coração quebrantado agradam ao Senhor nosso Deus. “Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito não desprezará, ó Deus”. Sl 51.17.

Trabalho

Trabalho

formigas

“As formigas são um povo impotente; todavia no verão preparam a sua comida”./ “Os coelhos são um povo débil; e, contudo fazem a sua casa nas rochas”./ Os gafanhotos não tem rei;  e, contudo todos saem, e em bandos se repartem”. Pr. 30.25,26,27.

Podemos ressaltar nos versículos acima, que por mais frágeis que sejam as formigas, elas preparam sua comida no verão, para que a tenham em abundância no inverno; os coelhos são um povo débil, fraco, mas constroem sua casa na rocha, isto é, em lugar seguro; os gafanhotos não tem rei, ou seja, quem os comanda, contudo são organizados, saem em bando e não se dispersam. Existe nos três exemplos uma ideia de sociedade, de amor, de perseverança, de trabalho, principalmente. São animaizinhos comprometidos com a sua sobrevivência e dos demais componentes do grupo. Eles são animais irracionais e vivem em paz entre si.

O ser humano que tem uma alma/espírito com uma racionalidade incrível, não chega nem perto desses animaizinhos. Deus oferece tudo de graça, inclusive a salvação em Cristo Jesus, contudo, poucos são os que O buscam. O ser humano deveria construir sua casa espiritual alicerçada na Palavra de Deus, crescer no conhecimento, buscar sabedoria, tornar-se alguém sábio. Sábio para construir conhecimento nas pessoas que o cercam, ou onde quer que haja necessidade. Sábio para construir comportamentos dignos. Sábio para fazer uma pátria melhor. Sábio para viver em paz, sem medo do porvir, sem medo do amanhã. Sábio para transmitir a Palavra de Deus a todas as pessoas que ainda não O conhecem. O caminho do Senhor é “Os seus caminhos são caminhos de delícias, e todas as suas veredas, paz” Pv. 3.17.

 PV. 3.17. Assim, o Senhor quer que andemos nos Seus caminhos. Dificilmente, encontramos alguém que queira caminhar com Deus, geralmente, as pessoas preferem caminhar sozinhas ou acreditar nas diversas formas apresentadas como espirituais, benéficas para a sua vida, mas engana-se quem pensa que há salvação fora da pessoa bendita do Senhor Jesus Cristo. Muitas pessoas querem orações, bênçãos, mas não querem o Senhor das bênçãos.

“Os que confiam no Senhor serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre”. Sl. 125.1. Assim são aqueles que buscam ao Senhor, serão tão fortes como o monte de Sião, isto é, um monte milenar, que não muda nunca as suas características. O monte Sião representa os convertidos ao Senhor e a segurança que o Senhor lhes dá.  “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo que há em mim, bendiga o seu santo nome”. Sl 103.1.

Como os animaizinhos que preparam sua comida no verão, ou constroem sua casa na rocha, ou formam grupos sem a necessidade de um rei, façamos nós também a nossa parte. Preparemos a nossa comida no verão da vida para que quando chegar o inverno da vida tenha o que nos alimentar. Jesus é o Pão da vida – João 6.35 “Eu sou o Pão da Vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede”. Alimentação completa.

Façamos a nossa casa espiritual na rocha, para que nenhum vendaval, chuvas fortes, ventos, não venham destruí-la. Mt. 7.24,25. Façamos o nosso alicerce espiritual baseado na Palavra de Deus, adquirindo confiança, sabedoria, conhecimento, firmeza, um alicerce na Rocha, que é Jesus Cristo. – At. 4.11. É muito importante que a nossa casa espiritual seja bem construída, para que nunca seja abalada. Não gastamos nada em sua construção, cada um pode construir a casa dos seus sonhos, basta se entregar ao Senhor Jesus, e buscá-lo cada vez mais através da oração, leitura bíblica, meditação, e crescer espiritualmente.

Andemos em grupos, para orarmos uns pelos outros, confraternizarmos com os nossos irmãos, participarmos da vida e dos acontecimentos da vida de cada um, consolando-nos uns com os outros com a Palavra de Deus, mas sem necessidade de um rei, ou seja, cada um confia no Senhor Jesus como seu único e suficiente Salvador pessoal, uma vez que a responsabilidade é pessoal, intransferível. Cada qual forma a sua estrutura, o seu conhecimento, sua sabedoria, seu alicerce, em seguida, a sua casa espiritual. A casa espiritual é a mais linda, mais confortável, mais aconchegante que existe, em nossos corações. Nenhum lugar do mundo existe uma casa espiritual como a que Jesus nos oferece. É uma casa singular. “… o que me der ouvidos habitará seguro, tranqüilo e sem temor do mal” Pv. 1.33

Instrução

Instrução

A Palavra de Deus

“Dá instrução ao sábio e, ele se fará mais sábio: ensina ao justo, e ele crescerá em entendimento”. PV. 9.9.

A instrução faz parte da vida do ser humano sábio. Desde o início da Palavra de Deus, encontramos o Senhor dando instrução ao Seu povo. O Senhor quer que Seu povo seja sábio, segundo a Sua Palavra. Quando nos encontramos com um sábio, notamos que ele está sempre aprendendo, sempre interessado em progredir em seu conhecimento. O sábio é aquele que busca na palavra de Deus conhecimento e crescimento espiritual. Através da palavra de Deus, que é a fonte da sabedoria, o sábio enriquece a sua estrutura cultural, e sempre quer mais, e mais. A palavra de Deus é uma fonte inesgotável de ensinamentos sábios.

Sábio é aquele que tem o seu alicerce de sabedoria firmado na palavra de Deus. A verdadeira sabedoria vem de Deus, e quem a encontra, encontra um tesouro de valor inestimável.  Através dela, a pessoa realiza grandes feitos, quer na orientação de um bom caminho para uma criança, como para o jovem ou adulto, além de ter uma vida plena de graças e realizações. Realiza também grandes feitos no meio das pessoas  que não têm o mínimo de conhecimento das coisas espirituais. O sábio é orientador, pacificador, amoroso, bondoso, e sua visão está firmada no Senhor. O senhor dá sabedoria em abundância a todo aquele que pedir com fé. (Tg. 1.5, 6). “… o Senhor dá a sabedoria: da sua boca vem o conhecimento e o entendimento”. Pv. 2.6.; “Os Seus caminhos são caminhos de delícias, e todas as suas veredas, paz”. Pv. 3.17.

A boa instrução, baseada na palavra de Deus, tem um valor inestimável, porque através da boa instrução, formam-se grandes pessoas. Pessoas com estruturas firmes, honestas, capazes, amorosas, fiéis, dinâmicas, felizes, respeitáveis, que serão bênçãos onde quer que estejam. Pessoas que servem de exemplo a todos que os cercam. Se todas as pessoas tivessem a felicidade de ter uma instrução correta, sem deslizes, o mundo seria totalmente diferente. O mundo precisa de pessoas com boa educação para conduzir corretamente os mais jovens que vem chegando até eles, orientação essa que influenciará no futuro da nação.

O ser humano que não conhece a Deus nem a Sua Palavra comete os mais variados tipos de erros: ganância desmedida, falta de amor, ódio, inveja, infidelidade, baixa auto-estima, antipatia, pratica os maiores horrores, entre muitas coisas mais. É muito difícil, quase impossível comunicar-se com um incrédulo, pois ele só tem visão material para tudo que o cerca. Geralmente, o incrédulo tem resposta para tudo, principalmente, se tiver bastante dinheiro, for rico, poderoso; aí o Deus dele é o dinheiro. Com dinheiro ele compra tudo, ou quase tudo. Deus só passa a existir, quando ele enfrenta grandes problemas financeiros, existenciais, espirituais, ou quando se vê muito enfermo, ou com uma doença incurável, quando tudo ao derredor parece ruir, aí ele apela para um Deus que ele nunca conheceu, um Deus distante, um Deus inalcançável. Um Deus que ele  nunca deu valor algum. Agia como se ele fosse o seu próprio Deus, e que se pudesse compraria também esse Deus. Mas a resposta de Deus é dura, é justa, é capaz de abalar até a maior convicção que uma pessoa pode apresentar para se justificar.  Deus não é comprável.

Engana-se quem pensa que por um atalho chega até Deus. Deus alerta: “Buscai ao Senhor enquanto se pode achar; invocai-O enquanto está perto”. Is. 55.6.   “Não repreendas o escarnecedor, para que te não aborreça: repreende o sábio, e amar-te-á”. Pv. 9.8. Toda a pessoa tem a mesma chance de buscar ao Senhor e a Sua Santa Palavra, para se tornarem sábios; basta-lhes reconhecer que necessitam de salvação para a sua alma/espírito. Reconhecer que se precisa de salvação para sua alma/espírito é ter humildade

“Os sábios escondem a sabedoria; mas a boca do tolo é uma destruição”. PV. 10.14.

“O temor do Senhor é o princípio da ciência: os loucos desprezam a sabedoria e a instrução”. PV. 1.7.

“Sê tu uma bênção”. Gn. 12.2

Palavra

Palavra

Barquinho

A palavra é a unidade mínima com som e significado que pode sozinha, constituir enunciado. Através da palavra os seres humanos se comunicam e tomam conhecimento de tudo que os cercam, e tudo o que ocorre no mundo: hoje em tempo real. Tal é a precisão da palavra, que um determinado acontecimento está se desenrolando, e nós podemos acompanhar, em qualquer parte do globo terrestre.

Toda palavra tem peso, quer ela seja boa ou ruim, o resultado sempre aparece. Através da palavra abençoamos, intercedemos em favor de alguém, encorajamos pessoas em seus momentos difíceis, nos alegramos com outras que estão felizes, nos entristecemos com más palavras ou más notícias. Através da palavra construímos um mundo, e através da palavra destruímos um mundo também. Se as pessoas zelassem pelo seu falar, tudo seria muito diferente, haveria mais paz, compreensão, amor, dedicação, tolerância, fraternidade, entrosamento.

Através da palavra também conhecemos a vontade de Deus para com as nossas vidas, e através da palavra, levamos essa maravilhosa mensagem de Deus a outras vidas, que necessitam de salvação para as suas almas/espíritos. A palavra de Deus é bastante conclusiva quanto ao seu significado. O profeta Isaías nos transmite o que o Senhor diz: “… assim como descem a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, sem que primeiro reguem a terra, e a fecundem, e façam brotar, para dar semente ao semeador, e pão ao que come,/ assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a designasse”. Is. 55.10 e 11.

“Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho”. Seu 119.105. O salmista valoriza de tal maneira a palavra de Deus, que a considera lâmpada para os seus pés. Onde quer que vá, ele contará com essa luz maravilhosa guiando os seus passos, desviando-o de ciladas do inimigo. Se uma pessoa tem a palavra de Deus como luz para o seu caminho, ela sempre andará às claras, não tropeçará. A luz o guiará dia e noite pelas sendas da vida. Caso essa pessoa tropece, ela tem um Advogado junto ao Pai Jesus Cristo, o Justo. 1 João 2.1.

A boa palavra sempre resulta em bons frutos. Plantando a boa semente que é a palavra de Deus, o resultado sempre é satisfatório e gratificante. Daí, sempre nos encontrarmos com pessoas felizes, porque um dia ouviram e creram na boa palavra. “Como maçã de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo”. Pv. 25.11. “Palavras agradáveis são como favo de mel: doces para a alma e medicina para o corpo”. PV. 16.24.

 .