Browsed by
Mês: julho 2013

Livrinho

Livrinho

artigo 5“… Toma-o e devora-o; certamente, ele será amargo ao teu estômago, mas, na tua boca, doce como mel” Apoc. 10.9.

O apóstolo João disse: “…achei-me  na ilha de Patmos, por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus./ Achei-me em espírito, no dia do Senhor, e ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta, dizendo: O que vês escreve em livro…” Apoc. 1.9b, 10.  O apóstolo João esteve espiritualmente, com o Senhor, e ouviu várias recomendações sobre o que haveria de vir no futuro. Depois de toda exposição dos acontecimentos futuros, um anjo deu-lhe um livrinho e ordenou-lhe que o devorasse, e que este seria amargo ao seu estômago, mas, na sua boca, doce como mel.

Que livrinho era esse tão importante para que o apóstolo o devorasse (devorar = engolir de uma só vez, comer avidamente, muito rapidamente)? O apóstolo deveria fazê-lo rapidamente. O apóstolo tomou o livrinho da mão do anjo, e devorou-o, e, na sua boca, era doce como mel; quando porém, o comeu, o seu estômago ficou amargo.

O que o apóstolo chamou de “livrinho”, nós o chamamos de Bíblia. A Bíblia é um compêndio de sabedoria. Tudo quanto nós precisamos para o nosso conhecimento, procedimento, direção correta de vida, ensinamentos, encontramos nos ensinos do nosso Deus. A Bíblia é um pequeno livro em relação a outros bem maiores de tamanho, volume, ilustração, mas este pequeno livro que cabe em nossas bolsas, porta-luvas de nossos carros, em nossos bolsos, na gaveta de nossas penteadeiras, ou outros lugares pequenos. Mas este pequeno livro é tão grande para transmitir conhecimentos, que mesmo que passemos a vida toda estudando-o, não vamos chegar ao final, ou ao ápice de conhecimento a respeito do Reino de Deus. Além de ser um grande livro para ensinar, indica o caminho para a vida eterna. Oferece de graça a salvação em Cristo Jesus, é só a pessoa querer, e se dirigir ao Senhor da Glória. Daí, a necessidade de se devorar o livrinho, aprender com ele, crescer no conhecimento, e desfrutar das bênçãos que estão nele contidas.

O sabor doce como mel na boca, acontece que, quando estudamos a palavra de Deus achamo-la deliciosa, doce, agradável, excelente para as nossas vidas, muito bom para o nosso entendimento. Por isso devemos devorar a Palavra de Deus, isto é, nos alimentar cada vez mais deste Pão (Jo. 6.48) farto e delicioso para as nossas almas, realmente, é um mel para o nosso paladar. Quanto mais alimento espiritual, mais bênçãos serão derramadas.

Amargo ao estômago, porque, quando queremos transmitir essa palavra tão boa, tão edificante, tão abençoada, às pessoas que nos cercam, que não conhecem essa bênção maravilhosa, retrucam que não creem, que não aceitam, muitas vezes blasfemam contra o Deus da Glória, misericordioso que conhecemos, isto nos fere grandemente. Amargo ao nosso estômago é ver almas tão preciosas caminhando para a perdição eterna.

Muitas vezes oramos muito por uma pessoa, para que seja curada de alguma enfermidade, receba uma bênção, um livramento, isto é, enquanto oramos tudo bem, depois em agradecimento ao Senhor, ela se volta contra Ele, e isto nos deixa muito chateados, tristes, muitas vezes desanimados, isto é muito amargo no nosso estômago/coração. A ingratidão entristece a Deus, que ama todas as criaturas, e muito mais aqueles que são gratos pelos Seus benefícios. O Senhor Deus é maravilhoso, está sempre disposto a perdoar, abençoar, livrar do mal, a defender dos inimigos. Is. 59.1.

JoãoHá também o Livro da Vida, no qual devemos estar inscritos. Somente os inscritos terão direito a Vida Eterna, juntamente com os salvos e bem-aventurados. Salmo 139.16; Dn 12.1b; Fl. 4.3b; Apoc. 3.5; 13.8;                 21.17b.; 20.12b.

“… Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo”. Jr. 31.33.

O Radar de Deus

O Radar de Deus

Deus sabe o meu nomeO radar celestial está sempre ligado, indicando a direção correta que devemos seguir. No Velho Testamento esse radar chamava-se LEI. A LEI compreende tudo o que DEUS quer de nós, como: exaltar a Sua Santidade; revelar a pecaminosidade do ser humano; mostrar ao povo como viver em uma sociedade moral; mostrar ao povo sua necessidade de um Salvador; demonstrar a graça e a misericórdia de Deus. Tudo isso o radar de Deus nos indica a observar. Mas como nenhum ser humano conseguiu cumprir a LEI, DEUS na Sua infinita misericórdia providenciou um Salvador Jesus Cristo.

No Novo Testamento o radar de DEUS está firmado em Jesus Cristo, que veio ao mundo, cumpriu corretamente a LEI, sofrendo morte de cruz, e através do Seu sacrifício derramando o Seu sangue, nos oferece a salvação de graça, basta que creiamos nEle.  O sacrifício de Jesus Cristo é suficiente para salvar todo aquele que nEle crê. Deus não faz acepção de pessoa, Ele quer que todos sejam salvos, mas Ele quer que a pessoa venha até Jesus e O aceite como seu único e suficiente Salvador pessoal. João 1.12 “Mas, a todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no Seu nome”.

Portanto, quer no Velho Testamento, quer no Novo Testamento, o radar de Deus está sempre nos indicando um caminho de paz, de luz, de amor, de fidelidade, de fraternidade, preocupação para com o próximo, de oração, de meditação, enfim, se o ser humano trilhar os caminhos propostos por DEUS e seguir o radar de DEUS, certamente chegará à mansão celestial sem dificuldades, além de ter aqui as bênçãos, a tranquilidade, a paz, certamente mais saúde, porque uma pessoa sadia espiritualmente, também terá mais saúde fisicamente.

radar 2O radar de DEUS está sempre no mesmo lugar, com as mesmas indicações que vimos acima. DEUS é imutável, logo, as bênçãos também são imutáveis, basta à pessoa seguir a indicação do RADAR DE DEUS. Como nós pudemos ver a palavra LEI está no singular, mas ela engloba todas as ordens de Deus, se uma pessoa tropeça em único ponto, tropeçará em todos, não há como tropeçar em um único ponto.  “Qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos”. Hb. 2.10.

Proteção Divina

Proteção Divina

nuvens brancasÊx. 13.21

“O Senhor ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para  guiá-los pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os alumiar, a fim de que caminhassem de dia e de noite”. Êxodo 13.21.

Quando o Senhor Deus tirou o seu povo da escravidão no Egito, Ele guiava o seu povo através da caminhada que faziam até a terra prometida pelo Senhor. Deus os acompanhava com uma coluna de nuvem durante o dia, para que caminhassem em paz, na sombra; e a noite, os acompanhava com uma coluna de fogo, para alumiá-los e aquecê-los, e para que caminhassem em paz. Assim, o povo caminhou durante quarenta anos no deserto, até chegar à terra prometida. Através da Palavra de Deus sabemos que o povo chegou em paz, e passou a desfrutar das delícias daquele lugar. Era um lugar preparado por Deus, e prometido ao povo escolhido e separado por Ele.

Assim acontece a pessoa que se converte ao Senhor, a qual reconhece que por si só não consegue salvar a sua alma/espírito, que não consegue ter paz, então ela procura auxílio espiritual, e só o consegue quando tem um encontro com o Senhor Jesus. ”Nós O amamos porque Ele nos amou primeiro” I João 4.19.  A partir do momento da conversão (voltar-se ou retornar-se para Deus), uma vez que a pessoa tinha se desviado, se afastado do Caminho do Senhor. Afastando-se do Seu Caminho, a pessoa pratica tudo o que é contrário a vontade de Deus, como: iniquidade, idolatria, promiscuidade, impurezas, feitiçarias, mentiras, bebedice e muito mais.

“Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vo-lo conceda” João 15.16.  Todo ser humano tem oportunidade de se achegar a Deus, mas poucos são os que querem se aproximar e aceitar o Senhor Jesus como seu único e suficiente Salvador pessoal. A decisão é individual, ninguém pode influenciar ninguém a receber o passaporte para a vida eterna juntamente com os salvos e bem-aventurados.

Muitas pessoas retrucam que são religiosas, são fiéis aos olhos das pessoas que os cercam, são honestas, aparentemente está tudo certo, mas o Senhor sonda os corações, Ele conhece o mais íntimo do ser humano, por isso lemos no v. acima “Não fostes vós…”, porque o Senhor conhece o íntimo de cada um. Não basta parecer religioso ou fingir-se sê-lo, somente o coração dirá a verdade sobre a pessoa. “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti” Sl. 119.11.

Voltemos ao texto base: O Senhor Deus nos promete segurança “… o que me der ouvidos habitará seguro, tranquilo e sem temor do mal” Sl. 1.33.  O Senhor promete uma coluna de nuvem para nos proteger de dia, para nos guiar seguramente pelas sendas da vida; e uma coluna de fogo durante a noite, para caminharmos sem o terror noturno. Estas colunas nunca se apartam do povo de Deus. É uma proteção constante. Toda proteção relatada aqui é espiritual, nós não vamos ver fisicamente a coluna de nuvem, nem a coluna de fogo, mas elas estão constantemente sobre as nossas cabeças, revestindo-nos com toda proteção necessária; proteção essa extensiva a nossa vida cotidiana, isto é, física.

fogo IIAssim como, Deus guiava em segurança o povo que Ele tirara da escravidão política do Egito, e o levou seguro a terra que Ele prometera como presente, para que vivesse seguro no seu próprio patrimônio; também Ele promete a todo aquele que se converter do seu mau caminho, arrependido dos seus pecados, e se propuser andar nos Caminhos do Senhor (nunca se esquecer que há necessidade de pureza de coração, sinceridade de alma/espírito) e se mantiver fiel à Palavra de Deus, chegará tranquilo às mansões celestiais. João 14.2.

Óleo de Alegria

Óleo de Alegria

AZeite“… óleo de alegria, em vez de pranto, vestes de louvor, em vez de espírito angustiado, a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para a sua glória” Is. 61.3b.

Salmo 45.7; – “Amas a justiça e odeias a iniquidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria, como a nenhum de teus companheiros”.

O azeite era produzido em grande quantidade na época do Velho Testamento.  A abundância de oliveiras na antiguidade permitia uma grande produção, e em consequência a facilidade que todas pessoas tinham de obtê-lo. O seu uso era  largamente difundido, e as suas propriedades comprovadas no dia-a-dia das pessoas. O azeite sendo rico em propriedades saudáveis e de fácil aquisição, era largamente usado:   na cozinha (alimentos), na saúde (cura de feridas, pois era um excelente cicatrizante. O seu uso contínuo evitava uma série de problemas na saúde). O seu emprego era importante como unguento (usado para massagear o corpo após o banho ou preparo para grandes festas). Era usado também como combustível, para conservar acesos os candeeiros, que iluminavam as casas, e o templo. O azeite era empregado também nos sacrifícios dedicados a Deus. Usava-se o azeite como ilustração de consolo, nutrição espiritual, prosperidade espiritual (Sl 45.7). Com todas essas propriedades o azeite passou a simbolizar o Espírito Santo. O Espírito Santo é suficiente para suprir toda e qualquer necessidade do ser humano.

Jesus passou momentos agonizando no Getsêmani, ou Jardim das Oliveiras, situado nos arredores de Jerusalém. O nome Getsêmani significa “lagar do azeite” (lagar = espécie de tanque onde se espremem e se reduzem a líquido certos frutos, no caso a azeitona). A escolha do local trazia com exatidão o que estava acontecendo com Jesus momentos antes de ser crucificado, quando iria ser sacrificado e esmagado como uma azeitona, a fim de que a humanidade pudesse receber o Espírito Santo em seus corações. (O Novo Dic. Da Bíblia – Vol. I).

Jesus realizou o sacrifício como vimos nas linhas acima. Ressuscitou, subiu ao céu, e nos enviou o Espírito Santo. O Espírito Santo é dado em abundância a todo aquele que crê no Senhor Jesus, mas é necessário que a pessoa creia, que busque a Deus, que entregue o seu espírito nas mãos de Deus. É necessário que a pessoa se converta ao Senhor Jesus, aceitando-O como seu único e suficiente Salvador pessoal. Cada pessoa é um mundo diferente, e é única diante de Deus. Por isso, o salmista diz: “Amas a justiça e odeias a iniquidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria, como a nenhum dos teus companheiros” Sl. 45.7. Por que o o teu Deus te ungiu? Porque você é único diante d’Ele. Se você quiser e aceitar o Senhor Jesus em sua vida, hoje o Senhor Deus o ungirá com o óleo de alegria. Toda conversão é um milagre de Deus, porque “Nós O amamos porque Ele nos amou primeiro” I Jo 4.19. O óleo espiritual é derramado em grandes porções na vida do convertido, simbolizando prosperidade espiritual, saúde, bem-estar, amor ao próximo, amor em todos os setores da vida, honestidade, fidelidade, paz completa, segurança, enfim, desfrutar de todas as bênçãos que estão prometidas na Palavra do nosso Deus.  Se todos os que se dizem convertidos tivessem consciência do tamanho do Amor de Deus por sua vida, tudo seria totalmente diferente.   Haveria paz no mundo.

O azeite  físico  é empregado para a solução de inúmeras necessidades do ser humano; o Azeite Espiritual é derramado em grandes porções na vida do convertido.  O Senhor unge cada  convertido, isto é, verdadeiramente convertido, consagrado, limpo de coração/espírito) com o óleo de alegria. Cada convertido é único na presença do Deus Altíssimo, cada um se apresenta a Deus individualmente, sem interferência de outros, daí não haver desculpa  se recebe ou não o óleo de alegria. O Salmo 45.7 diz: … Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria, como a nenhum de teus companheiros”. Sim, porque dada a unicidade pessoal diante de Deus, cada um recebe a sua porção. O ideal é que todo convertido tenha em abundância o azeite espiritual e desfrute de boa comunhão com Deus.

unçãoJesus disse: “Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges a minha cabeça com óleo; o meu cálice transborda”. Sl. 23.5.

“Os céus proclamam  a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos” Sl. 19.1.

Cântico dos Cânticos de Salomão

Cântico dos Cânticos de Salomão

perola“Deus é Espírito, e importa que os que O adoram O adorem em espírito e em verdade”. João 4.24.   O livro bíblico CANTARES ou CÂNTICO DOS CÂNTICOS, escrito por Salomão, retrata a criação perfeita de Deus. Deus criou o homem e a mulher a sua imagem e semelhança moral  (Gn. 1.26). Deu-lhes poder sobre os peixes do mar, sobre os animais da terra, sobre as plantas em geral. A criação de Deus é perfeita.  O ambiente em que Deus colocou o ser humano era repleto de amor, compreensão, enfim, um ambiente perfeito para uma vida feliz e completa. A perfeição de Deus é inquestionável, e tudo que Ele lhes ordenara  era perfeito.

Mas o ser humano desobedeceu, e saiu do Seu plano perfeito. Aí começou a depravação, o pecado, idolatria, enfim, tudo ao contrário daquilo que Deus criou com a maior perfeição. Daí começou a peregrinação e revolta do ser humano. O ser humano vê e analisa tudo com os olhos físicos, com sentidos sensuais, deturpando tudo o que aparece em sua frente. É muito comum ouvirmos ou lermos alguma coisa sobre o livro de Cantares (é muito sensual, é puro sensualismo, é o livro mais sensual da Bíblia…), mas o livro de Cantares ou Cântico dos Cânticos é a perfeita criação de Deus para os Seus amados. Tudo é muito lindo! É uma vida perfeita no porvir, juntamente com Ele no Paraíso celeste.

O livro Cantares ou  Cântico dos Cânticos nos transmite essa mensagem de perfeição da criação de Deus. O escritor nos mostra como será a glória e a perfeição da vida no porvir. Tudo é lindo, maravilhoso, uma vida sem entraves, apenas de delícias espirituais. “As muitas águas não poderiam apagar este amor, nem os rios, afogá-lo:  ainda que alguém desse toda a fazenda de sua casa por este amor, certamente a desprezariam”. Ct. 8.7.

Cantares é de características únicas  na Sagrada Escritura. Trata-se do Cântico dos Cânticos do amor de Jesus Cristo pela Sua noiva (salvos) comprada pelo sangue.

  Quantas vezes  uma pessoa  perde o sono e tenta orar, e não consegue, porque algo atrapalha, e há trevas ao derredor. Ela não entende o porquê daquilo que está acontecendo, mas ela está preocupada com as coisas materiais, com o comportamento físico, logo, o espiritual fica prejudicado. Se fosse no plano perfeito de Deus, tudo seria maravilhoso. A pessoa encontraria o Senhor da Glória, dormiria tranquila, descansaria, e seria totalmente feliz.

Na Palavra de Deus encontramos alguns cânticos de louvor profundo ao nosso Deus, como o de Moisés e Miriã, que louvaram a Deus com todo o poder de sua alma/espírito (Êx. 15); o cântico de louvor de Ana (1 Sm. 2); o cântico de Davi (1 Sm. 22); o cântico de Débora (Jz. 5).  São cânticos de louvor do mais profundo da alma/espírito desses seres,  gratos pelas bênçãos recebidas das dadivosas mãos do Senhor da Glória.

canticos 2Nesses cânticos há  gratidão pelas bênçãos recebidas,  como: salvação, alegria, gozo, libertação, juízo, vitória, passagem de humilhação para glória, esperança, graça, etc.  O cântico  mais longo e encantador é o cântico do  amor, escrito em oito capítulos, que é considerado o Cântico dos Cânticos. Cantares é o cântico do amor do Antigo Testamento. É a manifestação do grande Amor de Deus  aos Seus amados.

“Eis que Deus é a minha salvação:  confiarei e não temerei,  porque o SENHOR Deus é a minha força e o meu cântico, e se tornou a minha salvação”. Is. 12.2.