Browsed by
Mês: abril 2014

A missão do Filho de Deus, Jesus

A missão do Filho de Deus, Jesus

A missão de JesusJoão 3.16-36.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que n’Ele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” v.16.

Este versículo que pode ser considerado um resumo da Bíblia, apresenta o Amor incondicional de Deus pelo ser humano. Demonstra tudo de bom que Deus preparou para o ser humano, desde a sua concepção até o final de seus dias. O profeta Isaías nos diz que o Senhor já o conhecia desde a sua massa ainda informe (primeiros dias de vida intra-uterina), e que Deus havia preparado grandes bênçãos para a sua vida (Salmo 139), e também a salvação eterna de sua alma imortal. Todos, como Isaías, que reconhecerem o Senhor Jesus como seu único e suficiente Salvador e Senhor pessoal terão as mesmas bênçãos. O ser humano é totalmente livre para escolher entre a salvação e a perdição. Ambas são eternas. A oportunidade é enquanto a pessoa está vivendo aqui na terra. Depois desse período que passamos aqui, não há mais chances de se arrepender e crer.

O Senhor Jesus veio trazer a salvação. Ele não veio julgar o mundo, mas salvá-lo. Os que creem estão salvos por Ele, mas os que não creem já estão condenados, porque não há quem os tire da condenação eterna. “Quem crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más” vs. 18,19.

João Batista fora enviado de Deus para preparar a mente das pessoas para a aceitação do Senhor Jesus. João Batista batizava com água para o arrependimento dos pecados, e ensinava a Palavra de Deus. Jesus veio em seguida, e desenvolveu um profícuo ministério: curando enfermos, curando endemoninhados, ressuscitando mortos, revelando a grandeza do reino de Deus. Jesus morreu na cruz, derramando o Seu sangue, para que todo aquele que n’Ele crê seja salvo eternamente.

Após a sua ascensão ao céu, Ele enviou o Espírito Santo para convencer o ser humano de seus pecados, e se converter ao Senhor Jesus. O batismo com o Espírito Santo é justamente a conversão da pessoa. Momento que Jesus passa a morar no âmago (coração/alma/espírito) do ser humano. Uma vez que Jesus passou a morar no espírito humano, a pessoa tem uma nova vida. Por isso, que ela nasce de novo. Nasce para Deus eternamente. Mas a pessoa é livre para fazer a sua escolha. Deus ama a todos igualmente. Não há acepção de pessoas. Todas as almas/espíritos são iguais perante Deus.

“Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus” v.36.

Graça e Paz!

Nicodemos visita Jesus

Nicodemos visita Jesus

Nicodemos e Jesus 5Jo. 3.1-15

Nicodemos era fariseu e um dos principais entre os judeus (membro do sinédrio). Sinédrio: – Supremo Tribunal dos Judeus, composto por sacerdotes e religiosos judeus influentes. O sinédrio era composto por 71 juízes judeus, que julgavam os judeus que desobedeciam as leis judaicas. Nicodemos era um dos juízes judeus, portanto, uma pessoa muito culta e importante. Ele tomou conhecimento dos feitos de Jesus, e como Jesus influenciava o povo que O seguia e que O ouvia.  Este ministério que Jesus desenvolvia despertou-lhe a curiosidade. Jesus se comunicava usando muitas metáforas, ou seja, palavras que todos conheciam, mas com o sentido diferente daquele conhecido por todos, para transmitir a mensagem do Reino de Deus. Como por exemplo: a parábola da candeia, para explicar a luz que há e que age na pessoa quando esta recebe a Palavra de Deus. Esta luz é impossível de ser escondida. Em qualquer lugar que ela esteja, afasta as trevas (pecados); a parábola da semente de mostarda, para explicar o tamanho do Reino de Deus. Quando uma pessoa recebe a Palavra de Deus, algo estranho acontece dentro dela, é como uma sementinha plantada no coração. A pessoa recebe a sementinha, que é um pouquinho, muito pouquinho da mensagem do Senhor para a sua vida.

Depois a semente (o pouquinho) nasce, cresce e se transforma numa grande árvore espiritual, a qual vai dar muitas folhas (alegria), muitas flores (disposição e alegria ao levar a Palavra de Deus às pessoas que ainda não a conhecem, e alegrar-se com os que aceitam o caminho de luz), muitos frutos (resultado do plantio da sementinha – Palavra de Deus). Assim, Jesus ensinou através de muitas parábolas. Todas com o intuito de levar o conhecimento da Palavra de Deus, e por extensão a salvação das almas imortais. Só assim as pessoas conseguiam assimilar a mensagem que o Senhor transmitia. Nicodemos não conseguia entender as metáforas (palavras com sentido figurado) que Jesus usava. Aqueles ensinamentos despertaram a sua curiosidade. Ele foi ter com Jesus à noite. À noite, porque talvez fosse mais fácil e mais seguro se aproximar de Jesus sem ser visto pelos demais colegas de sinédrio.

Normalmente, as pessoas pensam mais à noite, quando param os seus afazeres, e recolhem-se ao recôndito do lar. Portanto, é à noite que as pessoas param, meditam, refletem mais sobre os seus feitos de durante o dia, concluem mais precisamente decisões sobre as suas vidas. Daí a decisão de ir ter com Jesus, à noite. Nicodemos disse a Jesus: “Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele” v. 2.

Jesus lhe respondeu: “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” v.3.  Nicodemos não entendeu, e questionou a Jesus, como isso seria possível a um homem velho como ele?  Ele fala sobre voltar ao ventre materno; mas Jesus questionou: “Tu és mestre em Israel e não compreendes estas cousas?” v.10. Nicodemos sendo mestre deveria conhecer bem a Palavra de Deus, como ele iria ensinar e conduzir corretamente o povo? Jesus lhe disse: “Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus” v.5. Quem não aceitar a Cristo (água viva), e a sua morte na cruz do calvário derramando o Seu sangue para a remissão dos pecados de todo aquele que n’Ele crê  (conversão espiritual), não é possível nascer de novo.

Mas se a pessoa nascer da água viva (Jesus Cristo), e aceitar o sacrifício de Jesus na cruz do calvário (sangue), e confessá-lo como seu único e suficiente Salvador e Senhor pessoal, nasce de novo (conversão espiritual). Nasce para o Reino de Deus, e recebe a escritura de seu lugar reservado na mansão celestial, juntamente com Jesus e os seus salvos. A pessoa convertida já começa a usufruir das bênçãos que o Senhor Deus tem preparado a cada um que se arrepende de seus pecados, e entrega a sua vida ao Senhor Jesus.

O convertido também encontra problemas pelas sendas da vida, mas com uma diferença da pessoa não convertida, pois ele tem a companhia de Jesus vinte e quatro horas por dia. Tudo fica mais fácil para aquele que tem Jesus como seu Salvador e Senhor pessoal. Assim, Jesus oferece de graça a salvação das almas imortais. Disse Jesus: ”Eu sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” Jo. 14.6.

“Este é aquele que veio por meio de água e sangue, Jesus Cristo; não somente com água, mas também água e com o sangue. E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade” 1 João 5.6.

“… o Senhor, a fonte das águas vivas” Jr. 17.13b

Graça e Paz!

Jesus purifica o templo

Jesus purifica o templo

Jesus expulsa vendilhões do temploJo. 2.13-25.

Próximo a Páscoa Jesus subiu para Jerusalém. Ao chegar ao templo encontrou pessoas vendendo muitas coisas como: bois, ovelhas, pombos, e cambistas assentados (pessoas que trocavam uma moeda por outra, isto é, moeda judaica por moeda grega, e muitas outras). Jesus ficou extremamente irritado ao ver estas coisas, e expulsou-os dali, e ordenou que não se fizesse da casa do Pai casa de negócio. Os seus discípulos se lembraram de que estava escrito: “O zelo da tua casa me consumirá” v.17b.

O zelo pela casa do Senhor deve ser observado continuamente com: reverência, amor, conservação da melhor forma possível, contribuição para que haja mantimento (tudo que é necessário para o bom andamento dos trabalhos realizados ali, e o bem-estar de todos que a freqüentam). Não transformar a casa do Senhor em casa de negócios, de decisões materiais (compra ou venda de qualquer coisa ou produto), ou qualquer outro assunto que não seja espiritual, e relativo ao Senhor Deus e a Sua Santa Palavra. Quando entramos na casa do Senhor devemos observar e por em prática toda reverência; permanecer em oração, meditação, leitura da Palavra de Deus.

Os judeus não se deram por vencidos, e ainda perguntavam quais sinais Ele mostrava para fazer aquelas coisas.  Jesus lhes respondeu: “Destruí este santuário, e em três dias o reconstruirei” v. 19. Os judeus comentavam que levaram quarenta anos para construir aquele templo, e que Jesus em três dias o reconstruiria. “Jesus, porém, se referia ao santuário do seu corpo” v.21. Quando Jesus ressuscitou dentre os mortos, os seus discípulos se lembraram de que lhes dissera isto, e creram na Escritura e na Palavra de Jesus. O templo mais importante para Jesus é o espiritual. Devemos valorizar as coisas espirituais muito mais que as materiais, porque as espirituais permanecem para sempre e oferecem paz, e são acumuladas como tesouro no céu.

Graça e Paz!

As bodas em Caná da Galiléia

As bodas em Caná da Galiléia

Bodas em Caná da Galiléia 2João 2.1-12.

Houve um casamento em Caná da Galiléia, e Jesus também foi convidado com seus discípulos. Estava presente também Maria, mãe de Jesus. Há certa hora acabou o vinho. Era costume ter muito vinho para servir aos convidados. A mãe de Jesus lhe disse: “Eles não tem mais vinho”v. 3.  Mas Jesus lhe disse: “Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora” v.4. Maria tinha certeza que Jesus resolveria o problema com a maior facilidade. Então, ela falou aos serventes: “Fazei tudo o que Ele vos disser” v.5. Este é o único mandamento de Maria em todo o Novo Testamento.

Jesus viu ali seis talhas de pedra, as quais os judeus usavam para as suas purificações, então Jesus disse aos serventes, que as enchessem de água totalmente. Assim eles fizeram, encheram-nas até a boca. Em seguida, Jesus lhes determinou: “Tirai agora e levai ao mestre-sala. Assim fizeram eles”. Quando o mestre-sala provou a água transformada em vinho (não sabendo donde viera, se bem que o sabiam os serventes que haviam tirado a água), chamou o noivo, e lhe disse: “Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior; tu, porém, guardaste o bom vinho até agora” v.10. O vinho já representava o sangue de Jesus. E se foi transformada a água em vinho, e vinho muito bom, ou melhor, é porque Jesus quis transmitir a mensagem que o seu sangue transforma e purifica qualquer alma humana. As talhas de pedra que eram usadas para a purificação dos judeus, passaram a ser usadas por Jesus para purificação espiritual. Aquele vinho foi suficiente para todos quantos estavam na festa, e ainda sobrou vinho.

O sangue de Jesus é suficiente para salvar todos quantos crerem n’Ele. Com este milagre Jesus deu início aos seus sinais em Caná da Galiléia; manifestou a Sua glória, e os seus discípulos creram n’Ele. “Depois disto, desceu para  Cafarnaum, com sua mãe, seus irmãos e seus discípulos…”.

Se todos os casamentos tivessem como principal convidado, o Senhor Jesus, tudo seria diferente. Aconteceria o milagre da transformação da água em vinho, ou seja, o melhor viria depois. O bom vinho viria depois, a vida seria como o bom vinho que fora servido por último. Com Cristo como convidado principal, o casal seria copiosamente abençoado, e teria uma família igualmente repleta de bênçãos. O melhor vem depois: o amor, compreensão, atenção um para com o outro, cada qual colocando o outro em primeiro lugar, o amor à Palavra de Deus, o testemunho verdadeiro, a santificação, enfim, ter um lar segundo os propósitos de Deus. A família é a célula principal da sociedade, e é segundo o coração de Deus.

“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela” Sl. 127.1.

Graça e Paz!

O batismo de Jesus

O batismo de Jesus

radar 2Jo. 1-32-51.

João Batista veio ao mundo com a incumbência de falar a respeito da chegada do Reino de Deus, preparar o caminho para o Senhor Jesus. Ele batizava com água para arrependimento dos pecados. Levava a Palavra de Deus àqueles que não a conheciam, mas que a aceitavam de bom grado. Em Isaías 40.3 há referência a João: “Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus”. No Antigo Testamento Deus já se referira a João Batista como sendo o precursor da vinda do Senhor Jesus.  João diz que não conhecia aquele que o enviou a batizar com água, e disse: “Aquele sobre quem vires descer e pousar o Espírito, esse é o que batiza com o Espírito Santo” v. 33.

Somente Deus pode batizar com o Espírito Santo. O batismo com o Espírito Santo acontece quando uma pessoa aceita o Senhor Jesus como o seu único e suficiente Salvador e Senhor pessoal. A partir do momento que a pessoa reconhece que sozinha não pode se achegar a Deus, e que precisa da ajuda do Senhor Jesus para realizar esse desejo, o Senhor Jesus pega-lhe pela mão e o conduz pelas sendas da vida, e no porvir para a mansão celestial, juntamente com Ele e com os demais salvos.

João Batista desenvolveu o ministério do batismo com água, e a pregação da Palavra de Deus, para que as pessoas se arrependessem de seus pecados, e ficassem preparadas para quando o Senhor Jesus viesse e começasse o Seu ministério. Jesus foi batizado com água por João Batista, e em seguida, uma voz do céu disse: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” Mt. 3.17. Depois de ser batizado com água, e com o Espírito Santo de Deus, Jesus inicia a escolha de seus apóstolos, André, Simão, que teve o seu nome trocado por Cefas (que quer dizer Pedro), Filipe, Natanael e os demais.

As Igrejas cristãs batizam as pessoas para que façam parte do seu rol de membros, e tenham as bênçãos que o Senhor tem preparado para todo aquele que n’Ele crê. Há também a profissão de fé, que as pessoas fazem para testemunhar publicamente a sua fé no Senhor Jesus, e a sua salvação que recebeu de graça do Senhor. ”Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus” Mt. 10.32.

“Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus O ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” Rm. 109.

“Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus. Deus permanece nele, e ele, em Deus” 1 João 4.15.

“O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do livro da vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos” Ap. 3.5.

Graça e Paz!

O testemunho de João Batista

O testemunho de João Batista

Testemunho de João BatistaJo. 1.15-34.

João Batista foi a testemunha preparada por Deus, para vir à frente de Jesus Cristo preparando o Seu caminho. Ele já pregava a respeito da vinda de Jesus Cristo. João Batista, por esta razão, preocupava o povo judeu.   Os judeus preocupados queriam saber quem era João, e donde viera. Mas ele confessou, e não negou que ele não era o Cristo. Mesmo assim os judeus queriam saber quem João realmente era. Se ele era Elias, ou algum profeta, mas João sempre negou ser o Cristo. Então, lhe perguntaram novamente: “… que dizes a respeito de ti mesmo?” v.22b. Ele respondeu: “Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías” v. 23. João era a voz que clamava no deserto dos corações. Os corações humanos sempre vivem no deserto, isto é, sem a água viva (Jesus), sem frutos, sem o amor de Deus, sem flores espirituais, as quais enfeitam e valorizam o espírito humano.

O coração deserto (sem Jesus) é muito triste, repleto de coisas secas, ruins; em contraste com o coração comparado ao campo verdejante (com Jesus), repleto de coisas boas, muita água viva, muita oração, muita comunhão com os irmãos e com o Deus Altíssimo, e muita alegria no Senhor. Comparemos os dois corações, e escolhamos o melhor, aquele atrativo, amoroso, bondoso, abençoado.  João veio para endireitar as veredas (senda, caminho, rumo, direção, ocasião, oportunidade) do Senhor. Quando o Senhor Jesus se manifestasse, o caminho estaria preparado.

Os fariseus ainda indagaram a João por que ele batizava, se ele não era o Cristo? Mas ele respondeu: que ele (João) batizava com água, e que no meio deles estava alguém que eles não conheciam, e que ele não era digno de desatar-lhe as correias das sandálias. João batizava com água para o arrependimento dos pecados, mas o que vinha iria dar-lhes o batismo verdadeiro.

No dia seguinte, João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” v.29b. Somente Jesus pode perdoar pecados; pode livrar uma pessoa das trevas; das mãos do inimigo das almas imortais. Só Jesus realizou um ministério que pode salvar o mundo inteiro. Mas muita gente não O aceita, prefere viver na escuridão do pecado. O pecado leva à morte e a condenação eterna. A grande oportunidade é aqui e agora. Do outro lado não há mais chance de se arrepender, de crer. “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa” At. 16.31.

Graça e Paz!

Evangelho segundo João – O Verbo se fez carne

Evangelho segundo João – O Verbo se fez carne

Ev. de João 4João 1.1-14.

“Mas, a todos quantos O (Jesus) receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome” v.12.

O evangelista João relata que no princípio era o Verbo (Palavra), e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. O Verbo (a palavra, a sabedoria eterna, a expressão de Deus) era e é a Vida. Jesus é a Palavra, a Sabedoria, e a Expressão de Deus, que se tornou carne e habitou entre nós fisicamente, porque espiritualmente Ele sempre esteve, está  e estará conosco, e no controle de nossas vidas. Através de Sua vida, Sua mensagem, Seu sacrifício na cruz do calvário, ofereceu e oferece de graça a salvação de nossas almas imortais.

Tudo parece muito simples dizer: “No princípio…”, mas Jesus é a Palavra de Deus que tomou a forma física humana, e desenvolveu um ministério maravilhoso para todo aquele que n’Ele crer,  seja salvo.  Contudo, muitos não querem saber de salvação, apenas admiram e vivem a vida ao seu modo, totalmente diferente dos planos de Deus. Mas “A vida estava n’Ele e a vida era a luz dos homens” v.4. Jesus é a luz do mundo “… Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas, pelo contrário, terá a luz da vida” Jo. 8.12.  A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevalecem contra ela.  A luz é maravilhosa, onde quer que esteja, ilumina, afasta as trevas (pecados), e oferece de graça: paz, harmonia, amor, fraternidade, bem-estar, compreensão, salvação eterna. Jesus é o único Caminho para nos levar à paz, ao amor, ao bem-estar, à compreensão, e no porvir, às mansões celestiais. Lá é eterno e mui glorioso. Uma sociedade composta só de salvos e bem-aventurados, juntamente com o Senhor Jesus.

“Veio para o que era seu, e os seus não O receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome” vs. 11 e 12. O Senhor Jesus veio primeiramente para o povo judeu, pois Jesus era judeu de nascimento físico, mas os judeus não O receberam, e não O aceitaram como deveriam fazer. Dessa não aceitação do povo judeu, veio à oportunidade aos gentios (não judeus) para crerem e serem salvos pelo Senhor Jesus. Essa oportunidade chegou até nós, que pela graça somos salvos e abençoados eternamente.

Graça e Paz!

Bem aventurado aquele que anda nos seus caminhos

Bem aventurado aquele que anda nos seus caminhos

Bem-aventurado aquele que anda...“Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos!” Sl. 128.1. O Salmo 128 trata da felicidade no lar. As pessoas devem andar nos caminhos do Senhor para alcançar as bênçãos que Ele tem preparado para cada um em especial. Cada ser humano é um mundo diferente, cada qual, recebe as suas bênçãos. O Senhor é maravilhoso, Ele prepara bênçãos e mais bênçãos para os que O temem, e que andam nos Seus caminhos.  Deus é o Senhor dos senhores, todos são dele. Mas Ele dá o livre arbítrio para cada um individualmente. Aqueles que O buscam, que se entregam a Ele ou entregam as suas vidas a Ele, recebem as bênçãos acompanhadas de paz, sucesso, tranquilidade, segurança aqui, e no porvir a vida eterna juntamente com Jesus Cristo na mansão celestial.

Aqueles que não optam pelos caminhos corretos, preferem o mundo repleto de coisas condenáveis, esses deixarão de lado as bênçãos que seriam deles, bênçãos que ficam acumuladas, sem valor, sem possibilidades de buscá-las.    Bem-aventurados aqueles que andam nos Seus caminhos, porque se encontrarão com o Senhor Deus em Sua glória. A ilusão é maior que a percepção de uma pessoa. Muitas vezes ela valoriza demais algo que tem pouco valor, idolatra alguma coisa que na realidade é apenas um capricho. Bem-aventurado aquele que teme (reverencia) ao Senhor e confia n’Ele, e busca soluções para os seus problemas; que leva a Palavra de Deus às pessoas que ainda não a conhecem; que ora pelas pessoas necessitadas de oração; que visita os enfermos, e que desenvolve o trabalho do Senhor, dando continuidade às conversões. Os servos do Senhor são bênçãos onde quer que se encontrem. Eles fazem a diferença. “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na Sua lei medita de dia e de noite. Ele é como árvore plantada junto à corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido” Sl. 1: 1-3.

Graça e Paz!

Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça

Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça

Davi, homem segundo coração de Deus“Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho  por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma” Sl. 143.8.

O salmista pede ao Senhor que o faça ouvir pela manhã, as bênçãos para aquele dia. Pede a Deus  que lhe mostre o caminho por onde ele deve andar. Ele eleva a Deus a sua alma, porque ele quer um dia abençoado, um dia direcionado e acompanhado pelo Senhor Deus. Ele eleva os olhos para o alto e ora a Deus, suplicando pelas bênçãos do dia. O salmista rei Davi tinha muitas atribuições como rei, e como patriarca de uma grande família, principalmente porque era um servo muito amado de Deus; ele foi um homem segundo o coração de Deus (1 Reis 15.5). Como rei de Israel ele tinha muitos inimigos. Ele precisava da ajuda de Deus para vencê-los, ou conviver com eles. Não era fácil para ele. O coração de Davi era inclinado ao Senhor. Davi era um homem espiritual, cuja vida estava em harmonia com os anseios de Deus (1 Sm. 17.36).

Todas as pessoas deveriam imitar a Davi. Logo de manhã orar a Deus pedindo proteção, e as bênçãos do dia. Intercedendo pelo bem-estar próprio, de toda família, e de todos que conviverem consigo naquele dia. A oração oferece tranquilidade, segurança, companhia, porque quem responde é o próprio Deus. Davi orava para que Deus o livrasse de seus inimigos. Atualmente, as pessoas enfrentam a batalha com o inimigo das almas imortais. O mundo secular parece  bem mais interessante do que o mundo espiritual, consagrado, honesto, voltado para o Senhor nosso Deus. Davi se acha conturbado por causa de seus inimigos. Hoje, as pessoas também estão conturbadas por causa de seus inimigos, ou seja, o mundo cruel, cheio de cobranças, cheio de solicitações, nada tem um ápice. Cada vez mais solicitações aparecem, exigências mil. As pessoas não  tem tempo mais para nada, assim mesmo continuam a buscar e correr atrás do vento. As pessoas devem parar um pouco e meditar sobre o que Deus quer delas. Orar para que Deus lhes dê as bênçãos de cada dia. “A ti levanto as mãos; a minha alma anseia por ti, como a terra sedenta” Sl. 143.6. Tanto o rei Davi como as gerações que vieram depois dele até chegar em nós, todos viveram atribulados, necessitados das bênçãos, da presença e do auxílio do Senhor Deus. Somente haverá paz, quando todos estiverem com o Senhor Jesus no paraíso celeste, na nova Jerusalém Celestial.

Graça e Paz!

O toque da oração

O toque da oração

Cantar louvorSalmo 139.

“Tu me cercas por trás e por diante e sobre mim pões a mão” Salmo 139.5.

O rei Davi escreveu este Salmo em forma de oração e louvor a Onisciência e a Onipresença de Deus em sua vida. Ele se refere à grandiosidade de Deus em todos os setores de sua vida, desde a sua concepção até o momento que ele está escrevendo este Salmo. Ele fica maravilhado como Deus é presente em sua vida, em tudo e por tudo que ele faz. O Senhor o conhece no seu assentar e no seu levantar. O Senhor conhece os seus pensamentos e seu modo de agir. Quando a palavra ainda não foi pronunciada por ele, o Senhor já sabia o que ele ia falar ou pedir.

O salmista se sente cercado por trás e por diante, e as mãos do Senhor sobre ele, portanto, ele se sente totalmente protegido e seguro pelo seu Senhor. “Tu me cercas por trás e por diante e sobre mim pões a mão” v. 5. Davi fica extasiado com o conhecimento que o Senhor revela sobre ele.

Disse Davi: “Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face?” v.7. Nos demais versículos ele medita sobre tudo que o Senhor sabe a seu respeito. Onde quer que ele vá o Senhor lá está. Não há lugar onde ele possa ficar longe dos olhos do Senhor Deus. Davi também fica maravilhado como o Senhor o conheceu antes do seu nascimento, desde a sua massa ainda informe (nos primeiros dias ou semanas de gestação). “Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda” v.16.

O salmista diz também que os pensamentos de Deus são preciosos para ele “Que preciosos para mim, ó Deus, são os teus pensamentos! E como é grande a soma deles!” / “Se os contasse, excedem os grãos de areia; contaria, contaria, sem jamais chegar ao fim” (vs. 17,18). Davi ressaltou em todo Salmo 139, as maravilhas do Senhor Deus. Primeiro, o Senhor sonda todos os seus passos, os seus pensamentos; Segundo, o elevado conhecimento do Senhor a seu respeito, onde quer que ele fosse o Senhor lá estaria, não tinha para onde se esconder da presença do Deus Altíssimo; Terceiro, o Senhor o conhecia quando a sua massa ainda era informe, ou início de sua vida gestacional; Quarto, o Senhor escreveu todos os dias de Davi no Seu livro, e cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda, isto é maravilhoso; Quinto, o salmista admira grandemente os pensamentos do Senhor Deus, que são muito elevados para ele entendê-los, e que a soma deles era mui grande, era impossível contá-los todos. O salmista se sente totalmente guardado e amado pelo Senhor Deus Altíssimo. Davi foi um homem segundo o coração de Deus. 1 Reis 15.5.

Será que o Senhor Deus amou somente Davi? Ou será que Davi foi um dos únicos que reconheceu a grandiosidade e o amor de Deus em sua vida? Deus ama todos os seres humanos igualmente, e oferece igual oportunidade a todos. O ser humano tem o livre arbítrio, isto é, liberdade para decidir sobre a sua vida. Para buscar a Deus, se entregar a Ele, confiar que somente Deus tem poder de salvar e oferecer moradia na mansão celestial, ou para condenar ao fogo do inferno eternamente. Para ser salvo é necessário aceitar o sacrifício do Senhor Jesus na cruz do calvário. Ele é o Caminho, e a Verdade, e a Vida, ninguém chega à casa do Pai, senão por Ele (Jesus). E no porvir morar na mansão celestial juntamente com Ele e os Seus salvos e bem-aventurados, que no decorrer do tempo, aceitaram o Senhor Jesus como seu único e suficiente Salvador pessoal, e Senhor de suas vidas.

Disse Jesus: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” João 14.6.

Graça e Paz!