Browsed by
Mês: dezembro 2014

Aliviando a bagagem

Aliviando a bagagem

Aliviando a bagagem

“Bendito seja o Senhor que, dia a dia, leva o nosso fardo! Deus é a nossa salvação.” Sl. 68.19.

Normalmente, o ser humano carrega grande fardo espiritual em suas costas. Muitos fardos são tão pesados, que é difícil carregá-los. Os fardos do medo, da culpa, do peso da consciência, da pressão dos inimigos das almas imortais, do pecado, do mundo, do diabo, da morte. Quanto mais o tempo passa, maior e mais pesado fica o fardo de cada um. Mas Jesus vem ao encontro de cada ser humano que clama a Ele, e diz: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve”.” Mt. 11.28,29,30.

O escritor John Bunyan, século XVII teve uma experiência ímpar. Ele ficou preso por mais de dez anos, pelo simples fato de pregar a Palavra de Deus em praças públicas. Os inimigos de sua alma imortal trabalharam para que isso acontecesse, e que a Palavra de Deus fosse deixada para depois. Mas John aproveitou esse tempo de reclusão para escrever a sua obra prima, que é a mais lida do mundo depois da Bíblia – O Peregrino. (estranho ou estrangeiro).

O livro ‘O Peregrino’ é maravilhoso. O livro relata a história do peregrino que caminhava em direção à cidade santa, mas ele enfrentava muitos perigos durante a caminhada. A personagem era um cristão arquejante e cansado que marchava com o grande fardo às costas. Quando ele avistou ao longe a cruz do Senhor Jesus, e se aproximou dela, aí o fardo foi removido das suas costas e dali para frente caminhou livre do peso. A personagem mostrou um ser humano que se diz cristão, mas na realidade conhecia pouco das maravilhas que o Senhor Jesus pode fazer a uma pessoa. Quando ele caminha em direção à cruz de Cristo, ele tem o seu fardo aliviado.

O salmista Davi nos deixou uma linda mensagem no Salmo 68.19. Ele nos diz que o Senhor nosso Deus leva o nosso fardo no nosso dia a dia. Todo o Salmo 68 descreve a vitória de Deus sobre os inimigos de Davi. Assim como a nós também Deus tem vitória sobre todos os nossos inimigos. John disse que a sua personagem viu a cruz de Jesus Cristo, e imediatamente, foi aliviado do seu pesado fardo. Para a pessoa ver a cruz de Cristo é necessário que ela humildemente busque a presença de Jesus.

Jesus é o nosso Senhor e Salvador pessoal. Quando vemos a Sua cruz e nos aproximamos, ficamos com o nosso fardo aliviado. Caminhar com Jesus é ter companhia segura, forte, vencedora, amorosa. Jesus nos guarda debaixo de Suas asas protetoras, deixando-nos descansar em Sua sombra, em Seu esconderijo. Com Jesus o caminhar é feliz. A personagem de John caminha rumo à glória pelo estreito caminho da renúncia, e pelo longo caminho da salvação eterna.

Fardos e mais fardos são colocados em nossos ombros, temores se acumulam em nosso coração, pressões nos esmagam. Somos achatados debaixo dessa carga pesada, e muitas vezes, é muito difícil sair dela. Em todo o livro de John Bunyan o tema gira em torno da personagem ‘Peregrino’, que transmite a ideia de uma vida atribulada, com fardos pesados, mas lá no final ele avista a cruz de Cristo, e se dirige até lá. Ao chegar perto da cruz o Senhor Jesus assume todos os seus fardos, deixou-o  caminhar livremente. O Senhor Jesus segura bem firme em nossas mãos, nos firma os passos e nos conduz seguros à vida eterna.

“Pois a terra se encherá do conhecimento da glória do Senhor, como as águas cobrem o mar”. Hc. 2.14.

Graça e Paz!

A casa de Deus, lugar de glória

A casa de Deus, lugar de glória

A casa de Deus, lugar de glória“Eu amo, Senhor, a habitação de tua casa e o lugar onde tua glória assiste.” Sl. 26.8.

Deus é Espírito e Verdade (João 4.23). A casa de Deus é espiritual, portanto, cada alma/espírito que o Senhor elege, ou cada ser humano que convida o Senhor da Glória para habitar no seu interior, este lugar é a casa de Deus. Apoc. 3.20 – “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo”. A verdadeira casa de Deus é o âmago do espírito humano. Todo ser humano que tem o Senhor Jesus dentro de seu espírito, age de forma diferente daqueles que não O tem. Cada minuto, cada segundo, a pessoa deve agradecer a Deus as bênçãos recebidas até aquele momento. Por isso, a pessoa deve dedicar a Deus todo poder, toda honra e toda glória. Somente Ele pode todas as coisas eternamente.

Denominamos também como casa de Deus o lugar onde nos reunimos para adorá-LO em Espírito e Verdade “Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor” Sl. 122.1.  Este lugar é dedicado ao Senhor, especialmente, nos momentos em que há a adoração. Porque a casa de Deus verdadeira está dentro de cada um dos Seus adoradores. “… Porque o reino de Deus está dentro de vós” (Lc. 17.21b). Cabe cada um estar consciente da responsabilidade que lhe pesa nos ombros, e honrar o nome de cristão. Ser um servo de Deus é importantíssimo. A pessoa recebe as mais variadas bênçãos, e no porvir a vida eterna prometida por Ele a todos quantos se converterem ao Seu Santo e Bendito Nome, mas a pessoa tem obrigações para com o seu Senhor e Deus. Ter direito as bênçãos é muito bom, mas corresponder às obrigações também é muito válido. Não há direitos sem obrigações.

Algumas obrigações de uma pessoa para com Deus são: aceitar o convite do Senhor Jesus para que se converta a Ele, e caminhe juntamente com Ele; estudar a Palavra de Deus para crescer no conhecimento, crescer espiritualmente; meditar na Palavra diariamente, e por em prática a mensagem que ela tira da meditação; orar constantemente por si próprio, pela família e pelos muitos pedidos que são feitos constantemente; ter um testemunho impecável, porque um mau testemunho fala muito alto, além de ficar gravado no coração daquele que vê ou assiste o ocorrido, e  de ficar uma péssima impressão da pessoa que praticou tal erro. Portanto, todo ser que se diz cristão, tem a obrigação de imitar o seu Senhor e Mestre Jesus Cristo, o Justo.

A Palavra de Deus deve acompanhar todo aquele que se diz ovelha do Seu pastoreio. “Sabei que o Senhor é Deus; foi Ele quem nos fez, e dele somos; somos o seu povo e rebanho do seu pastoreio” Sl. 100.3. Porque a Palavra está sempre presente na vida de cada uma de Suas ovelhas. Somente assim a ovelha poderá caminhar firme e segura pelas sendas da vida. Deus não faz acepção de pessoa. Todas são importantes na Sua presença. Todas tem a mesma oportunidade de aceitar ou não a salvação que vem de Cristo Jesus. A decisão é pessoal e personalizada. Portanto, pesa no ombro de cada ser humano a decisão a proposta que o Senhor da Glória faz . Onde você passará a eternidade?

“Quanto a nós, teu povo e ovelhas do teu pasto, para sempre te daremos graças; de geração em geração proclamaremos os teus louvores” Sl. 79.13.

“Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor” Sl. 122.1.

Graça e Paz!