Browsed by
Mês: maio 2016

Pão da vida

Pão da vida

Jesus disse: “Eu sou o pão da vida” João 6.48.

Jesus caminhava com seus discípulos, e ensinava a Palavra de Deus. Multidão O cercava para ouvi-lO. Para aquelas pessoas era algo totalmente novo, desconhecido. Jesus disse que era o pão da vida. Em dado momento os discípulos perceberam que era hora de alimentação, mas era humanamente impossível conseguir pão àquela hora, nem em quantidade suficiente para todos os presentes. Daí recorreram a Jesus.

No Evangelho de João 6.1-15, encontramos o grande milagre de Jesus, que é o da multiplicação dos pães e dos peixes. Jesus usou a figura do pão porque era o alimento básico de todo ser humano da época. O pão ainda é o alimento principal na mesa de todas as pessoas. A palavra pão tomou um significado mais abrangente, isto é, pão engloba tudo que significa alimentação e manutenção de uma vida saudável.

Por ser um alimento indispensável, Jesus o usou como figura de linguagem para expressar a mensagem que Ele passaria aos seus seguidores. Quando Ele diz ser o pão da vida, Ele quer dizer que Ele é o principal alimento espiritual necessário para uma vida feliz, cheia de sucessos, de alegria. O peixe na época era também um alimento indispensável à mesa das pessoas. Por isso havia muitos pescadores na região. Há referência na Palavra de Deus, que desde o Egito o ser humano consumia muito peixe como alimento básico no dia a dia (Nm 11.5). O Senhor Jesus usou também a figura do pescador para expressar o valor do pregador da Palavra de Deus. Daí o símbolo o peixe para indicar o cristão ou o cristianismo.

Jesus é o pão da vida, alimento certo para toda alma imortal. Esse pão traz vida e vida em abundância. Naquele momento da multiplicação dos pães, Jesus demonstrou o quão grande é o seu poder, e que o pão que Ele dá é o suficiente para satisfazer todo ser humano da face da terra, e ainda sobra muito pão. Pensemos naquele povo ali assentado, num lugar tranqüilo e sendo alimentado pelo Senhor Jesus.

Eram tantas pessoas, mesmo que os discípulos quisessem comprar pães para todos, seria impossível. Daí a maravilha da graça de Deus. Todos comeram e se fartaram com a abundância de pães e peixes. Notamos o número de presentes ali no momento, cinco mil homens mais ou menos, homens de dezoito a sessenta anos, sendo que as mulheres, as crianças e os homens acima de sessenta anos não eram contados; então temos uma idéia de um número elevado de pessoas ali presentes.

O mais importante é que o pão da vida continua sendo distribuído a todo aquele que ouve a Palavra de Deus. Cada pessoa recebe o seu pedaço de pão para se alimentar espiritualmente. Cabe a cada um aproveitar o máximo esse pão que Jesus oferece gratuitamente para o seu alimento espiritual. A multidão estava lá, sentada na relva verde, esperando o seu pedaço de pão e peixe. O que cada um fez do seu pão e do seu peixe somente Deus sabe. Aquela multidão representava cada pessoa que ouviu e ouve a Palavra de Deus, e recebe o alimento espiritual, até o dia de hoje e o será eternamente.

A Palavra de Deus é o pão que cada um recebe, é também uma sementinha minúscula que, plantada no coração da pessoa, brota, cresce, dá flores, frutos, e permanece para sempre. Jesus mostrou claramente como é o Seu Reino. Lá há alimento espiritual para todos quantos O receberam e recebem em seus corações. Ainda há muito alimento a espera de quem quiser recebê-lo, ainda há doze cestos de pães e peixes. A Palavra de Deus se multiplica rapidamente e faz um bem enorme ao coração de todo aquele que n’Ele crê.

Sinta a presença de Jesus, e espere pelo alimento que Jesus Cristo vai servir. Alimente-se bem com a Palavra de Deus. Firme seus passos. Viva feliz com paz e harmonia na alma. Esse alimento é o que há de melhor a ser servido. Disse Jesus: “Fazei o povo assentar-se; pois havia naquele lugar muita relva. Assentaram-se, pois, os homens em número de quase cinco mil” João 6.10. Além das mulheres, crianças e homens com mais de sessenta anos.

“Jesus disse: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede” João 6.35.

Graça e Paz!