Browsed by
Mês: dezembro 2016

Fogo

Fogo

“Apareceu-lhe o Anjo do Senhor numa chama de fogo, no meio de uma sarça; Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo e a sarça não se consumia” Êx 3.2.

A palavra fogo nos transmite um significado muito forte, ora é algo apavorante, destruidor, queima, elimina, ora é muito benéfico, quando usado para cozer os alimentos, purificar objetos, como o ouro, a prata, proteger do frio, afastar animais ferozes na selva, pois o seu brilho, a sua luz, ofusca a visão dos animais, aquece em épocas frias, enfim, fogo faz parte da vida, não podemos nos desvencilhar dele. Mas o seu significado mais profundo é a essência do Deus vivo. Desde o início da Palavra de Deus encontramos o Senhor se manifestando através do fogo (Dt 4.12). Como podemos ver no versículo acima, o Senhor Deus se manifestou pela primeira vez numa chama de fogo. Assim o Senhor se manifestou ao povo de Israel. Também lemos que o Senhor Deus guardou este mesmo povo quando o guiava pelo deserto, a caminho da terra prometida.

Em Êxodo 13.21, encontramos o Senhor protegendo o Seu povo de dia com uma coluna de nuvem, e a noite com uma coluna de fogo. O Senhor Deus estava com o seu povo dia e noite. “O Senhor ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para guiá-los pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para alumiá-los, a fim de que caminhassem de dia e de noite!” “Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite” Êx 13.21,22. Assim, o Senhor as conserva até os dias atuais com o Seu povo. O Seu povo conta com uma coluna de nuvem de dia para protegê-lo das ciladas do inimigo das almas imortais, e uma coluna de fogo à noite para que não tropece e caia nas armadilhas do inimigo. Todo convertido ao Senhor Jesus tem essa proteção maravilhosa.

“Deus é fogo consumidor” Hebreus 12.29. Destrói o mau caráter, a mentira, o cinismo, a maldade, a concupiscência, a desonestidade, prostituição, a embriaguês, a falsidade, a inveja, enfim, tudo aquilo que emperra e impede a alma de se aproximar de Deus. O fogo de Deus é maravilhoso, purifica a alma tornando-a como o mais fino metal precioso. Ele trará vida em abundância, quando a pessoa é tocada pelo Santo Espírito de Deus, e ela O recebe de coração aberto e alegre. Ela cresce espiritualmente, e o crescimento espiritual transforma a pessoa sempre para melhor. Onde o Senhor Deus habita, o fogo é constante e maravilhoso. Deus é fogo consumidor e protetor. Ele limpa, purifica e protege a alma de quem caminha com Ele. Esse fogo é maravilhoso demais na vida de quem o possui.

E Eliseu orou: “Senhor, peço-te que lhe abras os olhos para que veja. O Senhor abriu os olhos do moço, e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu” 2 Rs 6.17.

 

Graça e Paz!

Esperança

Esperança

“E o Deus da esperança vos encha de todo gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo” Rm 15.13.

Todo ser humano vive mergulhado na esperança de dias melhores em todos os sentidos.  Mas, o que menos conta na atitude humana é a esperança espiritual. Quase não ouvimos alguém se referir à importância espiritual na vida de alguém. Muitas vezes quando nos referimos a qualquer assunto com respeito ao espiritual, notamos que poucas pessoas ouvem ou se interessam, até parece que elas acham que Deus está distante e incomunicável. O que ninguém ou quase ninguém sabe é que todo ser humano tem um lugar reservado no coração, que deve ser preenchido com a presença do Senhor que é dono desse órgão, não órgão físico, mas órgão espiritual. Quando o Senhor ocupa o Seu lugar na vida de uma pessoa, essa vida é totalmente diferente das demais do grupo ou da sociedade em que ela vive.

A esperança é algo maravilhoso na vida de uma pessoa. Mesmo quando ela está num leito sem expectativa de cura, ela tem esperança de sair dali e realizar muitos sonhos idealizados. Mas, a verdadeira esperança deve ser espiritual, porque a pessoa que tem essa preocupação, busca, procura e coloca a sua vida de acordo com a necessidade verdadeira. Somente Jesus pode alimentar e estruturar a verdadeira esperança para o ser humano. Ele é porto seguro para todos que O recebem em seus corações (Ap 3.20). Uma vida repleta de esperança divina é uma vida rica espiritualmente (João 1.12).

A esperança é a verdadeira riqueza, porque ela nutre, fortalece, desenvolve na pessoa a vontade de vencer, de conseguir algo imaginado ou planejado antecipadamente. A verdadeira esperança está em Jesus Cristo, porque somente Ele pode oferecer a esperança viva. Isto é, uma esperança que transcende qualquer expectativa humana, porque é esperança de uma vida rica espiritualmente, frutífera, aqui e, no futuro vida eterna juntamente com o Senhor Jesus. É um retorno ao lar celestial para todo aquele que se decidir caminhar com o Senhor Jesus aqui e agora. “… por causa da esperança que vos está preservada nos céus, da qual antes ouvistes pela palavra da verdade do evangelho” Cl 1.5.

“Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” 1 Pe 1.3.

Graça e Paz!

Quanto vale a Palavra de Deus?

Quanto vale a Palavra de Deus?

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus” Ef 2.8

A Palavra de Deus é de um valor inestimável, incalculável  a qualquer avaliação. Por mais que queiramos dimensioná-la não conseguimos, porque o seu valor excede a todo e qualquer intento de limitar o seu alcance, o seu efeito, seu poder. A Palavra de Deus é a essência que nos alimenta espiritualmente, e por consequência, fisicamente. Porque se há saúde espiritual em abundância, logo, a saúde física, material, também ganha muito com esse efeito.

A Palavra de Deus supre todas as necessidades espirituais de uma pessoa. Por mais carência do alimento espiritual, que exista na vida de alguém, a Palavra de Deus é o verdadeiro pão da vida. Jesus disse: “Eu sou o pão da vida” (João 6.48). Jesus é o Pão da Vida, Ele alimenta, supre as necessidades de  paz, alegria, bem estar, harmonia, amizade, amor. A Palavra de Deus é perfeita para a condução da vida humana.  A Palavra de Deus revigora, fortalece, e a vida se torna aprazível, a toda pessoa que se encontra enfraquecida espiritualmente. “Quanto ao mais,  sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder” Ef 6.10. Vidas enfraquecidas pelo embate do dia a dia, e a falta do alimento espiritual, o qual, as pessoas raramente cuidam para que não falte, ou não se preocupam, acham desnecessário.  O Senhor tem o elixir que muda totalmente as características espirituais de uma pessoa.

A Palavra de Deus oferece paz, perdão, resolve problemas (Sl 37.5). Uma pessoa pode estar atormentada espiritual ou emocionalmente, mas esta palavra maravilhosa coloca tudo no seu devido lugar, como e porque só o Senhor das almas imortais pode fazê-lo. “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize (João 14.27). A Palavra de Deus ressuscita o espírito morto em seus delitos e pecados (Rm 6.23). O espírito ressurreto pela Palavra de Deus tem vida, e vida em abundância, (Jo 5.24) (Jo 11.25), (Ap 21.6),porque a promessa que o Senhor Jesus fez é que quem O recebe como seu único e suficiente salvador pessoal tenha vida e a tenha em abundância João 10.10b).”Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus” João 3.36.

A Palavra de Deus oferece sabedoria “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; revelam prudência todos os que o praticam. O seu louvor permanece para sempre” (Sl 111.10). A sabedoria é o principal ponto para que a pessoa conheça e viva a Palavra de Deus. A sabedoria aumenta sempre, e nunca retrocede, pois através dela a pessoa cresce espiritualmente.  Sua vida se torna cada vez melhor em todos os sentidos, e a paz que excede todo entendimento faz morada no coração sábio. A pessoa deve buscar a sabedoria para o seu próprio bem. Sabedoria não é conhecimento.  A sabedoria não é adquirida da mesma forma que é adquirido o conhecimento. Ela é dom de Deus. A pessoa pode ter muito conhecimento e não ter sabedoria alguma. O conhecimento pode ser farto, mas a sabedoria é escassa. A verdadeira sabedoria vem alto do Pai das luzes. “A sabedoria, porém, lá do alto é, primeiramente, pura; depois, pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimento” Tg 3.17.

“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” João 14.27,

“Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” 1 Pe 2.9.

Graça e Paz!

O banquete de Levi

O banquete de Levi

Jesus disse: “Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes” Lc. 5.31.

Levi ofereceu um grande banquete a Jesus em sua casa,  onde numerosos publicanos e outros estavam com ele à mesa. Os fariseus e seus escribas murmuravam contra os discípulos de Jesus, perguntando: Por que comeis e bebeis com os publicanos e pecadores? Lc 5.30. Isto acontecia porque os fariseus e os escribas se consideravam acima da lei, acima de tudo e de todos, extremamente justos, religiosos, de um procedimento intocável, ou seja, eram os santos da época. Eles se achavam no direito de criticar até o Senhor Jesus. Eles estavam acima do Senhor. Não admitiam que pessoa alguma contrariasse seus ensinamentos, suas orientações.  Mas, Jesus respondeu à altura, sem se preocupar com  a visão deles sobre o que estava acontecendo. Disse a eles que os sãos não precisavam de médico, e sim os doentes. Se eles eram perfeitos, sem mácula, sem pecado, sem restrição alguma, não precisavam  do Senhor Jesus em suas vidas. Só de criticar e julgar alguém, no caso, os discípulos e o próprio Jesus, que é o próprio Deus, já estavam pecando. Mas eles se consideravam intocáveis espiritualmente..

Jesus disse também que não veio chamar justos, e sim pecadores ao arrependimento (Lc 5.32). Porque aquelas pessoas que o criticavam se consideravam os maiorais em tudo, eram seus próprios deuses. Daí, Jesus considerar que eles não precisavam de perdão, de salvação, uma vez que eles possuíam seu próprio reino. Jesus disse que veio chamar pecadores ao arrependimento, e através do arrependimento a salvação eterna. Todo aquele que reconhece que sozinho não consegue chegar à vida eterna salvo, Jesus o salvará. Jesus tem o lugar preparado para todo aquele que n’Ele crê (João 14.2,3). Nos dias atuais encontramos muitos fariseus que se consideram acima da Palavra de Deus, que não creem que Jesus é o Senhor de tudo e de todos. Valorizam tudo que é material, físico, orgânico,  menosprezando o que é Verdadeiro. Essas pessoas preparam o seus próprios caminhos, e  não poderão reclamar depois. A chance de salvação é aqui, agora, enquanto há vida. “… pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” Rm 3.23. O Senhor Jesus veio chamar pecadores ao arrependimento, mas Ele respeita a decisão de cada um. A decisão é pessoal e personificada. Não há possibilidade de uma pessoa decidir por outra, por isso, cabe a cada ser humano decidir para onde quer ir após esta vida.

“… Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida” João 8.12.

Graça e Paz!

Natal

Natal

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” Is. 9.6.

Luzes, brilhos, músicas, presentes, vozes alegres, preocupações com as festas a serem realizadas, preocupações diversas, tudo leva a uma pseudo alegria, tudo está pensado e reservado na área material.  A atenção material toma todo o tempo de uma pessoa, muito mais na época do Natal. Se as preocupações se voltassem para a área espiritual, tudo seria diferente, o mundo seria diferente. A mensagem seria diferente. A verdadeira luz, o verdadeiro brilho, a verdadeira música estão unicamente na pessoa do Senhor Jesus. Ele é a Luz “… Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas; pelo contrário, terá a luz da vida” João 8.12. “E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus; muitos verão essas cousas,  temerão e confiarão no Senhor” Sl 40.3.

Jesus nasceu fisicamente em uma estrebaria, onde não havia o mínimo de assistência, nem pessoas próximas para alegrar-se com o Seu nascimento. O lugar era extremamente rude, de difícil acesso, onde o ser humano não iria à noite visitar um recém nascido sem um nome que lhe apresentasse. Não houve brilho algum, nenhum cântico humano, nenhuma festa, nenhum desejo de felicidades. Mas houve festa no céu. Os anjos entoaram o mais belo hino dedicado ao Senhor Menino: “Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem Ele quer bem” Lc 2.14. O povo que estava reunido na cidade era ocupado demais para notar o nascimento do Menino. Até o dono da hospedaria não observou o casal que estava  prestes a receber o nascimento de um bebê, e mandou-o para a estrebaria, onde os animais repousavam com muito frio. O povo não ouviu a música nem viu a grande estrela que apareceu no céu. Mas, alguns pastores que cuidavam do rebanho na calada da noite viram a estrela e ouviram a linda música como mensagem vinda do céu. Atenderam e entenderam a grande mensagem vinda do céu. E foram ter com o Menino e adorá-Lo.

Tudo ocorreu como profetizava a Palavra de Deus. O lugar rude, sem condições de nascimento de uma criança, sem a presença de pessoas, somente a presença de Maria e José, indica e representa o coração/espírito humano, em que são todos iguais perante Deus, desde o menor até o maior. Quase todos ignoram o valor espiritual do nascimento de Jesus. Deus não faz acepção de pessoas (Rm 2.11). A manjedoura caracteriza bem o procedimento, o viver humano. Tudo que se refere à área espiritual fica de lado, abandonado ou em último lugar, ignorando a verdadeira Luz do mundo. O verdadeiro brilho, a luz, verdadeira alegria estão no nascimento do Senhor Jesus no coração que o recebe como o seu único e suficiente Salvador Pessoal. A verdadeira festa ocorre no coração de todo salvo por Jesus. Porque a salvação é eterna. A festa é eterna.

“E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade” Mq 5.1. Não foi um nascimento qualquer, foi o nascimento do Rei dos reis, do Senhor dos senhores. O Profeta Miquéias escreveu com exatidão sobre a vinda do Senhor Jesus, 700 anos antes de Sua vinda. Tal qual ele escreveu, assim aconteceu. Cumpriu-se integralmente esta profecia.  Nasceu Jesus, sem a mínima assistência, mas para se cumprir as Escrituras que se referiam ao Seu nascimento.  Ali estava à verdadeira Luz que viria ao mundo para iluminar a vida de todos quantos O recebessem. Aquele menino era e é o próprio Deus que se fez carne e habitou entre nós “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” João 1.14.

“O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más” João 3.19.

Graça e Paz!