A incredulidade dos irmãos de Jesus

A incredulidade dos irmãos de Jesus

A incredulidade dos irmãos de Jesus 1João 7.1-9.

Jesus andava por todas as regiões levando a palavra de vida eterna. O ministério de Jesus era muito valioso, com curas das mais variadas enfermidades, abria os olhos aos cegos, os ouvidos aos surdos, aos paralíticos fazia-os andar, pregava a Palavra de Deus a toda criatura, sem acepção de pessoas. Os seus irmãos nutriam uma inveja velada, e não perdiam oportunidade de tentá-lo. “Jesus andava pela Galiléia, porque não desejava percorrer a Judéia, visto que os judeus procuravam matá-lo ”v 1.

“Ora, a Festa dos judeus, chamada dos Tabernáculos, estava próxima” v.2. “Dirigiram-se, pois, a ele os seus irmãos e lhe disseram: Deixa este lugar e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes. Porque ninguém há que procure ser conhecido em público e, contudo, realize os seus feitos em oculto. Se fazes estas cousas, manifesta-te ao mundo” vs. 3,4, “Pois nem mesmo os seus irmãos criam nele” v. 5.

Os irmãos de Jesus agiam como o povo em geral da época. Queriam expor a Jesus ao público, porque sabiam que o povo procurava matá-lo. Principalmente os maiorais do judaísmo. Jesus pregava a verdade, o que era necessário para a salvação das almas imortais. Os seus irmãos eram tão ignorantes da Palavra quanto os demais cidadãos da época, e tão invejosos também. Falar para Jesus mostrar os sinais que Ele fazia aos seus discípulos, não era necessário, pois se Ele tinha discípulos é porque O acompanhavam, e também viram os sinais. Ninguém tem discípulos se não fizer nada de extraordinário. Mostrar os sinais ao público, não era necessário, porque Jesus andava por todos os lugares pregando, curando, realizando os mais variados sinais. E se Ele quisesse, Ele acabaria com qualquer dúvida, qualquer crítica, qualquer inveja.

Mas o Senhor Jesus foi complacente com Seus irmãos, e respondeu-lhes: “O meu tempo ainda não chegou, mas o vosso sempre está presente” v. 6. “Não pode o mundo odiar-vos, mas a mim me odeia, porque eu dou testemunho a seu respeito de que as suas obras são más” v. 7. Jesus alerta os seus irmãos de que o Seu tempo ainda não chegou, mas que o tempo deles sempre estava presente, porque Jesus tinha um ministério a realizar no tempo certo. Enquanto não chegasse o momento, nada se realizaria. Quanto aos Seus irmãos o tempo sempre estava presente, porque eles não sabiam o que aconteceria num futuro bem próximo.

Através desse diálogo com os Seus irmãos, Jesus nos ensina que aquele que recebê-lo em seu coração/alma/espírito sabe o que acontecerá com o seu presente e o seu futuro. Com Jesus tudo acontece no momento certo, no lugar certo, sempre em Sua companhia. Cuidados e abençoados por nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Mas os que procuram denegrir a pessoa do Senhor Jesus, o seu tempo está sempre presente. A qualquer momento o inimigo das almas imortais está pronto a atacar. Os irmãos de Jesus estavam tão perto d’Ele, conviviam com Ele, mas não creram n’Ele. Tiveram uma oportunidade de ouro de serem salvos pelo Senhor, e continuarem na presença d’Ele nas mansões celestiais.

Jesus disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” João 14.6.

“Aquele não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor” 1 João 4.8.

Graça e Paz!

Comments are closed.