A entrada triunfal de Jesus em Jerusalém

A entrada triunfal de Jesus em Jerusalém

Jumentinho  2Jesus estava com seus discípulos a caminho de Jerusalém, e  ao aproximar-se de Betfagé e de Betânia, junto ao monte das Oliveiras, disse a dois de Seus discípulos: “Ide à aldeia fronteira e ali, ao entrardes, achareis preso um jumentinho que jamais homem algum montou, soltai-o e trazei-o”  Lc 19.30.  Os discípulos argumentaram que se o dono dele não aceitasse, Ele lhes disse: “Diga que o Senhor precisa dele”. Seus discípulos fizeram como Jesus lhes ordenara, e encontraram o jumentinho, e ao desamarrá-lo seus donos os contestaram, mas eles fizeram como o Senhor os havia instruído.

Assim, trouxeram o jumentinho ao Senhor. Ele prosseguiu viagem montado no jumentinho. Jumentinho é um animalzinho muito teimoso, quando ele empaca num lugar, ninguém consegue retirá-lo dali, e o jumentinho que nunca foi montado, ninguém consegue montar ou ficar em cima dele por algum tempo. Jesus estava fazendo analogia do jumentinho com as pessoas de maneira geral, que nunca se deixaram dominar pelo Rei da Glória. Somente depois do toque do Espírito Santo de Deus, isto é, somente depois que Jesus os envolve com Seu poder, as pessoas se tornam dóceis como aquele jumentinho que entrou com Jesus em Jerusalém (Jerusalém significa Cidade Santa). O jumentinho por mais rebelde que fosse se tornou muito manso, e levou o Senhor Jesus à Jerusalém.

Ao entrar em Jerusalém, e aproximando-se do monte das Oliveiras, toda a multidão passou jubilosa, a louvar a Deus em alta voz, por todos os milagres que tinham visto. “Bendito é o Rei que vem em nome do Senhor! Paz no céu e glória nas maiores alturas! Lc 19.38. Assim, era transmitida a mensagem que Jesus Cristo era o Rei.

Outra mensagem era: O Senhor precisa dele (do jumentinho). Quando Jesus se refere a si próprio, refere-se como Juiz (Deus, Supremo Juiz), e não como filho do homem (ou seja, 100% homem e 100% Deus). A mensagem: Diga que o Senhor precisa dele – isto é, Jesus é Senhor de tudo e de todos, não há contestação, não há mudança, o Senhor ordena, o Senhor é Rei, é Juiz. Esta passagem bíblica mostra Jesus referindo ao Seu Reino vindouro, e ao Seu julgamento – Ele é Juiz.

A próxima vinda do Senhor será como Juiz, e não mais como filho do homem, nascer numa manjedoura, crescer como carpinteiro, realizar um ministério de milagres, morrer numa cruz, derramar Seu sangue para a salvação de todo aquele que nEle crê. A vinda gloriosa do Senhor Rei e Juiz será maravilhosa. Os salvos e bem-aventurados encontrarão com o Senhor nos ares, e ganharão as bênçãos prometidas por Ele. Caso contrário, a pessoa sofrerá as penalidades constantes na sua Palavra.

As pessoas colocaram vestes, folhas, ramos e flores no caminho, por onde Jesus ia passar, e gritaram: Hosana nas maiores alturas!  Aquele mesmo povo, dias mais tarde, gritou: crucifica-o, crucifica-o. Quando ao povo foi dado escolher entre Cristo e Barrabás (Cristo representava a salvação, a vitória do homem sobre o pecado, a alegria de ser salvo da condenação eterna, as bênçãos maravilhosas que Ele tem para dar). Ao passo que, Barrabás representava o pecado, o homicida, o ladrão, o corrupto, o sem escrúpulos, os sem caráter, estava preso e condenado.  O povo mesmo assim escolheu Barrabás. Continua escolhendo Barrabás, no seu dia-a-dia. É bem mais fácil ficar com Barrabás, nada é proibido, tudo é lícito ao homem comum.

Assim, o Senhor da Glória nos transmitiu a sua mensagem: antes não éramos povo, éramos rebeldes, “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;/ vós, sim, que, antes, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia” 1 Pe 2.9,10. Deixamos de ser jumentinhos teimosos, indomáveis, mas agora somos mansos (mansos – aqueles que aceitam de bom grado a Palavra de Deus, que reconhece que por si só não conseguem agradar a Deus) e, como aquele jumentinho, aceitamos a ordem, o envolvimento, a proteção, o amor, as bênçãos do Senhor, e  em paz entraremos na mansão celestial preparada para os salvos e bem-aventurados.

Graça e Paz!

Comments are closed.