A explicação da incredulidade dos judeus

A explicação da incredulidade dos judeus

A explicação da incredulidade dos judeusJoão 12,37-50

Jesus caminhava pelas cidades circunvizinhas de Jerusalém fazendo grandes sinais, pregando a Palavra de Deus, mas os judeus não creram, apenas criticavam-no. Mas tudo isso acontecia para que se cumprisse o que o profeta Isaías disse: “… senhor, quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor?” Is. 53.1. Por isso, não podiam crer, porque Isaías disse ainda: “Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração, para que não vejam com os olhos, nem entendam com o coração, e se convertam, e sejam por mim curados” v. 40;  Is. 6.10.

“Contudo, muitos dentre as próprias autoridades creram n’Ele, mas, por causa dos fariseus, não O confessavam, para não serem expulsos da sinagoga; porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus.” v. 42, 43. Muitos judeus e muitos fariseus creram em Jesus, mas não quiseram confessá-lo por medo de perseguição, de expulsão da sinagoga (lugar de reunião). A glória dos homens é bem atraente, oferece muito mais grandeza, enfim, o mundo tem ótimos tesouros para aqueles que gostam e se adaptam a ele. Mas tudo que é do mundo é passageiro e enganoso, o fim de tudo é tristeza, resultado do pecado, tudo termina mal.

O resumo do ensino de Jesus é maravilhoso, porque uma pessoa recebe uma pequenina semente (Palavra de Deus), ela nasce, cresce, se fortalece e dá muito fruto. É um crescer constante, à medida que o tempo passa há um enriquecimento espiritual acumulativo. Tudo que recebemos de espiritual é riqueza depositada e segura no céu.  “Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem correm e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam”  Mt. 6.19,20.

Atualmente acontece a mesma questão em relação a Jesus. Muitos querem crer n’Ele, mas os cuidados do mundo incrédulo, não lhes permitem tomar uma preciosa decisão. Decisão essa que traz bem-estar, alegria, segurança, amor, mas sempre aparece aquele que arranca a sementinha (Palavra de Deus) e semeia dúvidas, discórdias, críticas, fofocas, e a pessoa fica pior do que antes. Muitas vezes tomada pela depressão, desânimo, indolência, que é a falta de vontade de viver.

Há pessoas à beira do abismo espiritual, mas que não querem ouvir sobre a preciosa Palavra de Deus. Quando a pessoa ouve de bom grado, e se interessa pela Palavra de Deus, pela oração, pela meditação, quase sempre ela se torna uma nova criatura. Ela se sente muito bem, porque a Palavra de Deus não volta vazia, antes faz o que apraz a Deus. “… assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei” Isaías 55.11.

“Quão formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia cousas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina!” Isaías  52.7.

Graça e Paz!

Comments are closed.