A fornalha de fogo ardente

A fornalha de fogo ardente

Fornalha de fogo ardenteDn. 3.1 a 30.

Nabucodonosor era um rei muito poderoso, e se julgava um deus. Resolveu fazer uma grande imagem de ouro, de sessenta côvados de alto, e seis de largo. Levantou-a no campo de Dura, na província da Babilônia. Nabucodonosor ordenou que se ajuntassem todos os sátrapas, os prefeitos, os governadores, os juízes, os tesoureiros, os magistrados, os conselheiros e todos os oficiais das províncias, para que viessem à consagração da imagem que ele havia levantado. Todos estavam presentes na consagração da imagem.

“… o arauto do rei apregoava em alta voz: Ordena-se a vós outros, ó povos, nações e homens de todas as línguas: no momento em que ouvirdes o som da trombeta, do pífaro, da harpa, da cítara, do saltério, da gaita de foles e de toda sorte de música, vos prostrareis e adorareis a imagem de ouro que o rei Nabucodonosor levantou. Qualquer que se não prostrar e não adorar será, no mesmo instante, lançado na fornalha de fogo ardente”. Vs. 4, 5, e seis. Quando estavam todos reunidos como o rei ordenara, chegaram alguns homens caldeus e acusaram os judeus: Sadraque, Mesaque e Abede-Nego de não obedecerem à ordem do rei. Também lembraram ao rei do decreto que ele havia baixado que qualquer que não se prostrasse diante da imagem seria lançado na fornalha de fogo ardente. Os mexeriqueiros ainda lembraram ao rei que eram aqueles judeus que o rei havia constituído sobre os negócios da província da Babilônia, que se recusaram a atender aquela ordem do rei.

O rei irou-se, e furioso, mandou chamar Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. E trouxeram estes homens perante o rei. Falou Nabucodonosor e lhes disse: “É verdade, ó Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que vós não servis a meus deuses, nem adorais a imagem de ouro que levantei?” v.14. O rei tentou convencê-los, mas eles se mantiveram firmes para com o seu Deus, e responderam: “Ó Nabucodonosor, quanto a isto não necessitamos de te responder. Se o nosso Deus, a quem servimos, quer livrar-nos, ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e de tuas mãos, ó rei. Se não, fica sabendo ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a imagem de ouro que levantaste” v. 18.

Nabucodonosor se encheu de fúria e, transtornado o aspecto do seu rosto, ordenou que se acendesse a fornalha sete vezes mais do que se costumava. Ordenou aos homens mais poderosos do seu exército que atassem a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego e os lançassem na fornalha de fogo ardente. Eles foram atados com os seus mantos, suas túnicas e chapéus e suas outras roupas e foram lançados na fornalha sobremaneira acesa. A fornalha estava tão quente que os homens que os lançaram morreram devido ao calor excessivo.

Para a grande surpresa do rei não aconteceu o esperado “… o rei Nabucodonosor se espantou, e se levantou depressa, e disse aos seus conselheiros: Não lançamos nós três homens atados dentro do fogo? Responderam ao rei: É verdade, ó rei”. V. 24.  Tornou o rei e disse: “Eu, porém, vejo quatro homens soltos, sem nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses” v. 25.  O rei chegou à porta da fornalha sobremaneira acesa, falou e disse: “Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, servos do Deus Altíssimo, saí e vinde! Então, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego saíram do meio do fogo” v. 26.

Todos os presentes se ajuntaram e viram “… que o fogo não teve poder algum sobre o corpo destes homens; nem foram chamuscados os cabelos de sua cabeça, nem os seus mantos se mudaram, nem cheiro de fogo passara sobre eles” v.27.

Falou Nabucodonosor e disse: “Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que enviou o seu anjo e livrou os seus servos, que confiaram n’Ele, pois não quiseram cumprir a palavra do rei, preferindo entregar o seu corpo, a servirem e adorarem a qualquer outro deus, se não ao seu Deus. Portanto, faço um decreto pelo qual todo povo, nação e língua que disser blasfêmia contra o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego seja despedaçado, e as suas casas sejam feitas em monturo; porque não há outro Deus que possa livrar como este. Então, o rei fez prosperar a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego na província da Babilônia” v. 28, 29 e 30.

Quantas vezes as pessoas estão atadas dentro da fornalha de fogo ardente da vida, e se essas pessoas clamarem a Jesus, Ele certamente estará junto, socorrendo, fazendo com que esse fogo não chamusque os cabelos, nem queime as suas vestes, nem cheiro algum de fogo fique no corpo das pessoas que entregam as suas vidas ao Senhor Jesus. Assim como aqueles três servos de Deus contaram com a presença do Anjo do Senhor (Jesus), os servos atuais também tem a mesma proteção, a mesma presença em suas vidas, basta confiar.

Graça e Paz!


Comments are closed.