A Transfiguração

A Transfiguração

transfiguração 1Lucas  9.28-36 – “… viram a Sua glória e os dois varões que com Ele estavam”.

Jesus tomou consigo a Pedro, Tiago e João, subiu ao monte com o propósito de orar. Enquanto Ele orava, sua aparência ia mudando, seu rosto se transfigurou e suas vestes resplandeceram de brancura. Eis que dois varões falavam com Ele: Elias e Moisés, os quais apareceram em glória e falavam de Sua partida, que Ele estava para cumprir em Jerusalém.

Pedro, Tiago e João não entenderam o que estava acontecendo. No momento estavam sonolentos, mas mantinham-se acordados. Viram a Sua glória e os dois varões que com Ele estavam. Como não entenderam do que se tratava, Pedro disse: “Mestre, é bom estarmos aqui; então, façamos três tendas; uma será tua, outra de Moisés, e outra, de Elias, não sabendo, porém, o que dizia” v.33b.  Enquanto assim falava, veio uma nuvem e envolveu a Elias e Moisés, e os levou.  Pedro, Tiago e João ficaram  amedrontados com o acontecido. E da nuvem saiu uma voz,  que disse: “Este é o meu Filho, o meu eleito; a Ele ouvi” v 35. Depois deste acontecimento ficaram apenas Jesus e os três, mas eles calaram-se, e não contaram a ninguém.

Os três não entenderam que o Senhor Jesus estava mostrando como é maravilhoso o Seu reino. Reino de Glória, e de Luz. Mostrou também que há vida depois da morte. Elias e Moisés viveram aqui na terra há quantos anos antes de Jesus (fisicamente). Eles vieram ter com Jesus, e falar sobre a Sua  partida que fora profetizada.

Pedro, Tiago e João reconheceram que eram Elias e Moisés. Nós podemos raciocinar que vamos encontrar nossos pais, parentes, conhecidos e  amigos, reconhecê-los e ficarmos com eles eternamente. Meditando sobre a nova Jerusalém (cidade santa)- (Ap 21.9-27) v 27 “Nela, nunca jamais penetrará cousa contaminada, nem o que pratica abominação e mentira, mas somente os inscritos no livro da vida do Cordeiro”.

“Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro”. “No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês e mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos” Ap 22.1,2.

Comments are closed.