Browsed by
Autor: Jandira Vallesquino

A bênção da união fraternal

A bênção da união fraternal

Sl. 133.

O salmo 133 foi escrito por Davi, rei de Israel. É um salmo de romagem ou peregrinação.  Quando os judeus iam ao templo cultuar a Deus, iam cantando e louvando com salmos. Os salmos eram memorizados, porque na época não havia a letra escrita ou impressa com a facilidade de hoje, para se adquirir uma cópia. O povo caminhava em grandes grupos cantando alegremente ao Senhor Deus. O salmo 133 passa a mensagem de confraternização e união perfeita. O rei Davi desejava que a união fosse boa, formosa, magnífica, preciosa ao povo de Israel. Os benefícios da união fraternal eram mui agradáveis, prazerosos, tanto coletiva como individualmente. A conclusão era que não deveriam dispensar as bênçãos da união fraternal, na família sanguínea ou na família espiritual.

Davi faz comparação com o óleo! “É como o óleo precioso…”. O óleo precioso era aromático, preparado segundo orientação de Deus. Era composto de mirra, cinamomo odoroso, cálamo aromático, cássia e de azeite de oliveira. Era usado para fins específicos, segundo orientação rígida do Senhor Deus (Êxodo 30.22-38). Era trabalho de arte do perfumista. Tinha a finalidade medicinal ou para ungir e consagrar o sacerdote. O sacerdote ungido se tornaria o elo entre o povo e Deus. Arão foi separado e ungido (Êxodo 40.13-15). O óleo derramado sobre a sua cabeça indicava consagração e proteção da mente, e o óleo sobre as vestes simbolizavam pureza e santidade – vestes limpas diante de Deus, isto é, vestes espirituais. Era expressamente proibido o perfumista ou outra pessoa qualquer fazer esse óleo ou dele fazer uso comum. A pessoa que assim o fizesse perderia a vida imediatamente, porque o Senhor assim o determinou.

Davi ainda faz comparação com o orvalho “É como o orvalho…”. Geograficamente o monte Hermom ficava distante do Monte Sião (cerca de 200 km ao norte de Jerusalém, com uma altitude de 2.814 m. tendo o seu cume coberto de neve, enquanto as terras ao redor eram causticantes devido ao sol de verão. O verdadeiro sentido do monte Hermom é a altitude do nível espiritual de uma pessoa, e o orvalho é o resultado dessa vida. Orvalho é muito bom, é um sereno fresquinho ou gotículas de água, que alegram e alimentam as plantas, assim é o orvalho espiritual – ele refrigera, acalma, consola e alimenta a alma ressequida pelo mau tempo espiritual. É o orvalho da graça de Deus. Quanto mais alto o Monte Hermom de uma vida, mais orvalho (bênçãos) sai em decorrência disso. É impossível medir a altitude de uma vida espiritual, nem as bênçãos decorrentes dela, daí, o verdadeiro sentido do salmo 133. Se a mensagem estivesse só na altura do monte, ou na neve que está por cima dele ou no orvalho que desce dele, não haveria sentido de estar relatado na Palavra de Deus. O salmista dá um sentido espiritual maravilhoso à sua geração e às gerações vindouras. Se a comparação fosse só física seria impossível o orvalho descer 200 km até o outro monte. No sentido espiritual o orvalho representa as bênçãos do Senhor na vida de uma pessoa, e que as bênçãos não têm extensão definida, vão muito além de 200 km.

No Novo Testamento somos um povo de sacerdotes (1 Pe 2.9). Cada cristão tem a mesma responsabilidade de um sacerdote, ungido com o sangue de Cristo e o poder de Deus, para ser íntegro valioso na presença do Senhor. A responsabilidade passou a cada ser humano, e deixou de ser apenas àquele sacerdote específico relatado no Velho Testamento. O óleo representa a presença do Espírito Santo promovendo a união fraternal na Igreja e na vida do seu povo.

“Serei para Israel como orvalho, ele florescerá como o lírio…” Oséias 14.5.

Criador e Redentor

Criador e Redentor

“Virá o Redentor a Sião e aos de Jacó que se convertam, diz o Senhor” Is. 59.20.

Deus é Criador de tudo e de todos. Deus criou o ser humano para viver no paraíso e na presença d’Ele, mas desobedeceu a vontade de Deus, e foi expulso de um lugar maravilhoso criado única e exclusivamente para ele. Não valorizou o amor que Deus dedicou a ele. Com a expulsão do ser humano do paraíso, aconteceu a separação entre Deus e o homem. Essa separação tem como consequência os mais variados tipos de problemas presentes na vida de uma pessoa. Deus preparou um antídoto a essa desobediência e separação. Deus preparou um Redentor (aquele que redime), Jesus Cristo. Desde o princípio Jesus Cristo foi anunciado, e no tempo previsto por Deus, Ele veio em forma humana e realizou tudo o que fora predito pelos Profetas. Jesus Cristo é redentor. Redentor é aquele que resgata uma dívida de alguém.

Resgatar uma dívida de alguém é pagar o que a pessoa deve, e livrá-la daquele compromisso. Consta no Antigo Testamento a lei do resgate. Se alguma pessoa contraísse uma dívida, e não tivesse como saudá-la, e perdesse seus bens ou terras, uma pessoa da família deveria fazê-lo.   Era uma lei ou obrigação não permitir que um parente sofresse as consequências de uma dívida. Há o relato acontecido com Noemi no livro de Rute. Noemi partira com o marido Elimeleque e os dois filhos, abandonando suas terras, e foram para um lugar distante. Os anos se passaram e Elimeleque morreu. Anos depois os dois filhos também morreram. Noemi ficara sozinha e desamparada, então, resolvera retornar à sua terra natal, e uma de suas noras, Rute a acompanhara. Noemi voltara sem condições de se manter financeiramente, mas há um parente que se torna o seu resgatador, Boaz. Boaz resgata as terras herança de Elimeleque. Boaz não só resgata as terras como também cumpre outra lei que era suscitar herdeiro ao falecido, daí o casamento de Boaz com Rute, nora de Noemi. O herdeiro do falecido Elimeleque fora Obede, filho de Boaz com Rute, Obede foi avô de Davi.

Jesus Cristo é o Redentor, aquele que resgata qualquer dívida espiritual, por maior que ela seja, isto é, o pecado, Ele resgata o ser humano. Ele já pagou a dívida de todo aquele que n’Ele crê. O resgate é total: Ele cura as enfermidades da alma, endireita os caminhos, oferece alegria e bem-estar ao deprimido…  “Amaste a justiça e odiaste a iniqüidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria como a nenhum dos teus companheiros” Hb. 1.9.  Ele unge aos Seus com o “… óleo de alegria, em vez de pranto, vestes de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para sua glória” Is. 61.3b.

A dívida que o ser humano tem com Deus é o seu desvio da Palavra de Deus, da ordem de Deus. Deus quer o ser humano seja íntegro, santo como Ele é santo. Cabe ao ser humano buscar cada vez mais a proximidade com Deus, e andar em Seus caminhos. Jesus Cristo oferece gratuitamente o resgate da dívida de cada um para com Deus. Jesus Cristo oferece o passaporte para a vida eterna juntamente com Ele e os demais salvos por Ele. I Pedro 1.16 – “Sede santos, porque eu sou santo”.  Lv. 11.45b – “… portanto, vós sereis santos, porque eu sou santo”. Lv. 19.2 – “… Santos sereis, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo”.

“Porque derramarei água sobre o sedento e torrentes, sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito, sobre a tua posteridade e a minha bênção, sobre os teus descendentes” Isaías 44.3.

Aquele que sara

Aquele que sara

 

“Ele é quem perdoa todas as tuas iniqüidades; quem sara todas as tuas enfermidades” Sl 103.3. Is. 61.1,2.

Somente Deus pode perdoar pecado, porque Ele é único, Criador de tudo e de todos. Sendo Ele Criador, somente Ele tem a essência de cada ser criado por Ele, assim Ele pode limpar eliminar toda e qualquer impureza que condena a pessoa, mas para isso é necessário que a pessoa se arrependa dos maus atos praticados, e volte-se ao seu Senhor. Somente Deus sara todas as enfermidades, porque somente Ele pode restabelecer a saúde espiritual na vida do ser humano. Sarar quer dizer, ficar livre daquele mal, livre da condenação eterna.

Não há bênção material maior do que a saúde, mas para isso é necessário que a pessoa valorize a saúde espiritual. Se assim o fizer, uma complementa a outra. A pessoa saudável espiritualmente é uma bênção onde quer que vá, além de construir uma sociedade melhor, mais justa, dentro da lei do Senhor. É muito raro uma pessoa que procede assim. O ser humano foi criado para a honra e glória de Deus, para viver feliz, mas o pecado mudou tudo, e acabou dominando. Quando falamos que Deus cura todas as enfermidades, estamos nos referindo à cura da alma, porque no mundo físico há muitas enfermidades, e a pessoa não está imune totalmente, embora Deus possa todas as coisas, ela enfrenta os problemas de saúde normais.

Uma pessoa pode ter muitas enfermidades na alma/espírito. Essas enfermidades são piores do que as físicas, porque vão minando a pessoa por dentro, até o ponto insuportável. Normalmente, a pessoa transmite aquilo que ela é no seu interior, por isso, que a pessoa deve ou tem por obrigação buscar alimento para a alma/espírito. Sendo ela criada por Deus a Sua imagem e semelhança, ela precisa se achegar a Ele para alimentar-se espiritualmente. Deus na Sua infinita misericórdia enviou Seu Filho Jesus Cristo para a alimentação e salvação de todo aquele que reconhecer que sozinho não consegue alimentação para a sua alma/espírito e não consegue também a salvação de sua alma imortal.

Durante a caminhada no deserto o povo de Israel experimentou muitos milagres, um deles é o da saúde e a cura das enfermidades. O Senhor sarou as águas amargas de Mara (Êx. 15.25) e saciou o povo. Aquelas águas amargas que faziam mal à saúde, representavam exatamente a vida comum que uma pessoa tinha. Deus ordenou a Moisés que colocasse uma palmeira que estava ali por perto dentro da água e a água ficou doce, boa para o consumo. Aquela palmeira representa o Senhor Jesus que se a pessoa colocá-lO em sua vida amarga, sem brilho, sem rumo, sem esperança, Ele a tornará doce, brilhante, valiosa, muito boa, e o mais importante válida para a vida eterna.

Atualmente, o povo continua a caminhada pelo deserto espiritual. Deus sara as águas espirituais e sacia o povo através do louvor, da oração, da Sua Palavra, da santificação. A caminhada continua firme e forte rumo ao paraíso celeste. Dificilmente, a pessoa crê em milagres, porque não há tempo nem interesse para observar as maravilhas que o Senhor nosso Deus fez e faz, mas acontecem diariamente na vida das pessoas. Quantas pessoas são curadas através de orações, conversões, leituras bíblicas. As curas não são contadas porque são espirituais, não são visíveis. Da mesma forma são as curas físicas ou mentais (Mt 11.28-30), quando uma pessoa é curada espiritualmente, normalmente, muitas vezes, acontece a cura física. O Senhor Jesus não prometeu um “mar de rosas” àqueles que se convertem a Ele, mas Ele prometeu estar com a pessoa todos os dias de sua vida (Mt 28.20). “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia n’Ele e o mais Ele fará” Sl. 37.5.

“… Converta-se ao Senhor (…) e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar” Is. 55.7b.

Gratidão

Gratidão

1 Coríntios 1.4-9

Gratidão é o reconhecimento por um benefício recebido, agradecimento que brota do fundo do coração, e que transforma  cada dia a vida de uma pessoa. A verdadeira gratidão é a que parte do espírito da pessoa, porque se a pessoa reconhecer os benefícios e a grandeza do ato de Deus em sua vida, ela será extremamente grata. A gratidão é espiritual, somente agradamos a Deus com atitudes espirituais. A gratidão é algo maravilhoso na vida do ser humano, ele se torna amoroso, bondoso, paciente, dócil, saudável espiritualmente, enfim, uma pessoa completa. A falta de gratidão torna a pessoa amarga, antipática, tóxica (ninguém a quer por perto, muitas vezes as pessoas se escondem para não ficar de frente a frente). Essa atitude acontece porque há falta de gratidão, e excesso de auto-idolatria,  o que a leva a querer apresentar-se como vítima, pois acredita que cada ser humano tem a obrigação de aturá-la nos seus devaneios e chateações.

Gratidão não é simplesmente agradecer por algum favor ou um presente recebido, e dizer ‘muito obrigado/a’, isto é educação, convivência social, regras sociais. Muitas vezes a pessoa agradece alguém, mas está com uma raiva feroz interior. Gratidão é um sentimento muito superior a qualquer agradecimento educado. A gratidão traz um fluido espiritual que contamina com ótimos ares o lugar onde a pessoa se encontra. É muito agradável conversar ou conviver com alguém grato a Deus pelos muitos benefícios que Ele oferece. O grande rei Davi era mui grato a Deus por tudo que ele recebia do Senhor, mesmo enfrentando as mais duras batalhas, emboscadas, inimigos invejosos que planejavam a sua morte, havia inimigos dentro de sua própria casa, mas ele meditava na grandeza e na profundidade da criação do Senhor seu Deus. Davi ficava maravilhado ao observar o firmamento, as estrelas, toda a natureza.

Durante toda a sua vida Davi meditou nas coisas que Deus fazia (Sl 71.5,17). Numa oração ele disse a Deus: “Medito em todos os teus atos; reflito no trabalho das tuas mãos com vivo interesse” Sl. 143.5).  Davi não era uma pessoa artificial, ele pensava em assuntos profundos. Isso o ajudou a desenvolver gratidão. Davi foi considerado amigo de Deus.  Davi o maior rei de Israel é chamado de “O homem segundo o coração de Deus”. 1 Sm 13.14. Ser grato a Deus tornou-o um grande rei, vencedor de grandes batalhas, porque quem realmente venceu e vence as batalhas é o Senhor Deus. Deus estava sempre no comando de sua vida. Davi viveu uma longa e preciosa vida na presença do Deus Altíssimo.

Ser grato traz benefícios físicos, mentais e emocionais. A gratidão supre a pessoa de: felicidade, alegria espiritual, torna a pessoa mais positiva, agradável, simpática, melhor saúde, constrói relacionamentos mais fortes, mais amizades. A gratidão traz alegria e bem estar ao coração. Por menor que seja a gratidão, sempre traz algum benefício à pessoa. Assim, a gratidão transforma a pessoa, muitas vezes tóxica, (intragável, indesejável, desagradável, antipática…), em alguém amável e querida por todos que a cercam. A gratidão tem que ser vivida, praticada diariamente. O apóstolo Paulo era mui grato pelas pessoas que aceitavam o Evangelho e o Senhor Jesus Cristo. “Sempre dou graças a (meu) Deus a vosso respeito, a propósito da sua graça, que vos foi dada em Cristo Jesus” (1 Co. 1.4). “… se agradecidos… (Cl. 3.15b).

“Para Deus, a falta de gratidão é uma forma de injustiça” Hb. 6.10. “Estejam sempre alegres. Deem graças por todas as coisas.” 1 Tessalonicenses 5.16,18.

O Sol da Justiça

O Sol da Justiça

“Mas para vós outros que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, trazendo salvação nas suas asas; saireis e salteareis como bezerros soltos na estrebaria” Ml. 4.2.

Como é agradável ver o nascer do sol! A luz, o brilho, o esplendor são maravilhosos aos nossos olhos, e causa bem-estar ao nosso espírito. O sol é a base da vida. Sem o sol  a terra seria vazia, sem vida. Entre os fatores que se destacam a respeito do sol são: luz, calor, vida. O sol é o principal transmissor natural da vitamina D. Tão importante para o ser humano. Não há como viver sem os benefícios  do sol.  Todos estes atributos são mínimos se comparados com o verdadeiro Sol. O Sol espiritual que é Jesus Cristo. Este Sol realmente nos oferece vida, e vida em abundância, vida eterna (João 10.10b). Somente Jesus pode nos iluminar para chegarmos a vida eterna.

Se o ser humano necessita do sol logo após seu nascimento, devido a necessidade de adquirir a vitamina D, com o seu desenvolvimento ele necessitará do Sol da vida, que é Jesus Cristo. Ele fixará com a Sua luz no coração humano, o conhecimento e a necessidade de seguir o Seu caminho. O ser humano necessita da claridade e da ação do sol para a sua sobrevivência física.  No entanto, porque ele foi feito à imagem e semelhança do seu Criador (Gn. 1.26),  traz consigo, também, a centelha espiritual. Somente o Criador pode iluminar o espírito humano.  A esta iluminação chamamos de Sol espiritual que é Jesus Cristo, o Sol da Justiça divina, o brilho sem igual, eterno. Desde a mais tenra idade aprendemos sobre Deus e a Sua importância em nossas vidas. Por que Jesus é considerado Sol da Justiça? Porque a Sua luz brilha no íntimo do ser humano. Esta luz não permite que a escuridão do pecado entre e permaneça na vida da pessoa. Quem anda na Luz de Cristo tem a Sua direção, a Sua orientação, Seus cuidados e o cumprimento de Suas promessas constantes na Sua Palavra.Tudo que o Senhor Deus revelou aos profetas, Ele cumpriu e cumpre sem modificação nenhuma. Não há mudança ou variação na Palavra de Deus. Ela é sempre atual e eterna.

Num passado muito remoto Deus criou um lugar maravilhoso para os seus eleitos viverem em paz. Com o pecado o ser humano foi sentenciado a viver dos seus esforços, seus trabalhos, depois veio a morte,  mas Deus nunca o abandonou. Deus preparou uma bênção toda especial para todo aquele que quer voltar a viver no paraíso celeste. Esta bênção se chama Jesus Cristo. Ele é o sol da justiça de Deus, é a luz que brilha no escuro da vida. “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei?” Sl. 27.1.

Todas as nossas necessidades são supridas quando nossos olhos estão voltados para o Sol da Justiça. O que nos mantém vivos é a Sua luz, e ao buscá-la em primeiro lugar, o resto nos é acrescentado (Mt 6.33). Porque o que vem depois é sempre ínfimo em relação ao Sol da Justiça. Que sejamos como os girassóis, cujas flores acompanham o movimento do sol, e estão sempre fixas na luz do sol. Assim também devemos ser perante o Sol da Justiça, fixos na Sua glória para sermos transformados à Sua imagem e semelhança. “Nascerá o sol da justiça, e cura trará em suas asas” Ml. 4.2.

“Porque o Senhor Deus é sol e escudo; o Senhor dá graça e glória; nenhum bem sonega aos que andam retamente” Sl 84.11.

Graça e Paz

Povo eleito e abençoado

Povo eleito e abençoado

“Não temais; aquietai-vos e vede o livramento do Senhor que, hoje, vos fará;  porque os  egípcios, que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver. O Senhor pelejará por vós, e vós vos calareis” Êxodo 14.13-14.

Em uma época remota o Senhor Deus tirou o Seu povo da escravidão do Egito. No Egito, o povo judeu era escravizado, explorado, maltratado, enfim, era um povo considerado ignorante.  Mas, este era o povo que Deus abençoara na pessoa de Abraão e sua descendência. Este  povo clamou ao Senhor Deus por ajuda e misericórdia. O Senhor ouviu o seu clamor e veio ao seu encontro. O Senhor não só  libertou, mas  conduziu o Seu povo seguro e protegido de todo e qualquer mal. Embora o povo fosse pouco, ou quase nada  agradecido, o Senhor o protegia dia e noite. Durante o dia com uma nuvem protetora, para que não desanimasse pelo caminho; à noite com uma coluna de fogo, protegendo-o de qualquer ataque de animais selvagens. Tanto a nuvem como a coluna de fogo nunca se apartaram do povo. Êx. 13.21,22. Com a saída do povo hebreu do Egito iniciou-se a grande obra de Deus para com o Seu povo.

O êxodo do povo hebreu do Egito aconteceu devido a opressão e escravidão. O Egito ficou como símbolo da opressão, escravidão, da corrupção, da exploração…  O povo que se libertou politicamente dos egípcios ficou como símbolo de libertação. O Senhor conduziu o Seu povo, e ao atravessar o mar, a Arca da Aliança ia à frente. Quando chegou ao meio do mar o Senhor mandou que a mantivesse parada, até que o povo todo tivesse passado com os pés em terra seca. A Arca da Aliança simbolizava a presença do próprio Deus. O livramento foi tão grande que  aquele povo se viu livre dos egípcios para sempre “…os egípcios, que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver”.

Realmente, quando o Senhor abriu as águas do mar dos Juncos ou mar vermelho, os hebreus passaram em terra seca, logo após os egípcios entraram também, mas o mar se fechou, levando consigo todos os cavaleiros que estavam ali. Nunca mais os hebreus os veriam. Meditando no versículo acima, concluímos que aquele acontecimento se repete dia após dia. Os opressores, aproveitadores, exploradores, caluniadores, fuxiqueiros, assassinos, corruptos, ladrões, mentirosos, estão e estarão caminhando com todas as pessoas no presente momento, mas quando o Senhor nosso Deus nos levar para a terra prometida, onde mana  leite  e mel, ou seja, para o paraíso celeste, nunca mais essas pessoas malignas serão vistas, nem lembrança alguma restará delas. O Senhor Jesus foi preparar lugar para todo aquele que se converteu e caminhou com  Ele. João 14.1-6.  “… os egípcios, que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver” Êx. 14.13b.

Jesus disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida: ninguém vem ao Pai senão por mim” João 14.6.

Graça e Paz!

 

Terremoto divino

Terremoto divino

Atos 16.19-40

“Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros de prisão escutavam” At. 16.25.

Paulo e Silas pregavam o Evangelho em muitos lugares. Em um determinado lugar, eles se depararam com uma jovem possessa que tinha um espírito adivinhador. Ela dava muito lucro aos seus senhores. Paulo e Silas repreenderam o espírito imundo, e ela ficou curada, mas quem não gostou da cura foram os seus senhores. Eles levaram o assunto aos pretores (autoridades), e mentiram a respeito de Paulo e Silas. Estes foram maltratados, apanharam muito da multidão e os pretores os lançaram na prisão. Paulo e Silas foram colocados no fundo do cárcere, amarrados com os pés presos no tronco (v.24). Mas, Paulo e Silas cantavam louvores e oravam. Nada podia tirar a alegria que Jesus colocara em seus corações. Por volta da meia-noite “… sobreveio tamanho terremoto, que sacudiu os alicerces da prisão; abriram-se todas as portas, e soltaram-se as cadeias (amarras) de todos” (v. 26).

O carcereiro acordou com o barulho, e viu as portas da prisão abertas. Desesperou-se, querendo matar-se, mas Paulo e Silas chamaram por ele, e disseram que todos estavam ali, ninguém havia fugido. O que mais chama a atenção é que o terremoto aconteceu somente para abrir as cadeias, as portas. Todos estavam ali sãos e salvos. Todos estavam atônitos com o que acontecera.  O mais interessante é que ninguém fora da prisão ouviu ou viu o terremoto. Apenas aconteceu de uma forma fantástica, divina. Todos sabem que um terremoto causa estragos sem medida, muita  gente morre, enfim, um terremoto é sempre um terror. O terremoto mandado por Deus atingiu somente o alvo que Ele pré-determinou. O carcereiro viu aquela maravilha, questionou Paulo e Silas e aceitou o Evangelho de Jesus Cristo, ele e toda a sua casa.

Deus continua enviando terremoto pré-determinado na vida da pessoa que quer se libertar das cadeias do pecado. Somente a pessoa sentirá os efeitos e os resultados dos abalos sísmicos espirituais, uma vez que, acontece no mais profundo interior da alma humana. Feliz é a pessoa que passa por esta experiência maravilhosa, pois ela nunca mais será a mesma. O pós-terremoto espiritual é maravilhoso demais para ser relatado em simples palavras escritas. O número de pessoas presas sem uma alternativa de solução para o seu problema é muito grande. Os apóstolos Paulo e Silas continuam pregando a solução para quem quer ouvir e aceitar a mensagem: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa” (v.31). A pessoa pode estar amarrada ao tronco do pecado, mas se ela aceitar a mensagem do Evangelho genuíno, ela terá a mesma alegria e confiança que Paulo e Silas tinham. O Senhor Jesus faz maravilhas na vida de uma pessoa.

O Senhor Deus disse: “Ainda antes que houvesse dia, eu era; e nenhum há que possa livrar alguém das minhas mãos; agindo eu, quem o impedirá?” Isaías 43.13.

Graça e Paz!

Fogo

Fogo

“Apareceu-lhe o Anjo do Senhor numa chama de fogo, no meio de uma sarça; Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo e a sarça não se consumia” Êx 3.2.

A palavra fogo nos transmite um significado muito forte, ora é algo apavorante, destruidor, queima, elimina, ora é muito benéfico, quando usado para cozer os alimentos, purificar objetos, como o ouro, a prata, proteger do frio, afastar animais ferozes na selva, pois o seu brilho, a sua luz, ofusca a visão dos animais, aquece em épocas frias, enfim, fogo faz parte da vida, não podemos nos desvencilhar dele. Mas o seu significado mais profundo é a essência do Deus vivo. Desde o início da Palavra de Deus encontramos o Senhor se manifestando através do fogo (Dt 4.12). Como podemos ver no versículo acima, o Senhor Deus se manifestou pela primeira vez numa chama de fogo. Assim o Senhor se manifestou ao povo de Israel. Também lemos que o Senhor Deus guardou este mesmo povo quando o guiava pelo deserto, a caminho da terra prometida.

Em Êxodo 13.21, encontramos o Senhor protegendo o Seu povo de dia com uma coluna de nuvem, e a noite com uma coluna de fogo. O Senhor Deus estava com o seu povo dia e noite. “O Senhor ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para guiá-los pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para alumiá-los, a fim de que caminhassem de dia e de noite!” “Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite” Êx 13.21,22. Assim, o Senhor as conserva até os dias atuais com o Seu povo. O Seu povo conta com uma coluna de nuvem de dia para protegê-lo das ciladas do inimigo das almas imortais, e uma coluna de fogo à noite para que não tropece e caia nas armadilhas do inimigo. Todo convertido ao Senhor Jesus tem essa proteção maravilhosa.

“Deus é fogo consumidor” Hebreus 12.29. Destrói o mau caráter, a mentira, o cinismo, a maldade, a concupiscência, a desonestidade, prostituição, a embriaguês, a falsidade, a inveja, enfim, tudo aquilo que emperra e impede a alma de se aproximar de Deus. O fogo de Deus é maravilhoso, purifica a alma tornando-a como o mais fino metal precioso. Ele trará vida em abundância, quando a pessoa é tocada pelo Santo Espírito de Deus, e ela O recebe de coração aberto e alegre. Ela cresce espiritualmente, e o crescimento espiritual transforma a pessoa sempre para melhor. Onde o Senhor Deus habita, o fogo é constante e maravilhoso. Deus é fogo consumidor e protetor. Ele limpa, purifica e protege a alma de quem caminha com Ele. Esse fogo é maravilhoso demais na vida de quem o possui.

E Eliseu orou: “Senhor, peço-te que lhe abras os olhos para que veja. O Senhor abriu os olhos do moço, e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu” 2 Rs 6.17.

 

Graça e Paz!

Esperança

Esperança

“E o Deus da esperança vos encha de todo gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo” Rm 15.13.

Todo ser humano vive mergulhado na esperança de dias melhores em todos os sentidos.  Mas, o que menos conta na atitude humana é a esperança espiritual. Quase não ouvimos alguém se referir à importância espiritual na vida de alguém. Muitas vezes quando nos referimos a qualquer assunto com respeito ao espiritual, notamos que poucas pessoas ouvem ou se interessam, até parece que elas acham que Deus está distante e incomunicável. O que ninguém ou quase ninguém sabe é que todo ser humano tem um lugar reservado no coração, que deve ser preenchido com a presença do Senhor que é dono desse órgão, não órgão físico, mas órgão espiritual. Quando o Senhor ocupa o Seu lugar na vida de uma pessoa, essa vida é totalmente diferente das demais do grupo ou da sociedade em que ela vive.

A esperança é algo maravilhoso na vida de uma pessoa. Mesmo quando ela está num leito sem expectativa de cura, ela tem esperança de sair dali e realizar muitos sonhos idealizados. Mas, a verdadeira esperança deve ser espiritual, porque a pessoa que tem essa preocupação, busca, procura e coloca a sua vida de acordo com a necessidade verdadeira. Somente Jesus pode alimentar e estruturar a verdadeira esperança para o ser humano. Ele é porto seguro para todos que O recebem em seus corações (Ap 3.20). Uma vida repleta de esperança divina é uma vida rica espiritualmente (João 1.12).

A esperança é a verdadeira riqueza, porque ela nutre, fortalece, desenvolve na pessoa a vontade de vencer, de conseguir algo imaginado ou planejado antecipadamente. A verdadeira esperança está em Jesus Cristo, porque somente Ele pode oferecer a esperança viva. Isto é, uma esperança que transcende qualquer expectativa humana, porque é esperança de uma vida rica espiritualmente, frutífera, aqui e, no futuro vida eterna juntamente com o Senhor Jesus. É um retorno ao lar celestial para todo aquele que se decidir caminhar com o Senhor Jesus aqui e agora. “… por causa da esperança que vos está preservada nos céus, da qual antes ouvistes pela palavra da verdade do evangelho” Cl 1.5.

“Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” 1 Pe 1.3.

Graça e Paz!

Quanto vale a Palavra de Deus?

Quanto vale a Palavra de Deus?

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus” Ef 2.8

A Palavra de Deus é de um valor inestimável, incalculável  a qualquer avaliação. Por mais que queiramos dimensioná-la não conseguimos, porque o seu valor excede a todo e qualquer intento de limitar o seu alcance, o seu efeito, seu poder. A Palavra de Deus é a essência que nos alimenta espiritualmente, e por consequência, fisicamente. Porque se há saúde espiritual em abundância, logo, a saúde física, material, também ganha muito com esse efeito.

A Palavra de Deus supre todas as necessidades espirituais de uma pessoa. Por mais carência do alimento espiritual, que exista na vida de alguém, a Palavra de Deus é o verdadeiro pão da vida. Jesus disse: “Eu sou o pão da vida” (João 6.48). Jesus é o Pão da Vida, Ele alimenta, supre as necessidades de  paz, alegria, bem estar, harmonia, amizade, amor. A Palavra de Deus é perfeita para a condução da vida humana.  A Palavra de Deus revigora, fortalece, e a vida se torna aprazível, a toda pessoa que se encontra enfraquecida espiritualmente. “Quanto ao mais,  sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder” Ef 6.10. Vidas enfraquecidas pelo embate do dia a dia, e a falta do alimento espiritual, o qual, as pessoas raramente cuidam para que não falte, ou não se preocupam, acham desnecessário.  O Senhor tem o elixir que muda totalmente as características espirituais de uma pessoa.

A Palavra de Deus oferece paz, perdão, resolve problemas (Sl 37.5). Uma pessoa pode estar atormentada espiritual ou emocionalmente, mas esta palavra maravilhosa coloca tudo no seu devido lugar, como e porque só o Senhor das almas imortais pode fazê-lo. “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize (João 14.27). A Palavra de Deus ressuscita o espírito morto em seus delitos e pecados (Rm 6.23). O espírito ressurreto pela Palavra de Deus tem vida, e vida em abundância, (Jo 5.24) (Jo 11.25), (Ap 21.6),porque a promessa que o Senhor Jesus fez é que quem O recebe como seu único e suficiente salvador pessoal tenha vida e a tenha em abundância João 10.10b).”Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus” João 3.36.

A Palavra de Deus oferece sabedoria “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; revelam prudência todos os que o praticam. O seu louvor permanece para sempre” (Sl 111.10). A sabedoria é o principal ponto para que a pessoa conheça e viva a Palavra de Deus. A sabedoria aumenta sempre, e nunca retrocede, pois através dela a pessoa cresce espiritualmente.  Sua vida se torna cada vez melhor em todos os sentidos, e a paz que excede todo entendimento faz morada no coração sábio. A pessoa deve buscar a sabedoria para o seu próprio bem. Sabedoria não é conhecimento.  A sabedoria não é adquirida da mesma forma que é adquirido o conhecimento. Ela é dom de Deus. A pessoa pode ter muito conhecimento e não ter sabedoria alguma. O conhecimento pode ser farto, mas a sabedoria é escassa. A verdadeira sabedoria vem alto do Pai das luzes. “A sabedoria, porém, lá do alto é, primeiramente, pura; depois, pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimento” Tg 3.17.

“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” João 14.27,

“Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” 1 Pe 2.9.

Graça e Paz!