Barrabás

Barrabás

A cruz de CristoO nome Barrabás consta no Novo Testamento representando o ladrão, assassino, terrorista, amotinador. (João 18.40). Ele estava preso e condenado à morte. Mas por ocasião da festa da Páscoa, era costume o governador soltar um preso a escolha do povo. Pilatos consultou o povo a respeito de quem deveria ser solto. Pilatos não achou crime algum em Jesus, e não queria enviá-lo à cruz. Mas os principais sacerdotes e os escribas persuadiram o povo a pedir Barrabás, ao invés, de Jesus Cristo (Mt. 27.20). Os sacerdotes e os escribas que deveriam conhecer muito bem a Palavra de Deus, conhecer a pessoa do Senhor Jesus, que é citado em todo o Velho Testamento, por inveja queriam condená-lo a morte, e tornar nulo o Seu sacrifício na cruz.

Se os sacerdotes e os escribas soubessem bem a Palavra de Deus, e fossem espirituais, saberiam que Jesus viria e desenvolveria o Seu ministério, quisessem eles ou não. Ninguém impede a Deus de realizar os Seus planos, suas promessas, mas os sacerdotes e os escribas colocaram a inveja em primeiro lugar. Isto demonstra falta de conhecimento da Palavra de Deus. “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos” (Oséias 4.6).

De um lado estava Jesus Cristo, justo, representando tudo que era santo, que era bom, que era saudável, honesto, oferecendo de graça a salvação das almas imortais. Era o próprio Deus que habitou entre nós. Jesus oferecendo de graça a salvação às almas imortais, e as bênçãos maravilhosas que Ele tem reservado a todo aquele que n’Ele crê. Ele era (é e será) o Caminho, e a Verdade, e a Vida (João 14.6). Mas a multidão preferiu a Barrabás representante do mundo incrédulo, da morte, da perdição eterna, todo tipo de condenação, de pecado.

A grande maioria das pessoas é influenciada por quem tem a incumbência de dirigir, orientar, levar avante seus planos, muitas vezes diabólicos. Os planos diabólicos são bem mais aceitos do que os planos de paz, de amor, de salvação. Poucos querem ouvir falar do plano da salvação, das bênçãos que o Senhor tem a oferecer. Até os dias atuais Barrabás continua tendo os seus defensores,  os seus seguidores, os seus adoradores. “Solta-nos Barrabás!”. É a voz da multidão que ecoa até nossos dias.

Jesus assumiu o lugar de Barrabás na cruz do calvário, morrendo em seu lugar, e de todo pecador que necessita de salvação. O sangue de Jesus é suficiente para salvar todos que se entregarem a Ele, e segui-lo nos Seus santos e retos caminhos.

“Que farei, então, deste a quem chamais o rei dos judeus?” Jesus Cristo é o Rei dos reis. É soberano sobre tudo e sobre todos. A Ele toda honra, toda glória, todo o Reino. Ele é o Senhor dos senhores. Ele voltará como  Ele subiu aos céus  “… foi Jesus elevado às alturas, à vista deles, e uma nuvem O encobriu dos seus olhos. E, estando eles com os olhos fitos no céu, enquanto Jesus subia, eis que dois varões vestidos de branco se puseram ao lado deles e lhes disseram: Varões galileus,  por que estais olhando para as  alturas? Esse Jesus que dentre vós foi assunto ao céu virá do modo como o vistes subir” Atos 1.9-10.

O Senhor Jesus voltará para buscar os Seus escolhidos para viverem eternamente com Ele nas mansões celestiais. Ele voltará com poder e grande glória, não mais como uma pessoa humilde e pronta para conduzir, orientar, perdoar, mas como Juiz. Quem O aceitou como seu único e suficiente salvador pessoal, irá encontrar-se com Ele nos ares, e será transformado para a vida eterna, juntamente com Ele no paraíso celeste. Quem elegeu Barrabás (mundo incrédulo, perdido no pecado, corrupto, criminoso, ladrão, e sem preocupação com a vida espiritual) vai ver o Senhor Jesus voltando e chamando os Seus, não terá mais tempo de se arrepender e crer.  Todos são chamados a aceitar o Senhor Jesus, e ter uma nova vida, cheia de bênçãos, de paz, e segurança na eternidade juntamente com Ele. O paraíso celeste deve ser maravilhoso, porque assim a Palavra de Deus nos afirma!

“Então, se verá o Filho do homem vindo numa nuvem, com poder e grande glória” Luc. 21.27.

Graça e Paz!

Comments are closed.