Jesus, a luz do mundo

Jesus, a luz do mundo

Jesus, a luz do mundo 1Jesus disse:

“Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida” v. 12.3; Jesus é a luz do mundo, a luminosidade, claridade, brilho que dá vida real ao ser humano. Cada ser humano é um mundo diferente. Ele necessita de luz espiritual para ter uma vida completa, feliz. Os fariseus não gostaram do que Jesus disse a Seu próprio respeito, quando afirmou que Ele era e é a luz do mundo. Sem Jesus o mundo seria treva total.

Os fariseus não gostaram da afirmação, porque eles andavam nas trevas, no pecado, maquinando tudo de mal para o Senhor Jesus. Quem anda nas trevas se compara aos fariseus que queriam condenar Jesus a morte, e muitos outros delitos que não são relacionados neste texto. Assim, eles ficariam tranquilamente vivendo no pecado, na mentira, em toda espécie de maldade. “O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más” Jo. 3.19.

Jesus é a luz do mundo, quer no mundo individual, físico, orgânico de cada pessoa, quer no mundo no sentido literal. Onde há luz, há claridade, há luminosidade, há brilho. Tudo que a pessoa iluminada por Jesus faz, ela é bem sucedida espiritualmente, e em decorrência disso ela é bem sucedida materialmente. O rei Davi disse no Salmo 37.25 “Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão”. A Luz é espiritual, e o espírito que tem essa Luz, tem uma vida tranquila, honesta, amorosa, completa. Tudo em sua vida brilha a Luz de Cristo. Daí as bênçãos nas famílias, na sociedade, na Igreja, onde quer que a pessoa se encontre. Tudo nela é diferente. “A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela” Jo. 1.5.

Jesus chamou a atenção dos fariseus para o Seu testemunho, e disse que Ele (Jesus) sabia de onde tinha vindo e para onde iria, mas eles (fariseus) não sabiam de onde Ele (Jesus) veio, nem para onde iria depois. Porque os fariseus eram orgulhosos demais para aceitar o testemunho de Jesus a respeito de Seu reino. Ainda disse: “Vós julgais segundo a carne, eu a ninguém julgo” v. 15. A grande maioria das pessoas é como os fariseus. As pessoas se satisfazem com as coisas que elas próprias elegem como seus deuses, ou algo feito pelas próprias mãos. Não param para pensar que tudo que as mãos humanas fazem é menor do que elas próprias. Se ela foi capaz de fazer algo digno de adoração, então ela deveria ser o alvo de adoração e não o objeto criado por ela.

“Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo” 2 Co. 4.6.

“Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz” Ef. 5.8.

“Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança” Tiago 1.17.

“Ora, a mensagem que, da parte dele, temos ouvido e vos anunciamos é esta: que Deus é Luz, e não há nele treva nenhuma” 1 João 1.5.

Graça e Paz!

João 8.12-20

 

Comments are closed.