Monte Sião

Monte Sião

canticos 2

Os que confiam no Senhor são como o Monte Sião, que não se abala, firmes para sempre. Sal 125:1.

Desde o início da Bíblia encontramos referências ao Monte Sião. Sempre traduzindo firmeza, imutabilidade. Sião significa fortaleza, permanência. Tudo na natureza muda, menos os montes, montanhas. Em um campo onde há árvores quer sejam frutíferas ou não, com o passar do tempo, elas definham e morrem. Mas os montes permanecem através dos séculos ou milênios. É o caso do Monte Sião. Em uma determinada época o
povo foi levado em cativeiro para a Babilônia. Lá sofreu horrores, pois estava longe de sua terra, com outros costumes, eram escravos. O povo chorava e clamava pelo retorno à sua terra natal. O povo foi cativo porque confiou mais em suas riquezas, seu poder, sua própria decisão, deixou a verdadeira fortaleza de lado que é o Senhor Deus.

Mas o Monte Sião estava ali, indômito, inalterável e imutável, como que esperando a todo aquele que voltasse a habitar naquela terra. Terra que o Senhor Deus havia dado ao Seu povo por herança. Sião passou a representar Israel ou o povo de Deus (Is. 60.14). No tempo da graça, como sendo a Jerusalém celestial (Hb. 12.22). Podemos ver no Monte Sião toda a fortaleza invencível pela força humana.  Fortaleza comparada a Deus. Deus não muda. Ele pode todas as coisas. Aquele povo deixou o seu Deus de lado para caminhar com as próprias pernas, mas se esqueceu que o inimigo ronda sem parar, e o menor vacilo, ele ataca sem dó nem piedade. Para recuperar-se de um ataque desses, leva muito tempo, e muitas vezes não se recupera.

O amor de Deus pelo ser humano é tão grande, que não conseguimos dimensioná-lo. Tomamos como exemplo uma criança recém-nascida. As pessoas a cercam, a amam, mas ela não fez nada para ganhar esse amor tão grande dos pais, da família e de todos que a cercam. Assim é o amor de Deus para com todo aquele que n’Ele crê e confia.  Deus quer que todos confiem n’Ele, mas muitos não querem confiar como aquele povo que foi levado em cativeiro babilônico. Hoje, o cativeiro é espiritual, o ser humano é o mesmo, quer confiar em seus pertences, seu poder, sua capacidade intelectual, enfim, tudo que é visível, material.

Aquele povo retornou do cativeiro, e pode avistar ao longe o Monte Sião, no mesmo lugar, majestoso, inabalável, então cantou: “Os que confiam no Senhor são como o Monte Sião, que não se abala, firme para sempre” Sl. 125.1. Toda aquela confiança em si mesmo, toda falta de fé, não os levou senão a uma vida dura no cativeiro. O Monte Sião espiritual continua firme e forte, inabalável, basta que a pessoa queira essa segurança, essa fortaleza em sua vida. Deus continua o mesmo, amor sem igual a todos quantos vão até Ele. Somente o Senhor Deus pode oferecer o descanso espiritual sem medida.

“Mas tendes chegado ao Monte Sião e a cidade do Deus vivo, a Jerusalém celestial, e a incontáveis hostes de anjos, e à universal assembléia” Hb. 12.22.

Graça e Paz!

Comments are closed.