Noemi e Rute

Noemi e Rute

EspigasNoemi era casada com Elimeleque, tinham dois filhos Malom e Quiliom. Moravam em Belém de Judá, mas houve fome sobre a terra, resolveram mudar para a terra de Moabe, e ficaram morando ali.   Morreu o marido de Noemi. Ela ficou com seus dois filhos, os quais se casaram com mulheres moabitas. O nome de uma era Orfa (esposa de Quiliom), e da outra Rute (esposa de Malom), e ficaram ali quase dez anos.

Morreram ambos e Noemi ficou desamparada de seus dois filhos. Noemi ouviu que o Senhor se lembrara do seu povo, permitindo ótimas colheitas de cereais. Então, ela resolveu retornar para o seu povo. Ela se julgava desamparada, porque não tinha mais o seu marido nem os dois filhos. Elas resolveram voltar para o seu povo. Puseram-se a caminho de volta para a terra de Judá.

Noemi aconselha as suas noras a voltarem para as suas mães. Noemi abençoou as duas, e despediu-as. As suas noras contestaram-na, mas ela as convenceu a voltar à sua parentela, para que Deus desse oportunidade a elas para que tivessem novos maridos e filhos. Noemi explica que a lei judaica era assim: se o marido falecesse, o irmão solteiro se casaria com a viúva para suscitar-lhe descendência, mas que ela (Noemi) não tinha mais  filho nem a possibilidade de ter algum no futuro, e que elas poderiam casar-se novamente. Orfa achou bom o conselho, beijou Noemi, chorou,  se despediu e voltou para a sua parentela. Porém, Rute se apegou a Noemi, e disse “… Não me instes para que te deixe e me obrigue a não seguir-te; porque aonde quer que fores, irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus” Rt 1.16.

Rute não aceitou deixar Noemi, disse ela: “O teu Deus é o meu Deus…” irei contigo onde quer que fores. Noemi ainda tentou dissuadi-la, mas em vão. Rute não a abandonou. Chegando à sua parentela, Noemi orientou Rute como deveria proceder de acordo com a lei judaica. Rute foi colher espigas de cereais  no campo. Os campos eram de Boaz (parente de Noemi), para conseguir se manter e também a Noemi.

Um parente próximo a Noemi soube do ocorrido com ela, e que ela retornara para a sua parentela.  Soube também a respeito de Rute que não a abandonara. Este parente (era justamente o dono dos campos de cereais – Boaz) levou ao conhecimento de outro parente mais próximo, o caso de Noemi. Esse parente mais próximo não poderia cumprir a lei, algo o impedia, então Boaz cumpriu a lei casando-se com Rute.

Rute e Noemi não pensaram naquilo que Deus faria em suas vidas, elas viam pela  frente trabalho, dificuldades, talvez fome, mas o Senhor mudou a sorte de Rute e de Noemi. Noemi não abandonou o seu Deus, pelo contrário, cumpriu a lei judaica. Rute ao aceitar o Deus de Noemi, o fez de livre e espontânea  vontade, sem visar lucros, bênçãos, apenas creu. Elas foram ricamente recompensadas pelo seu Deus maravilhoso.

Tempos depois, Rute dá a luz a Obede. Noemi teve um belo lar juntamente com Rute e Boaz, e um netinho para embalar nos braços. Seu filho (Malom) que fora casado com Rute teve descendência como previa a lei judaica. Noemi e Rute tiveram uma excelente vida e família.

Toda a pessoa que opta pelo Deus Verdadeiro, tem bênçãos sem medida, e esse Deus maravilhoso prepara o caminho da pessoa de tal maneira, que a pessoa fica como quem sonha. (Sl 126.1). Ninguém faz sombra na vida de um filho de Deus. Rute entrou para história bíblica como a pessoa que creu e confiou no Deus de Noemi. Obede mais tarde entra para a  linhagem de Davi foi o avô de Davi. E o Deus de Noemi é o mesmo nosso Deus que realiza maravilhas em nosso meio.

Graça e Paz!

Comments are closed.