O plano para tirar a vida a Jesus

O plano para tirar a vida a Jesus

O plano para tirar a vida a JesusJoão 11.47-57

Quando os principais sacerdotes e os fariseus ficaram alarmados com os grandes sinais que Jesus fazia, convocaram o Sinédrio (nome dado ao mais alto tribunal dos judeus, que se reunia em Jerusalém; ou suprema corte judaica – Mt.  26.59) para avaliarem os grandes sinais (milagres) de Jesus. Os judeus estavam preocupados porque aqueles sinais somente Deus poderia fazê-los.

A inveja e a preocupação deles era tão grande que se manifestara procurando tirar Jesus do meio da multidão, ou seja, afastá-lo de uma vez por todas. Estavam preocupados com os seus altos cargos, suas fortunas, suas posições na sociedade. E se o povo cresse e seguisse a Jesus, eles seriam totalmente dispensáveis. Tendo em vista os últimos acontecimentos,  resolveram agir contra o Senhor Jesus. Inventaram grandes mentiras para ter com que O condenar.

Caifás que era sumo sacerdote aquele ano, advertiu-os, dizendo: “Vós nada sabeis” v.49b. Caifás profetizou que um homem havia de morrer pela nação, “e não somente pela nação, mas também para reunir em um só corpo os filhos de Deus, que andam dispersos” v 52.  Este homem era exatamente Jesus. Caifás não disse isto por si mesmo, mas foi revelado por Deus através dele.

Desde aquele dia, resolveram tirar a vida a Jesus. Eles queriam que Jesus saísse de circulação, parasse de fazer os sinais, e assim cessaria o Seu ministério, e eles ficariam em paz consigo mesmos. Mas ninguém muda o plano de Deus. O que está escrito, é cumprido integralmente. Nada e ninguém pode interferir no plano de Deus. Deus é soberano.

A partir dessa decisão do sumo sacerdote e dos escribas, Jesus já não andava entre a multidão, mas ficava mais reservado em algum lugar mais distante com Seus discípulos. Como estava próxima a Páscoa dos judeus, muitos daquela região subiram para Jerusalém, antes da festa, para se purificarem. Eles “procuravam Jesus e, estando eles no templo, diziam uns aos outros: Que vos parece? Não virá Ele à festa?” v. 56. “Ora os principais sacerdotes e os fariseus tinham dado ordem para, se alguém soubesse onde Jesus estava denunciá-lo, a fim de O prenderem”. v 57.

A inveja e o amor ao mundo são velhos conhecidos, e muito aplicados por um número enorme de pessoas. Inveja é “… a podridão dos ossos” Pv. 14.30b. A inveja já destruiu e continua destruindo reinos, países, paz, harmonia, amizades, amor, trabalhos, trabalhos nas Igrejas, reuniões. Ficaríamos enumerando uma quantidade infinita de itens que a inveja destruiu e destrói. A inveja é tão poderosa que é capaz de fazer uma pessoa passar mal com o resultado dela. Porque a inveja é totalmente cercada do poder maligno. E o amor às coisas do mundo faz uma pessoa ter as mais perversas atitudes para com o próximo. A pessoa não considera a outra, e, se puder faz tudo para ganhar, lucrar em cima do direito do próximo. Ocorrem muitos crimes derivados da inveja e do amor ao mundo incrédulo e perverso. Foi assim que o sumo sacerdote Caifás e os fariseus agiram para com o Senhor Jesus. Mas o plano de Deus se cumpriu integralmente como fora profetizado no Velho Testamento.

“Não tenha o teu coração inveja dos pecadores; antes, no temor do Senhor perseverarás todo dia” Pv. 23.17.

“Ora, vós sois corpo de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo” 1 Co. 12.27.

Graça e Paz!

Comments are closed.