Os soldados deitam sortes

Os soldados deitam sortes

Os soldados lançam sortes. 4João 19.23-42

Depois que crucificaram Jesus, os soldados dividiram as Suas vestes em quatro, cada um ficou com uma parte. Mas quanto à capa, essa era feita sem costura, toda tecida de alto a baixo. Não quiseram rasgá-la, então lançaram sorte sobre ela. Tudo isso aconteceu para que se cumprissem as Escrituras: “Repartiram entre si as minhas vestes e sobre a minha túnica lançaram sortes” Sl. 22.18. Assim, pois, o fizeram os soldados.  Jesus fora crucificado juntamente com dois homens malfeitores, um ficou à direita e outro à esquerda.

“E junto à cruz estavam a mãe de Jesus, e a irmã dela, e Maria, mulher de Cléopas, e Maria Madalena” v. 25. Antes de Jesus entregar o Seu espírito ao Pai, Ele encomendou a sua mãe aos cuidados de João, o discípulo amado de Jesus. Assim, João a recebeu em sua casa e cuidou dela como Jesus lhe incumbira.

Depois que Jesus viu que estava tudo consumado, para se cumprir a Escritura disse: “Tenho sede” v. 28b. Os guardas embeberam uma esponja com vinagre, fixando-a num caniço de hissopo lha chegaram à boca. “Quando, pois, Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado! E inclinando a cabeça, rendeu o espírito” v. 30.

Os judeus não queriam que os corpos ficassem expostos no sábado, porque o sábado era considerado sagrado para eles (judeus), então rogaram a Pilatos que lhes quebrassem as pernas. Os soldados quebraram as pernas do primeiro e ao outro que com Jesus tinham sido crucificados, mas a Jesus não quebraram as pernas, porque já estava morto. “Mas um dos soldados lhe abriu o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água. Aquele que isto viu testificou, sendo verdadeiro o seu testemunho; e ele sabe que diz a verdade, para que também vós creiais” vs. 34,35.

E isto aconteceu para se cumprir a Escritura: “Nenhum dos seus ossos será quebrado” Êx. 12.46. Sl. 34.20. E outra vez diz a Escritura: “Eles verão aquele a quem traspassaram” v. 37. Tudo o que aconteceu com Jesus foi profetizado no Velho Testamento, portanto, não havia motivo para alegar ignorância a esse respeito. Os principais sacerdotes considerados mestres de Lei, não deram sinal que sabiam a respeito de Jesus. Jesus veio com uma missão que o Pai determinou, Ele a cumpriu rigorosamente. Jesus foi obediente ao Pai em tudo e por tudo. Ele nos deixou o testemunho de obediência. Assim devemos ser para com o Pai, obediente em tudo que fizermos, que vivermos, e estar sempre em completa comunhão com o Pai. Obediência ao Pai é o principal ponto para a prosperidade espiritual, e a paz de espírito.

José de Arimatéia era um discípulo de Jesus, embora ainda oculto por receio que tinha dos judeus, porque estes o expulsariam da sinagoga, caso soubessem. José rogou a Pilatos que lhe permitisse tirar o corpo de Jesus. Pilatos lho permitiu. “Então, foi José de Arimatéia e retirou o corpo de Jesus” v. 38, juntamente com “… Nicodemos, aquele que viera ter com Jesus à noite, foi, levando cerca de cem libras de um composto de mirra e aloés” v. 39.  “Tomaram, pois, o corpo de Jesus e o envolveram em lençóis com os aromas, como é uso entre os judeus na preparação para o sepulcro” v.40. José de Arimatéia depositou o corpo de Jesus no túmulo que havia feito para si, na rocha; e, rolando uma grande pedra para a entrada do sepulcro para protegê-lo de predadores. Jesus cumprira rigorosamente todo sacrifício que o Pai havia determinado. Tudo isto para nos oferecer de graça a salvação de nossas almas imortais. Cada pessoa está representada na cruz do calvário. Jesus ressuscitou ao terceiro dia, venceu a morte, está junto ao Pai.

“Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus” 1 Co. 1.18.

Graça e Paz!

 

Comments are closed.