Reverência

Reverência

Reverência 2“Então, me invocareis, passareis a orar a mim, e eu vos ouvirei” Jr. 29.12.

“Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração” Jr 29.13

Moisés apascentava o rebanho próximo ao monte Horebe, quando viu ao longe uma sarça (árvore seca) com fogo ardente, mas a sarça não se consumia. Isto chamou a atenção de Moisés, então, ele se aproximou para ver aquela maravilha, mas antes que se aproximasse o Senhor se manifestou, e falou com ele. O Senhor lhe ordenou que tirasse as sandálias dos pés, porque o lugar onde estava pisando era santo. O Senhor quer reverência (respeito) ao seu nome santo.  “Apareceu-lhe o Anjo do Senhor numa chama de fogo, no meio duma sarça; Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo e a sarça não se consumia”./ “Então, disse consigo mesmo: Irei para lá e verei essa grande maravilha; por que a sarça não se queima?” “Vendo o Senhor que ele voltava para ver, Deus do meio da sarça, o chamou e disse: Moisés! Moisés! Ele respondeu: Eis-me aqui!” “Deus continuou: Não te chegues para cá; tira as sandálias dos pés, porque o lugar em que estás é terra santa”. Êx. 3.2-5.

O Senhor ordenou a Moisés que tirasse as sandálias dos pés, em reverência ao Seu Santo Nome e ao santo lugar onde Moisés estava. Porque os sacerdotes não podiam entrar nos átrios da casa do Senhor com sandálias nos pés. O lugar onde Moisés viu a sarça ardente era considerado templo de Deus, porque Deus estava presente ali. Há nesta passagem uma nítida exigência do Senhor que se tenha reverência onde nós cremos que Deus está presente. Como por exemplo, se na Igreja, nós cremos que o Senhor está ali, temos que tirar as sandálias (tudo aquilo que impeça uma maior comunhão com Deus, porque a terra ali é santa, o lugar é santo. A nossa reverência deve ser de tal modo observado que o testemunho fale alto às pessoas que nos visitam). Deus requer de nós toda reverência, todo louvor, toda honra, toda glória, toda dedicação, todo amor. A reverência é uma prática inquestionável em nossas vidas.

Tirar as sandálias é tirar tudo que possa nos atrapalhar na nossa comunicação com Deus, nosso louvor, nossa meditação, nossa leitura da Palavra, e em conseqüência manter uma vida plena de comunhão com Deus. Tirar as sandálias é tirar tudo que é material, que entrava o nosso crescimento espiritual. O material ocupa lugar material, o que é espiritual ocupa lugar espiritual. Deus é espírito e quer que seus adoradores O adorem em Espírito e Verdade (João 4.23).

Com as sandálias nos pés Moisés pisaria no que era santo, e não lhe era permitido entrar no templo com sandálias. Templo: onde o Senhor está presente, não importa o lugar, porque somos d’Ele vinte e quatro horas por dia, e não apenas quando oramos, ou meditamos, ou pregamos a Palavra. Somos d’Ele em todos os lugares que freqüentamos, em tudo que fazemos parte. Então, a pessoa precisa estar sem as sandálias da irreverência, da maledicência, do desamor, da falta de comunhão com Deus. Hoje, as pessoas pisam na reverência, no respeito, na disposição, que devem ao Senhor nosso Deus.  Quando há falta de testemunho, quando há negação da Palavra, quando uma pessoa não honra o nome do Senhor Jesus (Mt 7.23b), o estrago é muito grande para aqueles que precisam ouvir e aceitar o Senhor Jesus. O mau testemunho é uma tragédia (como uma bomba atômica) onde quer que ele aconteça.

Com os pés descalços as pessoas pisam com cuidado para não se machucar. Espiritualmente também é assim, sem as sandálias haveria mais reverência e mais disposição para o trabalho do Senhor. A pessoa livre das sandálias terá mais condições de se aproximar de Deus e orar confiantemente e ver as maravilhas que Moisés viu naquela sarça ardente. O Senhor continua na sarça ardente, continua ordenando que se tire as sandálias dos pés, isto é, tudo que impede o aconchego e louvor devidos ao Senhor nosso Deus. Mt 21.22 – “… e tudo quanto pedirdes em oração, crendo, recebereis”. Em At 12.5 – “Pedro, pois, estava guardado no cárcere; mas havia oração incessante a Deus por parte da Igreja a favor dele”. Todos os convertidos deveriam ter muita disposição para o trabalho do Senhor.

Todo servo do Deus Altíssimo precisa ter disposição para orar, ler a Palavra de Deus, meditar, visitar, pregar a Palavra àqueles que ainda não a conhecem e que necessitam ouvir, necessitam de uma oração, de uma palavra amiga. O Senhor continua na sarça ardente chamando cada um de nós, e ordenando que tiremos as nossas sandálias (preocupações com todos os acontecimentos do dia-a-dia) e que ouçamos o que Ele tem para nós. Para Moisés Ele ordenou que libertasse o seu povo da escravidão do Egito, e para nós a ordem é que libertemos o seu povo da escravidão do pecado. Moisés disse ao Senhor: “Se a tua presença não vai comigo, não nos faças subir deste lugar” Êx 33.15. Nós também devemos pedir ao Senhor que se faça presente em todos os atos que vamos praticar. Se Ele não for conosco, nós também não podemos ir, porque não vamos conseguir nada. Precisamos tirar muita gente da escravidão do pecado.

O Senhor nos oferece segurança: “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais Ele fará”. Sl 37.5.

“… só tu me fazes repousar seguro”. Sl 4.8b..

Graça e Paz!

Comments are closed.