Browsed by
Tag: bem-estar

O Senhor nosso Deus.

O Senhor nosso Deus.

“Adorai o Senhor na beleza da sua santidade; tremei diante dele, todas as terras” Sl. 96.9.

Adoremos o Senhor na beleza da Sua Santidade. Porque Sua bondade e misericórdia nos acompanham todos os dias, e isso é uma vitória em nossas vidas. Quando levantamos com saúde, e sentindo bem, não tem preço o bem-estar, e quando o contrário ocorre, sentimos a mão forte do nosso Deus que podemos segurar. Passamos dias tranquilos porque o Senhor nos proporciona assim. Ao término de mais um ano cercados pelos cuidados do Senhor nosso Deus, temos a visão de que Ele nos proporcionará outro ano sob Seus cuidados. Assim, antevemos as bênçãos vindouras, confiados na Palavra de Deus que diz: “E servireis ao Senhor, vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e eu tirarei do meio de ti as enfermidades” Êxodo 23.25.

O Senhor nosso Deus tem cuidado máximo de cada ovelhinha Sua. Podemos confiar cegamente nesse Amor infinito. A Palavra de Deus nos conduz a uma vida de vitória espiritual, porque é o manual para uma vida completa. Este manual nos oferece o mapa para o caminho da mansão celestial. “Jesus Cristo é o Caminho, e a Verdade e a Vida…” (Jo 14.6). Ele é o Salvador de todo aquele que quer chegar lá, e morar eternamente com Ele e os demais que O receberam como único e suficiente Salvador pessoal. A decisão é pessoal e única, e ninguém pode tomar decisão em nosso lugar. Por isso, a oportunidade é aqui e agora, amanhã pode ser muito tarde. O amanhã nem sempre chega.

“Louvar-te-ei, Senhor, de todo o meu coração; cantarei todas as tuas maravilhas” Sl. 9.1.

Graça e Paz!

O Sol da Justiça

O Sol da Justiça

“Mas para vós outros que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, trazendo salvação nas suas asas; saireis e salteareis como bezerros soltos na estrebaria” Ml. 4.2.

Como é agradável ver o nascer do sol! A luz, o brilho, o esplendor são maravilhosos aos nossos olhos, e causa bem-estar ao nosso espírito. O sol é a base da vida. Sem o sol  a terra seria vazia, sem vida. Entre os fatores que se destacam a respeito do sol são: luz, calor, vida. O sol é o principal transmissor natural da vitamina D. Tão importante para o ser humano. Não há como viver sem os benefícios  do sol.  Todos estes atributos são mínimos se comparados com o verdadeiro Sol. O Sol espiritual que é Jesus Cristo. Este Sol realmente nos oferece vida, e vida em abundância, vida eterna (João 10.10b). Somente Jesus pode nos iluminar para chegarmos a vida eterna.

Se o ser humano necessita do sol logo após seu nascimento, devido a necessidade de adquirir a vitamina D, com o seu desenvolvimento ele necessitará do Sol da vida, que é Jesus Cristo. Ele fixará com a Sua luz no coração humano, o conhecimento e a necessidade de seguir o Seu caminho. O ser humano necessita da claridade e da ação do sol para a sua sobrevivência física.  No entanto, porque ele foi feito à imagem e semelhança do seu Criador (Gn. 1.26),  traz consigo, também, a centelha espiritual. Somente o Criador pode iluminar o espírito humano.  A esta iluminação chamamos de Sol espiritual que é Jesus Cristo, o Sol da Justiça divina, o brilho sem igual, eterno. Desde a mais tenra idade aprendemos sobre Deus e a Sua importância em nossas vidas. Por que Jesus é considerado Sol da Justiça? Porque a Sua luz brilha no íntimo do ser humano. Esta luz não permite que a escuridão do pecado entre e permaneça na vida da pessoa. Quem anda na Luz de Cristo tem a Sua direção, a Sua orientação, Seus cuidados e o cumprimento de Suas promessas constantes na Sua Palavra.Tudo que o Senhor Deus revelou aos profetas, Ele cumpriu e cumpre sem modificação nenhuma. Não há mudança ou variação na Palavra de Deus. Ela é sempre atual e eterna.

Num passado muito remoto Deus criou um lugar maravilhoso para os seus eleitos viverem em paz. Com o pecado o ser humano foi sentenciado a viver dos seus esforços, seus trabalhos, depois veio a morte,  mas Deus nunca o abandonou. Deus preparou uma bênção toda especial para todo aquele que quer voltar a viver no paraíso celeste. Esta bênção se chama Jesus Cristo. Ele é o sol da justiça de Deus, é a luz que brilha no escuro da vida. “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei?” Sl. 27.1.

Todas as nossas necessidades são supridas quando nossos olhos estão voltados para o Sol da Justiça. O que nos mantém vivos é a Sua luz, e ao buscá-la em primeiro lugar, o resto nos é acrescentado (Mt 6.33). Porque o que vem depois é sempre ínfimo em relação ao Sol da Justiça. Que sejamos como os girassóis, cujas flores acompanham o movimento do sol, e estão sempre fixas na luz do sol. Assim também devemos ser perante o Sol da Justiça, fixos na Sua glória para sermos transformados à Sua imagem e semelhança. “Nascerá o sol da justiça, e cura trará em suas asas” Ml. 4.2.

“Porque o Senhor Deus é sol e escudo; o Senhor dá graça e glória; nenhum bem sonega aos que andam retamente” Sl 84.11.

Graça e Paz

Os misericordiosos

Os misericordiosos

“Bem aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia” Mt 5.7.

Ecl. 11.1. “Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás” Ec 11.1.      (pão do espírito – instrução)

Misericordioso é aquele que perdoa as ofensas que lhe fazem as pessoas, e considera a fraqueza dos outros. Ele está acima de qualquer ofensa, qualquer irritação, porque o seu espírito é nobre, compreensivo, bondoso, amoroso,  repleto das bênçãos de Deus. Ele é conduzido espiritualmente pelo Senhor Jesus. O Espírito Santo de Deus lhe concede toda boa obra, todo o bem-estar espiritualmente. O misericordioso tem em mente o enunciado que aparece em Eclesiastes: “Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás” Ec 11.1. Ele conhece muito bem o significado da palavra pão usada pelo autor deste livro.

Pão – Jesus é o Pão da vida (João 6.48), e alimenta a todos quantos se achegarem a Ele com fé e humildade. Jesus é o Pão do espírito, a instrução, e a estrutura espiritual que uma pessoa adquire, cuida, e cresce diariamente. Pão é tudo aquilo que mantém o nosso espírito nutrido, forte, capaz de enfrentar as dificuldades do dia a dia. Lançar o pão sobre as águas – águas (= multidão Ap. 14.2). Pão sobre as águas significa que a pessoa deve viver semeando a boa semente (Palavra de Deus) por toda parte, onde quer que ela esteja. Passar pela vida realizando boas obras – espirituais, e são as que ficam registradas no Livro da Vida. Deus é Espírito, e só se achega a Ele com obras espirituais. As obras materiais são realizadas em decorrência das espirituais. Não deixam de ser importantes, mas não são essenciais.

“Lança o teu pão sobre as águas…” isto é, viva de acordo com a Palavra de Deus, usufruindo de tudo que ela nos ensina, da confiança que ela nos transmite, da certeza da salvação de nossas almas imortais. As nossas almas são imortais, portanto, devemos pensar seriamente para onde iremos depois desta vida aqui. O Senhor Deus nos enviou o Seu Filho Unigênito para realizar um grande ministério, morrer na cruz no calvário, ressuscitar vitoriosamente, e nos oferecer de graça a salvação de nossas almas imortais. Para o Senhor Jesus não há acepção de pessoas. Todas são iguais perante Ele, mas a decisão é individual e personalizada. O Senhor não permite que uma pessoa decida por outra. Como Ele nos oferece a salvação de graça, nós só precisamos convidá-Lo a entrar em nossos corações (Ap. 3.20).

Se nós semearmos a boa semente (Palavra de Deus) durante as nossas vidas, estaremos lançando o nosso pão sobre as águas, e um dia quando necessitarmos de algo encontraremos os frutos dessa boa semente, que certamente nos alegrará muito com o seu resultado. Se a semente é boa, a colheita será boa também. Por exemplo: Uma sementinha de uva brota uma plantinha tenra, se fortalece, e se torna uma linda videira. Todos os seus frutos serão bons. Sempre alegrará o seu senhor. Assim é todo aquele que lança o seu pão sobre as águas, sempre terá um retorno bom, à altura daquilo que ele lançou no passado.

“… buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” Mt. 6.33.

Graça e Paz!

A bênção da paz

A bênção da paz

A bênção da paz  5

“O Senhor dá força ao seu povo, o Senhor abençoa com paz ao seu povo.” Sl. 29.11.

“Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos. Habite, ricamente a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração” Cl. 3.15,16.

Jesus é o príncipe da Paz. A palavra paz é pequenina, mas de um significado extraordinário e de difícil aplicação. Se o ser humano observasse os significados da palavra paz – repouso, sossego, silêncio, tranquilidade da alma, ausência de conflitos íntimos, concórdia, harmonia, e colocasse em primeiro lugar a paz em sua vida, tudo seria diferente. Para isso ele precisaria conhecer o Príncipe da Paz, Jesus Cristo. E se o Príncipe da Paz estiver no comando de uma vida, tudo passa a ser melhor. Aquele que era irrequieto, maldoso, trapaceiro, mentiroso, falsário, passa a ser comandado pelo Príncipe da Paz. Tudo muda em sua vida, até mesmo a saúde melhora, o bem-estar aumenta, a compreensão é ampliada.

A paz nos ensina a ser agradecidos a Deus pelo que recebemos de Suas dadivosas mãos. Passamos a entender que não temos nada de espiritual para oferecermos a Deus, e tudo que recebemos é dádiva Sua. Se o Senhor nosso Deus nos conhece desde antes do nosso nascimento, quando não tínhamos forma definida, não existíamos (Sl. 139.16), o que nós podemos oferecer a Ele espiritualmente? Mas Deus nos ama de tal maneira, que quer que todos se salvem e que todos estejam com Ele no paraíso celeste.

Deus quer que tenhamos a paz de Cristo como ponto principal em nosso coração. E que a Palavra de Cristo habite ricamente em nós. Através da Palavra de Cristo devemos nos instruir e nos aconselhar mutuamente em toda sabedoria espiritual, louvando a Deus com salmos, e hinos, e cânticos espirituais. Assim ocorre o crescimento espiritual, o qual transforma dia a dia a vida de uma pessoa. Deus quer que sejamos agradecidos em nossos corações, porque tudo Ele nos oferece graciosamente, Ele está sempre no comando de nossas vidas. Assim teremos a paz de Cristo em nossos corações.

“Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” 1 Pedro 2.9.

Graça e Paz!

Óleo de Alegria

Óleo de Alegria

AZeite“… óleo de alegria, em vez de pranto, vestes de louvor, em vez de espírito angustiado, a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para a sua glória” Is. 61.3b.

Salmo 45.7; – “Amas a justiça e odeias a iniquidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria, como a nenhum de teus companheiros”.

O azeite era produzido em grande quantidade na época do Velho Testamento.  A abundância de oliveiras na antiguidade permitia uma grande produção, e em consequência a facilidade que todas pessoas tinham de obtê-lo. O seu uso era  largamente difundido, e as suas propriedades comprovadas no dia-a-dia das pessoas. O azeite sendo rico em propriedades saudáveis e de fácil aquisição, era largamente usado:   na cozinha (alimentos), na saúde (cura de feridas, pois era um excelente cicatrizante. O seu uso contínuo evitava uma série de problemas na saúde). O seu emprego era importante como unguento (usado para massagear o corpo após o banho ou preparo para grandes festas). Era usado também como combustível, para conservar acesos os candeeiros, que iluminavam as casas, e o templo. O azeite era empregado também nos sacrifícios dedicados a Deus. Usava-se o azeite como ilustração de consolo, nutrição espiritual, prosperidade espiritual (Sl 45.7). Com todas essas propriedades o azeite passou a simbolizar o Espírito Santo. O Espírito Santo é suficiente para suprir toda e qualquer necessidade do ser humano.

Jesus passou momentos agonizando no Getsêmani, ou Jardim das Oliveiras, situado nos arredores de Jerusalém. O nome Getsêmani significa “lagar do azeite” (lagar = espécie de tanque onde se espremem e se reduzem a líquido certos frutos, no caso a azeitona). A escolha do local trazia com exatidão o que estava acontecendo com Jesus momentos antes de ser crucificado, quando iria ser sacrificado e esmagado como uma azeitona, a fim de que a humanidade pudesse receber o Espírito Santo em seus corações. (O Novo Dic. Da Bíblia – Vol. I).

Jesus realizou o sacrifício como vimos nas linhas acima. Ressuscitou, subiu ao céu, e nos enviou o Espírito Santo. O Espírito Santo é dado em abundância a todo aquele que crê no Senhor Jesus, mas é necessário que a pessoa creia, que busque a Deus, que entregue o seu espírito nas mãos de Deus. É necessário que a pessoa se converta ao Senhor Jesus, aceitando-O como seu único e suficiente Salvador pessoal. Cada pessoa é um mundo diferente, e é única diante de Deus. Por isso, o salmista diz: “Amas a justiça e odeias a iniquidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria, como a nenhum dos teus companheiros” Sl. 45.7. Por que o o teu Deus te ungiu? Porque você é único diante d’Ele. Se você quiser e aceitar o Senhor Jesus em sua vida, hoje o Senhor Deus o ungirá com o óleo de alegria. Toda conversão é um milagre de Deus, porque “Nós O amamos porque Ele nos amou primeiro” I Jo 4.19. O óleo espiritual é derramado em grandes porções na vida do convertido, simbolizando prosperidade espiritual, saúde, bem-estar, amor ao próximo, amor em todos os setores da vida, honestidade, fidelidade, paz completa, segurança, enfim, desfrutar de todas as bênçãos que estão prometidas na Palavra do nosso Deus.  Se todos os que se dizem convertidos tivessem consciência do tamanho do Amor de Deus por sua vida, tudo seria totalmente diferente.   Haveria paz no mundo.

O azeite  físico  é empregado para a solução de inúmeras necessidades do ser humano; o Azeite Espiritual é derramado em grandes porções na vida do convertido.  O Senhor unge cada  convertido, isto é, verdadeiramente convertido, consagrado, limpo de coração/espírito) com o óleo de alegria. Cada convertido é único na presença do Deus Altíssimo, cada um se apresenta a Deus individualmente, sem interferência de outros, daí não haver desculpa  se recebe ou não o óleo de alegria. O Salmo 45.7 diz: … Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria, como a nenhum de teus companheiros”. Sim, porque dada a unicidade pessoal diante de Deus, cada um recebe a sua porção. O ideal é que todo convertido tenha em abundância o azeite espiritual e desfrute de boa comunhão com Deus.

unçãoJesus disse: “Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges a minha cabeça com óleo; o meu cálice transborda”. Sl. 23.5.

“Os céus proclamam  a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos” Sl. 19.1.