Browsed by
Tag: Deus vivo

Fogo

Fogo

“Apareceu-lhe o Anjo do Senhor numa chama de fogo, no meio de uma sarça; Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo e a sarça não se consumia” Êx 3.2.

A palavra fogo nos transmite um significado muito forte, ora é algo apavorante, destruidor, queima, elimina, ora é muito benéfico, quando usado para cozer os alimentos, purificar objetos, como o ouro, a prata, proteger do frio, afastar animais ferozes na selva, pois o seu brilho, a sua luz, ofusca a visão dos animais, aquece em épocas frias, enfim, fogo faz parte da vida, não podemos nos desvencilhar dele. Mas o seu significado mais profundo é a essência do Deus vivo. Desde o início da Palavra de Deus encontramos o Senhor se manifestando através do fogo (Dt 4.12). Como podemos ver no versículo acima, o Senhor Deus se manifestou pela primeira vez numa chama de fogo. Assim o Senhor se manifestou ao povo de Israel. Também lemos que o Senhor Deus guardou este mesmo povo quando o guiava pelo deserto, a caminho da terra prometida.

Em Êxodo 13.21, encontramos o Senhor protegendo o Seu povo de dia com uma coluna de nuvem, e a noite com uma coluna de fogo. O Senhor Deus estava com o seu povo dia e noite. “O Senhor ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para guiá-los pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para alumiá-los, a fim de que caminhassem de dia e de noite!” “Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite” Êx 13.21,22. Assim, o Senhor as conserva até os dias atuais com o Seu povo. O Seu povo conta com uma coluna de nuvem de dia para protegê-lo das ciladas do inimigo das almas imortais, e uma coluna de fogo à noite para que não tropece e caia nas armadilhas do inimigo. Todo convertido ao Senhor Jesus tem essa proteção maravilhosa.

“Deus é fogo consumidor” Hebreus 12.29. Destrói o mau caráter, a mentira, o cinismo, a maldade, a concupiscência, a desonestidade, prostituição, a embriaguês, a falsidade, a inveja, enfim, tudo aquilo que emperra e impede a alma de se aproximar de Deus. O fogo de Deus é maravilhoso, purifica a alma tornando-a como o mais fino metal precioso. Ele trará vida em abundância, quando a pessoa é tocada pelo Santo Espírito de Deus, e ela O recebe de coração aberto e alegre. Ela cresce espiritualmente, e o crescimento espiritual transforma a pessoa sempre para melhor. Onde o Senhor Deus habita, o fogo é constante e maravilhoso. Deus é fogo consumidor e protetor. Ele limpa, purifica e protege a alma de quem caminha com Ele. Esse fogo é maravilhoso demais na vida de quem o possui.

E Eliseu orou: “Senhor, peço-te que lhe abras os olhos para que veja. O Senhor abriu os olhos do moço, e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu” 2 Rs 6.17.

 

Graça e Paz!

Rute e sua decisão

Rute e sua decisão

    “Não me instes para que te deixe, e me afaste de ao pé de ti: porque aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares à noite ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus”. Assim disse Rute a Noemi. Rt. 1.16.

Deus reverte as circunstâncias

Tempos depois morreu o marido de Noemi. Os dois filhos se casaram com moças da localidade, ou seja, moabitas.  O tempo passou e aconteceu que os dois filhos de Noemi, Malom e Quilion também morreram. Noemi sentiu-se solitária, embora vivesse com as duas noras, Rute e Orfa. Ela decidiu voltar à sua terra, e à sua parentela. Partiram. Noemi para Belém de Judá, e as noras para sua terra, Moabe. Quando Noemi e as noras se aproximaram de Moabe, ela quis despedir-se delas para que voltassem à casa materna. Orfa despediu-se de Noemi e de Rute e retornou a casa de sua mãe, mas Rute contestou, e não quis retornar a casa materna, antes firmou a sua decisão de acompanhar Noemi por onde quer que ela fosse. Os versículos 1.16 e 17 – Rute apresenta a Noemi a sua decisão.

A decisão inabalável de Rute foi fruto do trabalho espiritual de Noemi. O trabalho espiritual não acontece num piscar de olhos, sempre requer algum ou muito tempo para que  se fixe e produza resultado. Com certeza Noemi as ensinava a respeito do seu Deus. Deus vivo e verdadeiro. Rute aproveitou os ensinamentos, e se voltou totalmente a esse Deus maravilhoso. Entregou-se de corpo e alma a Ele. Confiou. Não duvidou. Decisão linda e digna de ser relatada e imitada.

Orfa ouviu os mesmos ensinamentos, mas não aprendeu nem apreendeu os ensinamentos que lhe foram transmitidos por Noemi. Preferiu voltar à sua casa materna, e à idolatria, porque Moabe era essencialmente idólatra.  Não se tem notícias dela depois que se despediu de Noemi. Assim acontece: quem crê no Deus vivo e verdadeiro tem as bênçãos e a alegria de viver; quem crê na idolatria não obtém bênção divina, porque a idolatria é inócua, sem valor algum. Ídolos não podem fazer nada por ninguém. Os ídolos são criações humanas feitos pelas mãos do homem. O homem é o seu criador, logo o homem é maior que o seu ídolo.

Ao chegar a Belém de Judá as duas procuraram parentes de Elimeleque para socorrê-las por algum tempo. Rute enfrentou serviço difícil, o de colher espigas no campo para ganhar o sustento dela e de Noemi. Rute renunciou a tudo que a cercava para ficar ao lado de Noemi e cuidar dela. Havia um costume entre os judeus, que se morresse algum homem de uma família, o irmão teria como obrigação casar-se com a viúva e suscitar herdeiro para o falecido. Quando este não tinha irmão, o encargo passaria ao parente mais próximo.

Assim aconteceu. Noemi e Rute ficaram amparadas na casa de um parente de Elimeleque, e por coincidência ele seria o resgatador mais próximo da viúva do parente falecido. O parente resgatador ficou encantado com a bondade, amor e personalidade de Rute, e por tudo que ela fizera para a sua sogra Noemi.  Ele imediatamente assumiu o seu compromisso de resgatador, casando-se com ela. Rute que havia abdicado a tudo que a vida poderia lhe oferecer, para cuidar de Noemi, recebeu bênçãos sem medida do Senhor Deus. Rute ganhou um marido, um filho que recebera o nome de Obede, um lar e muitos bens materiais.

O marido de Rute chamava-se Boaz, e  era dono de muitos campos. Noemi que se achava desamparada, recebeu ricas bênçãos do Senhor Deus, um lar juntamente com sua nora Rute, e um lindo neto para embalá-lo em seus braços. Teve uma velhice tranquila e cheia de dias. Todo aquele que confia somente no Senhor recebe de Suas mãos as mais ricas e variadas bênçãos. Quando tudo parecia sem solução, o Senhor veio ao encontro das duas e as encheu de bênçãos e de paz.

“Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes, e jamais falte o óleo sobre a tua cabeça” Ec. 9.8.

 

Graça e Paz!

Naamã

Naamã

2 Reis 5.1 a 19 – “Naamã, comandante do exército do rei da Síria, era grande homem diante do seu senhor
e de muito conceito, porque por ele o Senhor dera vitória à Síria; era ele herói de guerra, porém leproso” 2 Rs. 5.1.
Como grande comandante do exército que era, vencera muitas batalhas, e em uma delas prendeu uma menina de Israel, e a levou para sua casa para servir. A menina passou a servir na casa do comandante Naamã. Quando a menina tomou conhecimento que o seu senhor era leproso, – a lepra naquela época era algo mui ruim e discriminatória. – orientou-o dizendo-lhe que se ele estivesse em Israel, o profeta do Senhor Deus o curaria. A princípio Naamã não a levou a sério, mas depois de um tempo ele resolve certificar-se se era verdade.  Naamã levou esta notícia ao seu senhor,  rei da Síria.

O rei da Síria prontamente escreveu uma carta ao rei de Israel, pedindo que este curasse o seu comandante, mas o rei de Israel indignou-se, sentindo-se ofendido pelo rei da Síria, com a carta que este lhe enviara. Rasgou suas vestes, porque ele achou que o rei da Síria estava afrontando-o, com o pedido de cura da lepra do seu comandante. Rasgar as vestes era uma atitude coerente, humilde diante de Deus, porque a lepra era uma enfermidade conhecida como sendo castigo de Deus. A lepra na época era incurável, e geralmente, as pessoas eram afastadas da sociedade. O profeta Eliseu ouviu a respeito da indignação do rei, e perguntou-lhe porque ele havia rasgado suas vestes, e mandou que o comandante Naamã viesse até ele. Assim o comandante Naamã saberia que o Senhor Deus em Israel, tinha um profeta capaz de realizar todas as obras  que Ele quisesse, e em quem quisesse.A vontade de Deus é soberana.

O comandante atendeu prontamente ao profeta, e foi ter com ele. Ao chegar próximo a casa do profeta, este lhe enviara uma mensagem: “Vai, lava-te sete vezes, no Jordão, e a tua carne será restaurada, e ficarás limpo” 2 Rs. 5.10. A princípio, o comandante se indignou muito, porque ele esperava que o profeta viesse ao seu encontro, olharia a sua enfermidade, estudaria o seu caso, mas o profeta apenas mandou-lhe uma mensagem. Depois Naamã se indignou também porque o profeta mandou-o lavar-se no rio Jordão, sendo que havia outros rios melhores em Israel. Contudo, os oficiais de Naamã achegaram-se a ele e lhe disseram: se o profeta tivesse pedido algo muito difícil, com certeza o comandante  faria, então porque não fazer o mais fácil? O profeta apenas disse: “… Lava-te e ficarás limpo”.

Assim fez o comandante como o profeta de Deus lhe havia dito. No final do último mergulho a sua carne estava tão limpa como a de uma criança. O comandante estava totalmente limpo, curado da lepra. Então, ele voltou com os seus oficiais até o profeta de Deus para agradecê-lo, e queria que este recebesse os presentes que ele lhe trouxera, mas Eliseu, o profeta, não aceitou. O comandante instou com ele para que aceitasse, mas Eliseu, ao não aceitar, despediu-o e disse: “Vai em paz”. 2 Rs.5.19. O profeta de Deus não misturou a ação da cura da enfermidade, que foi orgânica, física, com o agradecimento que é espiritual. O agradecimento do comandante que Eliseu aceitou foi ele reconhecer que havia um único Deus vivo e verdadeiro, que realiza os mais complexos milagres. Para Deus tudo é possível. Lc. 1.37.

O mesmo Deus de Eliseu é o nosso Deus. Esse Deus maravilhoso faz milagres a todo instante em nosso meio, basta parar e observar. A lepra, uma enfermidade física, orgânica, tão temida na época, permanece hoje na alma das pessoas. Quantas pessoas são leprosas espiritualmente falando, mas essas pessoas não vão procurar um profeta (pregador da Palavra) de Deus para se limpar totalmente dessa enfermidade. O Senhor Jesus é o rio Jordão (simbólico) que lava e purifica toda e qualquer pessoa que nele entrar. O Senhor Jesus pode limpar totalmente uma alma leprosa espiritualmente, e  torná-la igual à alma de uma criança, limpa, bonita, feliz, sincera, fiel. O Senhor Jesus também manda uma mensagem: “Vós estais limpos pela palavra que vos tenho falado” João 15.3. Is. 1.18. Imagine a alegria de Amã ao ver-se curado de sua enfermidade. Agora imagine uma pessoa coberta de lepra espiritual, chegar aos pés do Mestre amado Jesus Cristo e ficar totalmente livre de sua enfermidade, e ainda com a certeza de sua salvação para  o porvir. “Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro” Ap. 22.1.

“Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal” Is. 1.16.

Graça e Paz!

Aliança eterna

Aliança eterna

O Senhor disse a Abraão: “Eu sou o Deus todo Poderoso; anda na minha presença e sê perfeito” Gn 17.1b.

Desde o início da Palavra de Deus (Bíblia) encontramos uma personagem muito conhecida, e muito abençoada – Abraão. A bênção que Deus deu a Abraão, não era somente para ele, mas para todos os seres humanos que viessem a crer. O Senhor Deus disse a Abraão: “Eu sou o Deus todo poderoso; anda na minha presença e sê perfeito” (Gn 17.1b). A promessa foi feita a Abraão e ao seu descendente – Jesus Cristo. Portanto, a promessa não foi feita aos descendentes, mas apenas ao descendente Jesus Cristo. E através de Jesus Cristo são integrados todos quantos O aceitarem como seu único e suficiente Salvador pessoal. A decisão é individual e personalizada. Uma pessoa não pode tomar decisão por outra.

A Aliança Eterna é a fé. A fé é algo que existe no mais profundo do espírito humano. É algo intocável, irremovível, indestrutível, por mais perseguida que uma pessoa seja, ou massacrada, a sua fé continua intacta. Abraão foi chamado por Deus (Gn 12.1-5; Hb 11.8); Abraão o pai da fé (Rm 4.16). A Aliança de Deus com os seres humanos teve início na pessoa de Abraão. Este já cria em um Salvador que viria mais tarde, e realizaria o grande ministério para a salvação de todo aquele que crê que Jesus Cristo é o Senhor e Salvador. Desde que ocorreu a desobediência no jardim do Éden, e que o Senhor Deus expulsou o ser humano de Sua presença, enviando-o a terra para que a cultivasse e cuidasse do seu sustento, Deus também providenciou um Salvador – Jesus Cristo.

A Aliança Eterna teve início nos primórdios da criação, permaneceu através dos tempos, tendo como base principal a fé. ”Ora, a fé é a certeza de cousas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem” Hb. 11.1. Pela fé as pessoas viveram e esperaram no Senhor, e atualmente vivem esperando a segunda vinda do Senhor Jesus. A Aliança Eterna de Deus para com seu povo é a fé. Fé é dom de Deus Ef. 2.8. O Senhor Deus concedeu gratuitamente a fé a Abraão, e assim o faz até os dias atuais. A fé é gratuita, assim como a salvação também o é.

A palavra Aliança pode ser traduzida também por testamento. O testamento decorre de uma herança. Sempre que há testamento, há também algo a ser recebido por alguém. Assim, a Aliança de Deus nos oferece um lugar no lar celestial juntamente com Jesus Cristo e os demais salvos. Esta Aliança durará eternamente. “Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade” Hb. 11.16.

“E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção” Ef. 4.30.

Graça e Paz!

Monte Carmelo

Monte Carmelo

Monte Carmelo (= Vinha de Deus).

O monte Carmelo é uma montanha muito bonita, com solo muito fértil, onde os agricultores têm grande sucesso na plantação de uvas, além de ser palco de grandes vitórias. É uma montanha que se localiza na costa de Israel, com vista para o mar Mediterrâneo. O seu nome significa jardim ou campo fértil, mas é mais conhecida como a Vinha de Deus. O Monte Carmelo não é considerado alto, atinge aproximadamente, 550 metros acima do nível do mar.

Embora a Bíblia descreva o monte Carmelo como muito bonito e frutífero (2 Cr 26.10; Is. 35.2; Jr 46.18), a maior parte dos crentes associa a área com uma  grande competição. Em 1 Reis 18.17-40 encontramos o espetacular confronto do profeta Elias com 450 profetas de Baal e 400 profetas do poste-ídolo no monte Carmelo. O Senhor Deus ordenou a Elias que confrontasse o rei Acabe de Israel (1 Reis 18.18) porque este desobedeceu ao Senhor Deus e permitiu a adoração de outros deuses, e também porque permaneceu ao lado de sua malévola esposa fenícia Jezabel, que havia mandado massacrar os profetas do Senhor (1 Reis 18.4).  A desobediência do rei Acabe e sua mulher Jezabel insultou o Senhor Deus, que cobrou duramente dos seus responsáveis.

A adoração a Baal ou adoração de ídolos é totalmente condenada pelo Senhor nosso Deus.  Foi também no monte Carmelo que, segundo a Bíblia, Elias fez descer fogo do céu, que consumiu por duas vezes os 50 soldados com o seu capitão, que o rei Acazias tinha mandado ali para prender o profeta, em virtude ter este feito parar os seus mensageiros que iam consultar Baal Zebube, deus de Ecrom. (2 Reis 1.9-15).  Foi no monte Carmelo que Elias provou que o Senhor Deus é vivo, verdadeiro, criador de tudo e de todos, e que somente a Ele deve ser dedicada toda adoração.

O monte Carmelo é símbolo de grandes vitórias, confirmando que o único e verdadeiro é o Senhor nosso Deus. E que Baal é exclusivamente um ídolo, que não pode fazer nada por seus seguidores. Ídolos feitos pelas mãos humanas, que não podem se locomover, nem falar, agir, reagir, ou dar sinal de vida (Is. 2.8; 2.18;  48.5). A Palavra de Deus condena de capa a capa a adoração de ídolos, porque somente Deus é todo Poderoso, Onisciente, Onipresente e Onipotente. Ele é o Senhor da Vida. Ele não permite interferência de deuses (ídolos) em sua criação. Os ídolos são muitos, mas nem um pode fazer nada por ninguém.

O Senhor Deus em sua infinita misericórdia enviou Seu Filho Jesus Cristo para realizar o sacrifício na cruz do calvário, ressuscitou ao terceiro dia, para oferecer de graça a salvação de todo àquele que quer ser salvo. Toda pessoa que se arrepende de seus pecados e aceita a salvação através de Jesus Cristo, tem uma vida nova. Podemos compará-la ao monte Carmelo. Vida produtiva, fértil, florida espiritualmente. Muitas vezes, a pessoa é atacada pelos idólatras dos mais variados tipos, outras vezes por problemas do cotidiano, mas ela sempre será vitoriosa, como Elias o foi no monte Carmelo.

A vitória é certa e mui grande, porque o profeta Elias venceu com a certeza e a segurança que ele tinha no Senhor Deus. Todo convertido pode ser comparado ao monte Carmelo. O Monte Carmelo é firme, forte, invencível, digno de toda admiração. O monte Carmelo é conhecido como a “vinha do Senhor”. Todos os convertidos fazem parte da vinha do Senhor. Jesus é a videira, e cada indivíduo que continua  firme, servindo a Ele com fidelidade faz parte dessa videira. Jesus disse: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor” João 15.1.

“Se alguém não permanecer em mim, será lançado fora, à semelhança do ramo, e secará; e o apanham, lançam no fogo e o queimam. Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito. Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos” (João 15:6-8).

Graça e Paz!

 

Honra, Poder e Glória

Honra, Poder e Glória

Honra, poder e glória“Teu, Senhor, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu, Senhor, é o reino, e tu te exaltaste por chefe sobre todos” 1 Cr. 29.11.

 Ao Senhor Deus Todo Poder, toda Honra, e toda Glória. Assim o Senhor Deus quer que nos dediquemos a Ele, observando sempre que somente a Ele devemos atribuir toda a nossa atenção, consideração, e adoração. O Senhor Deus é o Criador de tudo e de todos. Portanto, somente Ele é digno desses atributos. O Salmo 96.6 diz: “Glória e majestade estão diante dele, força e formosura, no seu santuário”. Em 2 Cr. 5.14 diz: “… porque a glória do Senhor encheu a Casa de Deus”. Não existe outro poder acima do poder do nosso Deus. Por isso, devemos reconhecer que somos pequeninos e frágeis diante d’Ele, e que dependemos d’Ele em tudo.

É muito comum encontrarmos pessoas querendo ser maiores que Deus. Pensam que podem caminhar sozinhas pelo mundo, sem se preocupar com a saúde física, orgânica, espiritual. Essas pessoas não fazem mal somente para elas próprias, mas a todas as pessoas que as rodeiam.  Porque, os que não têm a presença de Deus em sua vida, consequentemente, são pessoas amargas, tóxicas, invejosas, que vivem brigadas com a humanidade. Pessoas que caminham com o Senhor Deus são saudáveis espiritualmente, logo, são mais saudáveis também física e organicamente. Essas são pessoas que valem a pena onde quer que estejam. Pessoas que não se preocupam com a saúde espiritual não podem querer que o Senhor as abençoe e as guarde.

Ao Senhor Deus Todo Poder, toda Honra, e toda Glória, assim consta no manual que o Senhor Deus nos deixou para seguirmos de modelo proposto por Ele. Todo aquele que adquirir esse manual e estudá-lo diariamente, sabe que somente ao Senhor Deus devemos toda a nossa condução, proteção, paz espiritual. As pessoas normalmente enfrentam problemas, porque fazem parte da vida diária, mas debaixo dos cuidados de Deus tudo fica mais leve, mais seguro, mais palatável. Se todas as pessoas que se dizem cristãs, conhecessem bem o manual do Senhor Deus (Bíblia Sagrada), tudo seria muito diferente. As demais religiões confiam em homens. Homens que viveram e morreram como qualquer outro mortal. Não ressuscitaram. Restaram apenas os ossos. Como podem fazer algum milagre ou alguma graça por pequena que seja?

O nosso Deus é vivo, poderoso, Senhor da Terra e do Céu. Ele não permite adoração a qualquer deus ou ídolos. A Sua Palavra condena veemente toda adoração que se desvia da verdadeira adoração, que é dedicada totalmente a Ele, Senhor dos Senhores (Is. 43.11,12). Ao Senhor Deus todo Poder, toda Honra, e Toda Glória. Somente Ele é o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim (Ap. 22.13). O Senhor Deus nos enviou Seu Filho amado Jesus Cristo, o qual, morreu e ressuscitou ao terceiro dia. Subiu aos céus (At. 1.9). O qual voltará com poder e grande glória para levar todo aquele que se converteu a Ele, e seguiu Seus passos.

“A glória do Senhor se manifestará, e toda a carne a verá, pois a boca do Senhor o disse” Sl. 40.5.

“Amém. O louvor, e a glória, e a sabedoria, e as ações de graças, e a honra, e o poder, e a força sejam ao nosso Deus, pelos séculos dos séculos. Amém” Ap. 7.12.

Graça e Paz!