Browsed by
Tag: pecado

Criador e Redentor

Criador e Redentor

“Virá o Redentor a Sião e aos de Jacó que se convertam, diz o Senhor” Is. 59.20.

Deus é Criador de tudo e de todos. Deus criou o ser humano para viver no paraíso e na presença d’Ele, mas desobedeceu a vontade de Deus, e foi expulso de um lugar maravilhoso criado única e exclusivamente para ele. Não valorizou o amor que Deus dedicou a ele. Com a expulsão do ser humano do paraíso, aconteceu a separação entre Deus e o homem. Essa separação tem como consequência os mais variados tipos de problemas presentes na vida de uma pessoa. Deus preparou um antídoto a essa desobediência e separação. Deus preparou um Redentor (aquele que redime), Jesus Cristo. Desde o princípio Jesus Cristo foi anunciado, e no tempo previsto por Deus, Ele veio em forma humana e realizou tudo o que fora predito pelos Profetas. Jesus Cristo é redentor. Redentor é aquele que resgata uma dívida de alguém.

Resgatar uma dívida de alguém é pagar o que a pessoa deve, e livrá-la daquele compromisso. Consta no Antigo Testamento a lei do resgate. Se alguma pessoa contraísse uma dívida, e não tivesse como saudá-la, e perdesse seus bens ou terras, uma pessoa da família deveria fazê-lo.   Era uma lei ou obrigação não permitir que um parente sofresse as consequências de uma dívida. Há o relato acontecido com Noemi no livro de Rute. Noemi partira com o marido Elimeleque e os dois filhos, abandonando suas terras, e foram para um lugar distante. Os anos se passaram e Elimeleque morreu. Anos depois os dois filhos também morreram. Noemi ficara sozinha e desamparada, então, resolvera retornar à sua terra natal, e uma de suas noras, Rute a acompanhara. Noemi voltara sem condições de se manter financeiramente, mas há um parente que se torna o seu resgatador, Boaz. Boaz resgata as terras herança de Elimeleque. Boaz não só resgata as terras como também cumpre outra lei que era suscitar herdeiro ao falecido, daí o casamento de Boaz com Rute, nora de Noemi. O herdeiro do falecido Elimeleque fora Obede, filho de Boaz com Rute, Obede foi avô de Davi.

Jesus Cristo é o Redentor, aquele que resgata qualquer dívida espiritual, por maior que ela seja, isto é, o pecado, Ele resgata o ser humano. Ele já pagou a dívida de todo aquele que n’Ele crê. O resgate é total: Ele cura as enfermidades da alma, endireita os caminhos, oferece alegria e bem-estar ao deprimido…  “Amaste a justiça e odiaste a iniqüidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria como a nenhum dos teus companheiros” Hb. 1.9.  Ele unge aos Seus com o “… óleo de alegria, em vez de pranto, vestes de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para sua glória” Is. 61.3b.

A dívida que o ser humano tem com Deus é o seu desvio da Palavra de Deus, da ordem de Deus. Deus quer o ser humano seja íntegro, santo como Ele é santo. Cabe ao ser humano buscar cada vez mais a proximidade com Deus, e andar em Seus caminhos. Jesus Cristo oferece gratuitamente o resgate da dívida de cada um para com Deus. Jesus Cristo oferece o passaporte para a vida eterna juntamente com Ele e os demais salvos por Ele. I Pedro 1.16 – “Sede santos, porque eu sou santo”.  Lv. 11.45b – “… portanto, vós sereis santos, porque eu sou santo”. Lv. 19.2 – “… Santos sereis, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo”.

“Porque derramarei água sobre o sedento e torrentes, sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito, sobre a tua posteridade e a minha bênção, sobre os teus descendentes” Isaías 44.3.

Aquele que sara

Aquele que sara

 

“Ele é quem perdoa todas as tuas iniqüidades; quem sara todas as tuas enfermidades” Sl 103.3. Is. 61.1,2.

Somente Deus pode perdoar pecado, porque Ele é único, Criador de tudo e de todos. Sendo Ele Criador, somente Ele tem a essência de cada ser criado por Ele, assim Ele pode limpar eliminar toda e qualquer impureza que condena a pessoa, mas para isso é necessário que a pessoa se arrependa dos maus atos praticados, e volte-se ao seu Senhor. Somente Deus sara todas as enfermidades, porque somente Ele pode restabelecer a saúde espiritual na vida do ser humano. Sarar quer dizer, ficar livre daquele mal, livre da condenação eterna.

Não há bênção material maior do que a saúde, mas para isso é necessário que a pessoa valorize a saúde espiritual. Se assim o fizer, uma complementa a outra. A pessoa saudável espiritualmente é uma bênção onde quer que vá, além de construir uma sociedade melhor, mais justa, dentro da lei do Senhor. É muito raro uma pessoa que procede assim. O ser humano foi criado para a honra e glória de Deus, para viver feliz, mas o pecado mudou tudo, e acabou dominando. Quando falamos que Deus cura todas as enfermidades, estamos nos referindo à cura da alma, porque no mundo físico há muitas enfermidades, e a pessoa não está imune totalmente, embora Deus possa todas as coisas, ela enfrenta os problemas de saúde normais.

Uma pessoa pode ter muitas enfermidades na alma/espírito. Essas enfermidades são piores do que as físicas, porque vão minando a pessoa por dentro, até o ponto insuportável. Normalmente, a pessoa transmite aquilo que ela é no seu interior, por isso, que a pessoa deve ou tem por obrigação buscar alimento para a alma/espírito. Sendo ela criada por Deus a Sua imagem e semelhança, ela precisa se achegar a Ele para alimentar-se espiritualmente. Deus na Sua infinita misericórdia enviou Seu Filho Jesus Cristo para a alimentação e salvação de todo aquele que reconhecer que sozinho não consegue alimentação para a sua alma/espírito e não consegue também a salvação de sua alma imortal.

Durante a caminhada no deserto o povo de Israel experimentou muitos milagres, um deles é o da saúde e a cura das enfermidades. O Senhor sarou as águas amargas de Mara (Êx. 15.25) e saciou o povo. Aquelas águas amargas que faziam mal à saúde, representavam exatamente a vida comum que uma pessoa tinha. Deus ordenou a Moisés que colocasse uma palmeira que estava ali por perto dentro da água e a água ficou doce, boa para o consumo. Aquela palmeira representa o Senhor Jesus que se a pessoa colocá-lO em sua vida amarga, sem brilho, sem rumo, sem esperança, Ele a tornará doce, brilhante, valiosa, muito boa, e o mais importante válida para a vida eterna.

Atualmente, o povo continua a caminhada pelo deserto espiritual. Deus sara as águas espirituais e sacia o povo através do louvor, da oração, da Sua Palavra, da santificação. A caminhada continua firme e forte rumo ao paraíso celeste. Dificilmente, a pessoa crê em milagres, porque não há tempo nem interesse para observar as maravilhas que o Senhor nosso Deus fez e faz, mas acontecem diariamente na vida das pessoas. Quantas pessoas são curadas através de orações, conversões, leituras bíblicas. As curas não são contadas porque são espirituais, não são visíveis. Da mesma forma são as curas físicas ou mentais (Mt 11.28-30), quando uma pessoa é curada espiritualmente, normalmente, muitas vezes, acontece a cura física. O Senhor Jesus não prometeu um “mar de rosas” àqueles que se convertem a Ele, mas Ele prometeu estar com a pessoa todos os dias de sua vida (Mt 28.20). “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia n’Ele e o mais Ele fará” Sl. 37.5.

“… Converta-se ao Senhor (…) e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar” Is. 55.7b.

Bênção de Deus

Bênção de Deus

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus” – Efésios 2:8.

O Senhor Deus deu-lhes as orientações imutáveis sobre tudo o que deveriam fazer, para viver em paz com Ele. Mas, eles desobedeceram, pecaram perante o Senhor Deus, e como a verdadeira justiça está n’Ele,  foram expulsos do paraíso celeste, da presença de Deus, sendo condenados ao árduo trabalho para obter o seu sustento, e enfrentar as dificuldades do dia a dia. Mas o Senhor sendo justo,  amoroso e compassivo, não voltou atrás quanto a sua bênção para o ser humano. Ela permanece viva até o dia de hoje, e o será eternamente.

As bênçãos de Deus são constantes em nossas  vidas. Desde o nosso levantar até o final do dia ao deitar, contamos com tantas bênçãos que é impossível enumerá-las. O Amor de Deus realiza milagres constantemente em nossas vidas. Em Isaías 55.13, o profeta nos diz que onde há a bênção do Senhor Deus, há também a Sua maravilhosa presença.  Com a presença de Deus em nossas vidas tudo se transforma: em lugar de espinheiro, crescerá o cipreste, e em lugar da sarça crescerá a murta. O profeta trata do espinheiro (planta cheia de espinhos) e da sarça (árvore seca) espirituais, que são as dificuldades que a pessoa enfrenta no cotidiano. Dificuldades espirituais, geralmente ocorrem porque a pessoa  não valoriza ou não dá o devido valor às bênçãos de Deus;  assim, ela fica distante e desprotegida. Mas, quando ela se aproxima do Senhor Deus, e valoriza cada bênção recebida, o espinheiro se transformará  em cipreste, que é uma planta com flores lindas e muito perfumadas, da qual se extrai a essência para o perfume; a sarça dará lugar a murta, que é também uma planta cujas flores são muito cheirosas. Traduzindo espiritualmente essas comparações, podemos dizer que toda e qualquer dificuldade espiritual é resolvida com a presença e a valorização das bênçãos do Senhor Jesus no embate da vida.

A transformação de uma vida em cipreste ou murta é muito  rica em bênçãos. A pessoa passa a uma vida cheia de paz, amor, segurança. Tal é a segurança, que a pessoa tem certeza do seu lugar assegurado no porvir, nas mansões celestiais.  As bênçãos do Senhor Deus vem através da aceitação do Senhor Jesus Cristo em um coração quebrantado e um espírito contrito,  da leitura da Sua Palavra, da oração, da meditação.  A decisão é individual e personalizada, isto porque o que conta é a decisão espiritual de cada pessoa. E esta tomada de decisão só pode ocorrer mediante o querer, a sinceridade de quem está a receber a bênção da inclusão ao povo escolhido por Deus. Se não for assim, a salvação passará longe da pessoa. Somente Jesus oferece gratuitamente a salvação e a mudança de vida a uma pessoa.

A Palavra de Deus fixa em nossos corações a mensagem sobre os cuidados de Deus sobre a sua criação. A Palavra de Deus é a água da Vida, que mantém vivo e saudável todo aquele que busca aconchego no Senhor nosso Deus.  A Palavra de Deus é eterna, e transforma o coração por mais duro e difícil  que seja. Pois, o coração pode ser comparado ao monte Sião, porque o monte Sião está em seu lugar sempre. Não se abala com nada, permanece inabalável, através dos séculos  (Sl. 125.1). Assim acontece ao coração transformado pela Palavra de Deus, ele jamais se abala, mas permanece firme e fiel a Deus.  Assim precisamos ser para com Deus, inabaláveis. Firmes e confiantes até o fim. A cada ser humano é atribuída a bênção do Senhor Deus, a bênção da vida. Cabe a cada um honrar e corresponder a essa bênção maravilhosa. Porque Deus é inabalável, imutável. Ele é o princípio e fim. Apoc. 22.13.

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” Fl. 4.7.

Graça e Paz!

Justiça

Justiça

Justiça 4

“O efeito da justiça será paz, e o fruto da justiça, repouso e segurança, para sempre” Is. 32.17.

“Compra a verdade e não a vendas; compra a sabedoria, a instrução e o entendimento” Pv. 23.23.

Sempre que nos referimos à justiça, sentimos que é algo muito bom. Porque ela nos traz tranquilidade, paz, confiança e a certeza de que algo está correto. Mas a Justiça de Deus é muito superior a qualquer justiça humana, que muda sempre que há conveniência, ou adaptada de acordo com quem a pratica. A Justiça de Deus é algo maravilhoso. Não muda. Não há necessidade de correção ou adaptação. O Senhor Deus é quem a aplica sempre que haja necessidade. O mais importante na Justiça divina é que a própria pessoa que pratica o delito, e em troca recebe a punição de Deus na medida certa e no momento certo. “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” Gl. 6.7.

A Justiça divina é de uma riqueza espiritual fabulosa, indizível, porque através dela  tudo caminha rigorosamente controlado. O Senhor Deus  está sempre no comando de tudo e de todos. Nada sai errado. Encontramos tudo a respeito da Justiça divina no Seu Livro Santo. Todas as pessoas deviam conhecê-Lo desde a mais tenra infância. Como isso não é aplicado a todos os seres, daí a grande falha na aplicação da justiça humana. Quem não conhece a Justiça divina dificilmente aplicará corretamente a justiça humana também. Muitos não conhecem a justiça humana, nem a divina, vivem como abandonados do saber, do conhecimento, apenas vivem.

Quando uma pessoa neste nível ouve a respeito da Palavra de Deus, e ela é receptiva, o Senhor entra no seu coração/alma/espírito e faz ali morada. É a bênção da salvação. Daí, ela inicia o seu conhecimento da Justiça divina, e de tudo quanto consta no manual do Senhor para a vida humana. É maravilhoso poder entender e aplicar à própria vida o que Deus quer de nós. O Senhor Deus foi muito cuidadoso ao criar o manual da vida humana, porque ali consta tudo para uma vida feliz e consagrada a Ele. A felicidade é completa, e a eternidade garantida por Ele a todo aquele que O receber como o seu único e suficiente Senhor e Salvador pessoal. A Justiça divina é aquela que nunca falha, e não faz acepção de pessoas. Para o Senhor Deus somos todos iguais. Graças a Deus.

“Quando te desviares para a direita e quando te desviares para a esquerda, os teus ouvidos ouvirão atrás de ti uma palavra, dizendo: Este é o caminho, andai por ele” Isaías 30.21.

Graça e Paz!

 

A grandiosa solução: A ressurreição de Jesus Cristo

A grandiosa solução: A ressurreição de Jesus Cristo

Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie” (Ef 2.8-9).

Ressurreição 2Desde os primórdios da civilização quando o ser humano pecou, desobedeceu  a ordem do Senhor Deus, e foi ao encontro do pecado, daí resultou a morte espiritual, em conseqüência a morte física, e a vida sem esperança. O pecado entrou no mundo através de um homem, e o resultado atingiu todos os seres humanos. Todos morrem sem exceção. O sofrimento veio em  todas as áreas da vida. O ser humano desfez o plano de Deus para viver uma vida de pecado, de desobediência, de sofrimento, enfermidades, e muitos revezes que acontecem no decorrer da vida.

Mas a promessa de Deus foi cumprida. Ele enviou Jesus Cristo, Seu Filho Unigênito, para que cumprisse tudo o que fora dito pelos profetas do Senhor Deus, e morresse na cruz do calvário, derramando o Seu precioso sangue, para que olhássemos para Ele e sentíssemos que aquele lugar era de cada um de nós. Jesus ressuscitou ao terceiro dia após a sua morte. Mostrou-nos que Ele é o Salvador de todo aquele que n’Ele crê. Ele morreu e ressuscitou, venceu a morte e nos mostrou que se O recebermos como nosso único e suficiente Salvador pessoal, também ressuscitaremos como Ele ressuscitou e viveremos  eternamente junto a Deus Pai.

Jesus Cristo é o próprio Deus que reconcilia o ser humano com Ele, e lhe oferece  a oportunidade de volta ao paraíso celeste, como era no princípio.  Mas Deus quer que cada pessoa tome a sua decisão individualmente, de livre e espontânea vontade. O Senhor Deus oferece a todos a mesma oportunidade, sem acepção de pessoas. O Apocalipse nos mostra a maravilha que é o Paraíso Celeste. “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá” (Jo 11.25).

A vida de quem recebe o Senhor Jesus como seu Salvador pessoal, muda totalmente. A pessoa começa receber as bênçãos prometidas por Ele. A paz que somente Jesus pode dar (João 14.27). E no porvir a vida eterna no paraíso celeste. Quando Jesus subiu ao monte da transfiguração com Pedro, Tiago e João, transfigurou-Se  diante deles, para mostrar como era um pouquinho de Sua glória, trouxe também Elias e Moisés para falar com Ele (somente com Ele – Jesus). Elias e Moisés já estavam na glória há muitos e muitos anos. Ali, Jesus mostra a maravilha da ressurreição.  Mt. 17.1-8. Embora, haja muitos problemas, dificuldades e sofrimentos, tudo fica mais leve, mais compreensível quando o Senhor caminha conosco. Não há promessa de um mar de rosas na vida de uma pessoa, mas há promessa da companhia e dos cuidados  contínuos do Senhor Jesus.

A ressurreição de Jesus Cristo oferece uma vida abundante de bênçãos, confiança no futuro, sem medo do que possa acontecer, porque o Senhor está com a pessoa. Uma vida cheia de esperança, porque a pessoa pode fazer planos para o futuro, ter a certeza de que não está sozinha, mas com uma ótima companhia. Quando recebemos o dom da vida espiritual, somos postos em liberdade (João 8.32). O Senhor Deus oferece a passagem gratuita de volta ao lar celestial. Basta procurá-la com o Senhor Jesus Cristo, Ele já pagou por ela na cruz do calvário.

Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo. 10.10).

Graça e Paz!

… e o vosso pecado vos há de achar…

… e o vosso pecado vos há de achar…

... e o vosso pecado vos há de achar

“Porém, se não fizerdes assim, eis que pecastes contra o Senhor; e sabei que o vosso pecado vos há de achar” Nm. 32.23.

Sábio é aquele que aproveita a grande oportunidade que Deus lhe oferece gratuitamente, que é a salvação eterna de sua alma imortal. O Senhor Deus enviou o Seu Filho Unigênito: Jesus Cristo, para desenvolver o ministério que Ele planejara cuidadosamente para a salvação de todo aquele que se preocupa com a sua alma imortal, e quer salvá-la para a eternidade. Jesus nasceu como foi escrito e anunciado pelos profetas do Velho Testamento. Jesus Cristo realizou todo o ministério que Deus Pai Lhe confiou. Morreu na cruz do calvário, derramou o Seu precioso sangue, ressuscitou ao terceiro dia. Ressuscitado, subiu ao céu para junto de Deus Pai. Jesus prometeu que voltará (At. 1.9). Todo aquele que crer n’Ele será salvo.

Deus realizou Seu grande plano para que todo aquele que aceitar esse plano, receba as bênçãos prometidas por Ele, e a vida eterna juntamente com Ele e os demais salvos e bem-aventurados.  Aquele que fizer o contrário, e  valorizar mais o material, físico ou orgânico, que o espiritual, e viver em pecado continuamente, deveria pensar que todo pecado não confessado, não arrependido, não perdoado, por mais oculto que esteja, um dia voltará  à tona com o seu resultado maior do que ele representava. A Palavra de Deus diz: “… e sabei que o vosso pecado vos há de achar”. Para Deus não há limite de tempo, para Ele o tempo é sempre presente, eternamente presente. Se a pessoa cometer pecado abominável, hediondo, hoje, com certeza receberá o retorno em qualquer época de sua vida. Quando tudo parecer tranquilo, esquecido, eis o resultado a porta, e nem sempre em condições de ser resolvido a contento.

A pessoa depravada, amoral, não toma conhecimento da verdade divina, nem se preocupa com a salvação de sua alma imortal. Esta pessoa está zombando de Deus, porque Ele é o Senhor e Criador de tudo e de todos. A Ele devemos toda honra, toda glória, todo poder, e é para Ele que devemos voltar os nossos olhos, nossos pensamentos, nossas vidas. A Palavra de Deus diz que de Deus não se zomba, e tudo aquilo que a pessoa fizer ou praticar isso também ceifará ou colherá (Gl. 6.7). Isto porque o Senhor Deus está em todos os lugares, não há onde se esconder ou fugir de Seus olhos (Sl. 139).

Quando menos a pessoa espera, eis que o pecado praticado está de volta,  retornando com valor dobrado ou multiplicado. Se as ações bem planejadas, bem realizadas, frutificam com o passar do tempo, e apresentam seus preciosos frutos, acontece a mesma coisa com as ações pecaminosas, isto é, elas apresentam os frutos ruins dessas ações, com retorno multiplicado. O tempo não para, e  o ser humano vive e planta as mais variadas sementes, e,  no tempo certo colhe o resultado do plantio. Para isso, Deus nos deu a bênção do discernimento entre e o bem e o mal, e nos deixou livres para escolhermos entre um e outro. Deus exige que cada ser humano responda pela decisão individual e personalizada, para o bem ou para o mal.  Se  ele, em suas ações,  quer ser salvo,  e pratica o bem,  ou se quer seguir os seus próprios desígnios, quase sempre para o mal.  Os frutos virão de acordo com o plantio realizado.

Deus ama a todos indistintamente, para Ele não há acepção de pessoas. Deus é um Pai amoroso, bondoso, cuidadoso, mas Ele é extremamente justo. N’Ele não há nenhuma sombra de dúvida, nenhuma mudança, nem um senão. Deus é Amor (I João 4.8).

“Não vos enganeis:  de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” Gl. 6.7

Graça e Paz!.

 

A paz que emana do perdão

A paz que emana do perdão

A paz que emana do perdão. 1

“Considera as minhas aflições e o meu sofrimento e perdoa todos os meus pecados.” Sl. 25.18.

O pecado está sempre presente no mundo incrédulo, violento, sem parâmetro que o limite. O pecado se apresenta mui lindo, com muitas vantagens, muitas promessas valiosas, mas na realidade não tem nada a oferecer. É apenas fachada, e na realidade ele rouba a paz, traz sofrimento, mata a alegria de viver. Dá lugar a tristeza, a dor, destrói tudo que há de melhor na pessoa, deixando-a à beira  do abismo espiritual. Se a pessoa não se conscientizar a tempo, ela vai se enlear de tal maneira, que dificilmente conseguirá sair ilesa dele.

O salmista rei Davi escreveu lindas mensagens através de seus Salmos. Os salmos eram poemas líricos religiosos para serem acompanhados por instrumentos musicais. Eram orações em gênero poético. Davi compôs Salmos de louvor ao nosso Deus; pedindo auxílio divino – como o Salmo 25. Davi pede a Deus para não ser envergonhado diante de seus inimigos, porque estes procediam traiçoeiramente. Davi viveu tempos difíceis preso na teia do pecado, nas aflições que o maltratavam muito.

Como todo ser humano, nasceu e cresceu em pecado, mas ele clamou a Deus de todo coração. Ele sempre adorou a Deus em primeiríssimo lugar. Davi era invejado, perseguido pelos inimigos, justamente porque Deus era sempre com ele. Davi se volta a Deus e pede perdão de todos os seus pecados. Porque ele sabia, que com o perdão de Deus, ele teria todos os seus pecados apagados (Is. 1.18). As aflições e o sofrimento são filhos malditos do pecado. O pecado impera largamente nos corações humanos.

Deus na Sua infinita misericórdia preparou um plano para a salvação de toda alma imortal. Através de Sua Palavra Ele transmite a mensagem de salvação. Mas, Deus deixa todo ser humano livre para escolher o caminho que quer seguir. Se ele escolher o caminho da salvação, começará receber as bênçãos prometidas por Deus, e no porvir a vida eterna no paraíso celeste. Lá, não haverá mais choro, doença, sofrimento, morte, desilusão, tristeza, aflições, porque a luz do Senhor Deus brilhará sobre todos.

Davi busca a Deus de coração, ele quer conhecer mais os caminhos do Senhor, e quer também que o Senhor lhe ensine as Suas veredas (caminho, senda, rumo, direção, atalho). Davi quer conhecer sempre mais o nosso Deus. Por mais próximo que ele estivesse do Senhor, ele nunca chegaria ao conhecimento total do Eterno. Davi pede a Deus para guiá-lo, ensiná-lo, porque disse que Deus era a sua salvação, e que ele esperava em Deus todos os dias. Davi tinha total confiança em Deus. Davi era um homem segundo o coração de Deus (1 Sm. 13.14).

A paz que emana do perdão chega até os nossos ouvidos através da Palavra de Deus. Se quisermos viver em paz, teremos que pedir perdão a Deus de todos os nossos pecados e abandoná-los. A felicidade está em termos paz com Deus. A paz de Deus “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” Fp. 4.7. A Paz é algo tão almejado por todo ser humano, que somente ao ouvir a pronúncia da palavra ‘paz’, já sente o seu benéfico efeito sobre ele. Nada é tão valioso quanto ter paz com Deus.

A Palavra de Deus declara: “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” Pv. 28.13.

Graça e Paz!

Jesus aparece aos discípulos

Jesus aparece aos discípulos

Jesus aparece aos discípulos 4João 20.19-29.

Jesus ressuscitara de manhã, no primeiro dia da semana. Logo à tarde, os discípulos estavam reunidos, com as portas trancadas, pois eles estavam com medo dos perseguidores. Esses perseguiam duramente os adeptos de Jesus. Aí “veio Jesus, pôs-se no meio e disse-lhes: Paz seja convosco!” v. 19b.

Jesus identificou-se mostrando aos seus discípulos as mãos e o lado feridos. “Alegraram-se, portanto, os discípulos ao verem o Senhor” v. 20b.

Jesus disse-lhes novamente: “Paz seja convosco!”. “Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio” v. 21. “E havendo dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Se de alguns perdoardes os pecados, são-lhes perdoados; se lhos retiverdes, são retidos” vs. 22,23. O Senhor Jesus desejou aos discípulos: Paz. Jesus é a Paz que todos precisam e devem buscar para o seu próprio bem estar, sua tranquilidade, vida cheia de bênçãos, de prosperidade espiritual, e em decorrência dessa prosperidade também a prosperidade material. Jesus soprou para que os discípulos recebessem o Espírito Santo, porque seria Ele que iria permanecer juntamente com cada um deles, e através dos tempos com cada um dos convertidos. Jesus sopra em todos igualmente, mas depende de cada um receber ou não o Santo Espírito de Deus.

Somente o Espírito Santo pode trazer uma pessoa ao arrependimento de seus pecados, e se converter ao Senhor Jesus. O sopro que recebemos de Jesus é o momento em que recebemos o Espírito Santo dentro do nosso coração/alma/espírito. Daí a maravilha de sermos feitos filhos de Deus. “Mas, a todos quantos O (Jesus) receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no Seu nome” João 1.12.

Quando Jesus caminhava fisicamente aqui, os perseguidores podiam persegui-lo, julgá-lo, condená-lo, matá-lo. Mas frente ao Espírito Santo de Deus é impossível aos perseguidores: persegui-lo, condená-lo, matá-lo, pois tudo mudou com a nova situação. A condenação veio sem que eles tivessem percebido ou perceberam e não puderam mudá-la. A maior parte deles ainda espera a vinda do Messias, realiza os rituais do Velho Testamento, e não aceita o Senhor Jesus.

Uma pequena parte desses judeus perseguidores converteu-se ao Senhor Jesus, e passou a gozar das bênçãos prometidas por Ele (Jesus). O Evangelho de João relata muito sobre os judeus que não aceitaram Jesus como o Messias, e ainda esperam a Sua vinda. Mas muitos judeus aceitaram, creram, e salvaram suas almas imortais. O Espírito Santo de Deus continua agindo em todos os corações que O querem em suas vidas. Para isso não há acepção de pessoas. Todos são iguais perante Deus. “Deus é Amor” 1 João 4.8.

Jesus disse: “Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e verificai, porque um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho” Lc. 24.39.

Graça e Paz!