Browsed by
Mês: março 2014

Paz sobrenatural

Paz sobrenatural

 Paz“Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos./ Habite, ricamente, em vós a Palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração./ E tudo que fizerdes, seja em palavras, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por Ele graças a Deus Pai” Cl. 3.15,16, 17.

A paz que se encontra no coração humano é sobrenatural. Porque somente Deus através de Jesus Cristo pode dá-la. A paz sobrenatural é diferente da paz natural ou aquela oferecida pelas pessoas. A paz entre as pessoas parece verdadeira, mas de um momento para outro ela se rompe, se acaba, e muitas vezes se torna em ira, ódio. É uma paz limitada e com algum tempo de duração. Esta paz é enganosa e falha porque é obtida através de pessoas. O mesmo acontece entre as nações. Um dia está tudo bem, com elogios, amizades, troca de gentilezas, até o dia em que a política muda, daí acaba a paz e muitas vezes partem para a guerra. Guerras muitas vezes demoradas, com muitas perdas humanas, materiais; outras vezes guerras frias, onde há uma grande perda comercial, falta comunicação honesta, falta resultado positivo na balança de muitos países.

A paz sobrenatural é totalmente diferente. Essa paz é oferecida pelo Senhor Deus desde o início dos relatos bíblicos. Ele oferece paz gratuitamente. Deus criou o ser humano para ser feliz, ter muita paz, viver abençoado e guiado por Ele todos os dias de sua vida; criou também um lugar maravilhoso para o ser humano viver em paz junto aos demais na mansão celestial. A paz sobrenatural é ilimitada, nunca se acaba, pelo contrário, à medida que o tempo passa, ela aumenta. Essa paz oferece tudo de bom à pessoa que a busca.

Para receber essa paz sobrenatural é necessário que a pessoa se aproxime de Jesus Cristo (Ele é a Paz) e O aceite como seu único e suficiente Salvador pessoal. Em decorrência dessa decisão, o Senhor Jesus supre toda a necessidade que a pessoa tem de paz. Não há outra paz comparável a essa que o Senhor Jesus dá, e a dá em abundância. “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá o mundo” João 14.27. “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” Fl. 4.7.

“Estas cousas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tendes bom ânimo; eu venci o mundo” João 16.33. Jesus alerta a pessoa sobre a paz que Ele dá. A paz sobrenatural é uma paz espiritual que só Jesus pode dar, mas o mundo não pode tirar. Jesus disse também que no mundo a pessoa tem aflições, problemas diversos, doenças muitas vezes, mas a pessoa deve ter bom ânimo, porque Ele venceu o mundo e a pessoa também vencerá. Enquanto a pessoa está aqui fisicamente, e vivendo os problemas sociais, materiais, emocionais, ela sofre com tudo isso, mas Jesus está junto abençoando e direcionando a vida dela para que a vida seja mais leve, mais feliz.

No porvir há a mansão celestial preparada por Jesus Cristo a todos os salvos e bem aventurados (João 14.2,3). Lá é eterno e maravilhoso, nunca mais terá fim. Quando lemos a descrição da Nova Jerusalém Celestial ficamos encantados com a beleza e a Paz que lá existe.  Aqui, é temporário e limitado. Tudo se torna mais difícil, mas Jesus está no comando. “Grande paz tem os que amam a tua lei; para eles não há tropeço” Sl. 119.165.

“Os seus caminhos são caminhos deliciosas, e todas as suas veredas, paz”. Pv. 3.17.

Graça e Paz!

A seara e os trabalhadores

A seara e os trabalhadores

seara e trabalhadores“… A seara, na verdade, é grande, mas os trabalhadores são poucos” Mt. 9.37b.

Mt. 10.6 “… mas, de preferência, procurai as ovelhas perdidas da casa de Israel” – casa de Israel (todos que se converteram ao Senhor Jesus) – e que caminhavam com Ele, e um dia se desviaram do Caminho por qualquer motivo. Jesus ainda lhes dá uma nova chance.

O ser humano se converte ao Senhor Jesus, isto é, O aceita em seu coração/alma/espírito. Ele O recebe como seu Senhor e Salvador. Daí para frente ele caminha juntamente ao o seu Senhor. Sendo cuidado, orientado, amado por Ele. O Senhor é zeloso, amoroso com os Seus. Ele prepara grandes e poderosas bênçãos para os Seus seguidores. Quem tem Jesus tem tudo, mas quem não tem, não tem nada. Porque estar com Jesus é ter segurança, e a certeza da vida eterna juntamente com Ele no paraíso celeste (João 14.2,3). O Senhor mostrou aos seus discípulos Pedro, Tiago e João, um pouquinho do Seu reino no monte da transfiguração (Mt. 17.1-8). Que maravilhosa foi esta visão aos Seus discípulos. Daí meditarmos como será o Reino na sua totalidade e eternamente. ”… mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que O amam” 1 Co. 2.9.

Todos os Seus discípulos (seguidores) sabem a respeito da maravilha que é o Reino Celestial. Cabe a cada um deles transmitir esse conhecimento às pessoas que ainda não conhecem. Porque toda pessoa que recebe um lindo presente, gosta de alardear a todos que a cercam a respeito dele. Os discípulos devem fazer o mesmo, levar a Palavra maravilhosa do Senhor Jesus, e todos os Seus feitos registrados, a todos que ainda não conhecem. Jesus continua realizando os grandes milagres atualmente como fizera no passado quando andou fisicamente aqui. Todos os dias, todas as horas sabemos que há pessoas se convertendo dos seus maus caminhos, e se arrependendo dos seus pecados, sendo salvos pela graça e de graça pelo Senhor Jesus Cristo.

A seara é grande, o mundo é grande, e existe muito trabalho a ser feito, muita gente para ouvir a Palavra de Deus, e receber as bênçãos preparadas por Ele. Os trabalhadores são poucos, porque por mais discípulos que haja, não é suficiente para levar a Palavra a todas as pessoas.  O campo é muito grande, e conta com uma série de empecilhos para chegar até uma pessoa, e esta ouvir e aceitar com boa paz as boas novas do Evangelho. Há uma série de dificuldades no caminho dos discípulos, como: pessoas contrárias a religião, os que se consideram ateus, as revoltadas com o mundo de maneira geral, daí a grande dificuldade.

Os trabalhadores realmente são poucos, porque mesmo entre os salvos, poucos saem para levar a Palavra de Deus às pessoas que ainda não a conhecem; não se preocupando com o porvir delas. Se todos os discípulos (os salvos) tivessem essa preocupação de levar as boas novas do Evangelho, e amassem as almas como Jesus amou (ama, e amará), que zelassem pelo testemunho pessoal, tudo seria diferente. Os trabalhadores são poucos, mas todos trabalhando, teríamos uma grande frente de trabalho realizado e outro tanto realizando.

Há muitos tipos de trabalho, como: a) Oração – quem não pode sair de casa porque está doente, ou tem muita idade, e não está em condições normais para visitar, levar as boas novas, pode orar pelo trabalho da Igreja, dos irmãos que vão ao campo, dos mais variados trabalhos. A oportunidade de trabalhar é a mesma daquele irmão ou irmã que vai realizar esse trabalho, daquele que fica orando, intercedendo para que o trabalho seja frutífero, abençoado. O galardão é o mesmo para aquele que ora, e para aquele que vai. a) Trabalho onde quer que a pessoa esteja como na profissão, ou na convivência com outras pessoas, sempre há alguém que necessita ouvir as boas novas, ou de uma oração. Todos tem essa oportunidade de realizar o trabalho na seara do Senhor. Desde a criança até o mais idoso, cada qual na sua área de atuação. Para esse tipo de trabalho não há limite de idade, é oferecido a todos igualmente.

“Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus. Deus permanece nele, e ele, em Deus” 1 João 4.15.

“Nós O amamos, porque Ele nos amou primeiro” 1 João 4.19.

Graça e Paz!

Prove e veja

Prove e veja

Conhecereis...“Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais que o mel à minha boca” Salmo 119.103.

As Escrituras Sagradas nos trazem palavras doces ao nosso paladar, mais doces do que o mel em nossa boca. Porque são palavras de vida em abundância, de alimento espiritual às nossas almas, e de crescimento, na certeza de que Deus está agindo e preparando bênçãos a cada um de nós. Crescemos na confiança, na tranquilidade de que o Senhor está sempre conosco, nos mais variados momentos de nossa vida.  O Senhor disse: “Eu sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida, ninguém vem ao Pai senão por mim” João 14.6.

O plano de Deus para o ser humano é excelente. Ele quer que nós sigamos Seu plano de vida, e vida em abundância. Deus expõe todo o Seu plano na Sua Palavra, basta estudarmos, meditarmos e compreendermos o que Ele quer de nós. Seu plano é perfeito: nele há saúde, alimento, bênçãos em abundância. Deus quer que O sigamos de perto, que sejamos obedientes a Ele, e que tenhamos a Sua presença em nossas vidas continuamente. O Senhor nos ama de tal maneira que enviou Seu Filho Unigênito para salvar-nos do fogo do inferno. Quando uma pessoa aceita o Senhor Jesus em seu coração, entregando a sua vida a Ele, e confessando que a partir daí Jesus Cristo é o Senhor e Salvador de sua alma imortal, ela recebe a sua escritura definitiva de direito a morar nas mansões celestiais juntamente com o Senhor Jesus (João 14.2,3).

O salmista disse:  “Filho meu, saboreia o mel, porque é saudável , e o favo, porque é doce ao teu paladar”/ “Então sabe que assim é a sabedoria para a tua alma; se a achares, haverá bom futuro, e não será frustrada a tua esperança”Pv. 24.13, 14;  Saborear o mel que é a Palavra de Deus, que é saudável (espiritualmente), porque é doce ao paladar, e porque há crescimento em sabedoria, espiritualidade, comunhão com o Senhor nosso Deus.

“A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma; o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do Senhor são retos e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro e ilumina os olhos. O temor do Senhor é límpido e permanece para sempre; os juízos do Senhor são verdadeiros e todos igualmente justos. São mais desejáveis do que o ouro, mais do que muito ouro depurado; são mais doces do que o mel e o destilar dos favos” Sl. 19.8,9, 10.

Prove e Veja os resultados excelentes que ficam depois da decisão por Jesus Cristo; da leitura de Sua Palavra, meditação, oração, comunhão com Ele. O resultado é indescritível. E a vida passa a ser cheia de paz, amor, amizade. Tudo de bom junto com o Senhor da Glória eterna.

“Não desampares a sabedoria, e ela te guardará; ama-a, e ela te protegerá” Pv. 4.6.

“Ele comerá manteiga e mel quando souber desprezar o mal e escolher o bem” Is. 7.15;

Graça e Paz!

Quem nos removerá a pedra?

Quem nos removerá a pedra?

Pedra - túmulo Jesus“… Quem nos removerá a pedra da entrada do túmulo?” Mc. 16.3.

“… José de Arimatéia, ilustre membro do Sinédrio, que também esperava o reino de Deus, dirigiu-se resolutamente a Pilatos e pediu o corpo de Jesus” Mc. 15.43. José levou o corpo de Jesus e depositou-o em um túmulo que tinha sido aberto numa rocha, de sua propriedade; e rolou uma pedra para a entrada do túmulo, ficando assim totalmente fechado.

As mulheres Maria Madalena e Maria, mãe de José, observaram onde o corpo de Jesus fora posto. No primeiro dia da semana, ao despontar do sol, foram ao sepulcro levando consigo aromas para embalsamar o corpo. Mas a grande preocupação delas era aquela grande pedra que impedia a entrada delas ao local. Para surpresa delas ao olharem a porta, a pedra já havia sido removida; pois era mui grande.

Entrando no túmulo ficaram atônitas, pois Jesus não estava lá, mas um jovem vestido de branco assentado ao lado direito, lá estava, e ficaram surpreendidas e atemorizadas. Ele, porém, lhes disse: “Não vos atemorizeis; buscais a Jesus, o Nazareno, que foi crucificado; Ele ressuscitou, não está mais aqui; vede o lugar onde O tinham posto” Mc. 16.6. Ele orientou-as para que fossem e contassem aos discípulos de Jesus, e a Pedro, que Jesus iria à frente para a Galiléia, e que lá eles O veriam. Mas elas fugiram do sepulcro com muito medo e temor, nada disseram a ninguém.

Jesus ressuscitou no primeiro dia da semana, e apareceu a Maria Madalena, e ela foi anunciá-lo aos discípulos, os quais estavam muito tristes e choravam. Estes quando ouviram que Jesus vivia, não acreditaram. Depois disto, Ele manifestou-se em outra forma a dois discípulos que estavam a caminho do campo, mas estes também não acreditaram. “Finalmente, apareceu Jesus aos onze, quando estavam à mesa. E censurou-lhes a incredulidade e dureza de coração, porque não deram crédito aos que O tinham visto já ressuscitado” Mc. 16.14.

Todo esse texto sobre a morte e ressurreição de Jesus, leva à preocupação com a pedra na porta do túmulo. Acontece nos dias atuais também, porque há uma enorme pedra no coração de cada pessoa. Para muita gente Jesus está morto e sepultado.  Jesus precisa ressuscitar nesses corações, o que significa deixar o túmulo vazio (coração não santificado), e o anjo declarar que Jesus ressuscitou, e que vai adiante abrindo caminho, repreendendo tudo que possa atrapalhar a vida cristã, a santificação, o crescimento espiritual, a oração, a meditação, a leitura bíblica das pessoas. Mas para isso há a pergunta – Quem nos removerá a Pedra?

A pessoa precisa querer ver a Jesus, ir até Jesus (como fizeram aquelas mulheres), para receber a notícia: Ele vive, Ele ressuscitou. Não está mais no túmulo dos corações que o querem como seu único e suficiente Salvador pessoal. Cada coração é um túmulo com o corpo de Jesus. Ele precisa ressuscitar para dar vida àquele que O quer, que O convida para fazer parte de sua vida; ou permanecer morto para aquele que faz questão de mantê-lo assim, e sempre se recordando de um Jesus morto, debilitado, indefeso, coitadinho, incapaz de toda e qualquer ação.

A notícia de que Jesus vive, e é o único Caminho, é levada a todo ser humano, mas poucos querem ver a pedra removida e Jesus ressuscitado indo à frente fazendo maravilhas na vida de quem O aceita como seu único e suficiente Salvador pessoal. Jesus ressuscitou, Ele vive, Ele salva. Ele oferece de graça a salvação das almas imortais, mas para isso há necessidade de uma decisão pessoal, única e exclusivamente própria.

Aquelas mulheres saíram atônitas do túmulo, e não contaram nada a ninguém, porque temeram a reação das pessoas. A incredulidade continua a mesma, para a pessoa que recebe as boas novas do Evangelho, a notícia de que Jesus vive, Jesus salva, e pouco se interessa. Prefere crer num Cristo morto, distante da realidade, incapaz de realizar o que quer que seja. A pessoa quer um Cristo manipulado por ela, assim ela própria cria leis de acordo com o que pensa não se preocupando seriamente no porvir, enfim, para ela, Jesus está morto. Mas o nosso Cristo está vivo e no comando de tudo e de todos. Ele voltará – Atos 1.9,10, 11.

Sal

Sal

sal da terra 1“Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens” (Mt. 5.13).

Jesus falava através de parábolas para que o povo entendesse a mensagem. Usava muito referência conhecida para ilustrar a Sua palavra e transmitir o que Ele queria ensinar. Todos conheciam muito bem o sal e a sua serventia para cozer e dar sabor aos alimentos.  Se o sal perder o seu sabor ou sua propriedade na culinária não serve mais para nada. Na vida espiritual também acontece o mesmo. O discípulo de Jesus que perder o ânimo de orar, ler a Palavra de Deus, meditar, visitar, frequentar a Igreja, ter comunhão com os irmãos, este se compara ao sal sem sabor. Porque ele perde toda ousadia, certeza da salvação em Cristo Jesus, isto é, perde o que há de melhor na Palavra de Deus, que é Jesus Cristo.

Quantos que iam muito bem à caminhada cristã, e de repente, abandonam tudo e voltam-se ao mundo incrédulo, repleto de pecados, e de tudo que desagrada a Deus. O sal que perde o seu sabor não fica apenas sem sabor, e torna-se insípido. Quem perde o sal espiritual, perde tempo na corrida cristã. Para tempo perdido não há retorno. O tempo apenas passa, quer estejamos na paz do Senhor nosso Deus, quer estejamos fora dela. O tempo é a grande herança que o Senhor Deus nos dá. Se aproveitarmos esse período para ganharmos galardões, bênçãos para a nossa vida aqui e agora, certamente estaremos cumprindo o que o Senhor Deus quer de nós. Com as bênçãos em nossas vidas, estaremos nos confraternizando com os nossos irmãos, orando com eles e por eles, enfim, participando da vida do rebanho do Senhor. Esse é o plano que o Senhor Deus tem para cada um de nós. Cada ser humano é único diante de Deus, cada um, um mundo diferente. Juntando todos formaremos o grande rebanho do Senhor e estaremos com Ele na mansão celestial. Que maravilha nos reunirmos na mansão do Senhor para a eternidade. Onde haverá só alegria, todos vivendo em paz, e felizes na casa do Pai.

Graça e Paz!

 

 

 

 

 

A fornalha de fogo ardente

A fornalha de fogo ardente

Fornalha de fogo ardenteDn. 3.1 a 30.

Nabucodonosor era um rei muito poderoso, e se julgava um deus. Resolveu fazer uma grande imagem de ouro, de sessenta côvados de alto, e seis de largo. Levantou-a no campo de Dura, na província da Babilônia. Nabucodonosor ordenou que se ajuntassem todos os sátrapas, os prefeitos, os governadores, os juízes, os tesoureiros, os magistrados, os conselheiros e todos os oficiais das províncias, para que viessem à consagração da imagem que ele havia levantado. Todos estavam presentes na consagração da imagem.

“… o arauto do rei apregoava em alta voz: Ordena-se a vós outros, ó povos, nações e homens de todas as línguas: no momento em que ouvirdes o som da trombeta, do pífaro, da harpa, da cítara, do saltério, da gaita de foles e de toda sorte de música, vos prostrareis e adorareis a imagem de ouro que o rei Nabucodonosor levantou. Qualquer que se não prostrar e não adorar será, no mesmo instante, lançado na fornalha de fogo ardente”. Vs. 4, 5, e seis. Quando estavam todos reunidos como o rei ordenara, chegaram alguns homens caldeus e acusaram os judeus: Sadraque, Mesaque e Abede-Nego de não obedecerem à ordem do rei. Também lembraram ao rei do decreto que ele havia baixado que qualquer que não se prostrasse diante da imagem seria lançado na fornalha de fogo ardente. Os mexeriqueiros ainda lembraram ao rei que eram aqueles judeus que o rei havia constituído sobre os negócios da província da Babilônia, que se recusaram a atender aquela ordem do rei.

O rei irou-se, e furioso, mandou chamar Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. E trouxeram estes homens perante o rei. Falou Nabucodonosor e lhes disse: “É verdade, ó Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que vós não servis a meus deuses, nem adorais a imagem de ouro que levantei?” v.14. O rei tentou convencê-los, mas eles se mantiveram firmes para com o seu Deus, e responderam: “Ó Nabucodonosor, quanto a isto não necessitamos de te responder. Se o nosso Deus, a quem servimos, quer livrar-nos, ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e de tuas mãos, ó rei. Se não, fica sabendo ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a imagem de ouro que levantaste” v. 18.

Nabucodonosor se encheu de fúria e, transtornado o aspecto do seu rosto, ordenou que se acendesse a fornalha sete vezes mais do que se costumava. Ordenou aos homens mais poderosos do seu exército que atassem a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego e os lançassem na fornalha de fogo ardente. Eles foram atados com os seus mantos, suas túnicas e chapéus e suas outras roupas e foram lançados na fornalha sobremaneira acesa. A fornalha estava tão quente que os homens que os lançaram morreram devido ao calor excessivo.

Para a grande surpresa do rei não aconteceu o esperado “… o rei Nabucodonosor se espantou, e se levantou depressa, e disse aos seus conselheiros: Não lançamos nós três homens atados dentro do fogo? Responderam ao rei: É verdade, ó rei”. V. 24.  Tornou o rei e disse: “Eu, porém, vejo quatro homens soltos, sem nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses” v. 25.  O rei chegou à porta da fornalha sobremaneira acesa, falou e disse: “Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, servos do Deus Altíssimo, saí e vinde! Então, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego saíram do meio do fogo” v. 26.

Todos os presentes se ajuntaram e viram “… que o fogo não teve poder algum sobre o corpo destes homens; nem foram chamuscados os cabelos de sua cabeça, nem os seus mantos se mudaram, nem cheiro de fogo passara sobre eles” v.27.

Falou Nabucodonosor e disse: “Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que enviou o seu anjo e livrou os seus servos, que confiaram n’Ele, pois não quiseram cumprir a palavra do rei, preferindo entregar o seu corpo, a servirem e adorarem a qualquer outro deus, se não ao seu Deus. Portanto, faço um decreto pelo qual todo povo, nação e língua que disser blasfêmia contra o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego seja despedaçado, e as suas casas sejam feitas em monturo; porque não há outro Deus que possa livrar como este. Então, o rei fez prosperar a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego na província da Babilônia” v. 28, 29 e 30.

Quantas vezes as pessoas estão atadas dentro da fornalha de fogo ardente da vida, e se essas pessoas clamarem a Jesus, Ele certamente estará junto, socorrendo, fazendo com que esse fogo não chamusque os cabelos, nem queime as suas vestes, nem cheiro algum de fogo fique no corpo das pessoas que entregam as suas vidas ao Senhor Jesus. Assim como aqueles três servos de Deus contaram com a presença do Anjo do Senhor (Jesus), os servos atuais também tem a mesma proteção, a mesma presença em suas vidas, basta confiar.

Graça e Paz!

Lar cristão

Lar cristão

lar cristão

“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela” Sl. 127.1.5.

Na Bíblia Sagrada encontramos o modelo perfeito do lar verdadeiramente cristão. O lar foi instituído por Deus, por isso devemos buscar  sabedoria em Sua  Palavra para dirigi-lo, estruturá-lo e alimentá-lo espiritualmente. O lar orientado pela Palavra de Deus é uma bênção. Porque o Espírito Santo  está presente no coração de cada componente dele. O salmista nos diz: “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam” Sl. 127.1.  A edificação da casa, isto é, do coração de cada pessoa do  lar,   ocorre quando se adquire o conhecimento e a submissão a Deus. A edificação é tão maravilhosa que molda a personalidade, o caráter da pessoa individualmente de acordo com a Palavra de Deus. Como Deus é perfeito, não há erro na edificação da casa (coração).

E essas bênçãos são extensivas às futuras famílias que se originarem desse lar (Êxodo 20.6). O plano de Deus desde o início dos tempos foi que  as bênçãos fossem extensivas às famílias de geração em geração. O plano de Deus era, é e será sempre perfeito. O ser humano deturpou tudo ao seu modo de ser. Mas Deus cumpre toda a sua promessa para com as pessoas, elas queiram ou não. Para Deus não há limite de tempo, não há interferência humana, Ele continua no Seu trono resolvendo todas as coisas, Ele está no comando de tudo. (Apoc. 20.11).

Os filhos devem ser recebidos com alegria e muita satisfação, porque os filhos são herança do Senhor  “Eis que os filhos são herança do Senhor” (Sl. 127.3). Sendo herança do Senhor eles devem ser amados, e tratados da melhor forma possível. Assim, crescerão numa atmosfera de amor, compreensão e tementes a Deus. Eles são “como flechas nas mãos do guerreiro” Sl. 127.4.

Os filhos sendo flechas nas suas mãos para onde você está atirando-os?  Para o Senhor, por que eles são a Sua herança? Eles estão sendo orientados com a Palavra de Deus em suas mãos? Você está ensinando o caminho que eles devem andar, para que quando forem velhos não se desviarem dele? (Pv. 22.6). Você está dando exemplo, sendo temente a Deus e procurando sabedoria em Sua Palavra? Ou você está simplesmente atirando-os na escuridão do pecado, do mundo incrédulo, não pensando nas consequências vindouras? Lembre-se que os seus filhos são flechas em suas mãos, cabe a você atirá-las corretamente e acertar o alvo ou errá-lo para sempre. Tempo não se recupera, uma vez passado, não volta mais. A educação dos filhos é uma grande construção, com alicerces bem firmes para não ruir quando a tempestade aparecer.

Ore a Deus, pedindo sabedoria para que você possa atirar certo as suas flechas, e no futuro ter cristãos autênticos que só lhe causem alegria, satisfação, que sejam cidadãos respeitáveis, confiáveis, firmes nos caminhos do Senhor nosso Deus. Santifique  o seu lar através da oração, meditação e da leitura da Palavra de Deus, do exemplo, do testemunho de uma vida totalmente voltada para o Senhor. Assim, Jesus Cristo fará nele morada “Bem aventurado é o lar, cujo Deus é o Senhor” Sl.33.12.

Graça e Paz!

Lâmpada de Deus

Lâmpada de Deus

Lâmpada de Deus“Porque fazes resplandecer a minha lâmpada; o Senhor, meu Deus, derrama luz nas minhas trevas” Sl. 18.28.

A luz de Deus atinge o mais longínquo lugar, o mais alto, o mais profundo. “Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo os céus, lá  estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também; se  tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares, ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá. Se eu digo: as trevas, com efeito, me encobrirão, e a luz ao redor de mim se fará noite, até as próprias trevas não te serão escuras: as trevas e a luz são a mesma cousa.  Pois tu formaste o meu interior, tu me teceste no seio de minha mãe. Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem; os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra.  Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda. Que preciosos para mim,  ó Deus, são os teus pensamentos!” Sl. 139.7 a 17.

Como podemos ver a luz de Deus está em tudo e em todos os lugares  “… que Deus é luz, e não há n’Ele treva nenhuma” João 1.5b. Não há como se esconder ou fugir da luz de Deus. Como disse o salmista onde quer que ele fosse o Senhor lá estaria. Não há lugar onde uma pessoa possa se esconder da luz do Senhor Deus. Conclusão, todos quantos rejeitam o chamado do Senhor, pecam em frente à  Sua Luz, portanto, são indesculpáveis. Daí, a necessidade da presença do Senhor Jesus na vida de cada ser humano. Porque Jesus é o nosso Advogado junto ao Pai  “… temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo” 1 João 2.1b. Aqueles que não aceitam a Jesus em seus corações, estão aceitando o mundo incrédulo, com todo tipo de pecado, e no final a perdição eterna.

O salmista analisa como Deus foi maravilhoso com ele. Deus o chamou desde o ventre materno, quando sua substância era ainda informe, nos primeiros dias ou meses de vida intrauterina. O salmista diz que desde essa época o Senhor já se referia a ele, e já preparava as bênçãos para o seu futuro. Ele glorificava a Deus por tudo isso em sua vida. Principalmente, porque o Senhor escreveu o seu nome e todos os seus dias no livro da vida.

Assim acontece com todo ser humano. O Senhor escreve o seu nome no livro da vida, mas todos quantos se rebelarem contra Ele serão riscados do livro  “… Riscarei do meu livro todo aquele que pecar contra mim.” Êxodo 32.33b. O ser humano não pode reclamar se Deus não está com ele, porque depende exclusivamente dele aceitar ou não a presença de Deus em sua vida através de Jesus Cristo, o Justo. Todos quantos O (Jesus) receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus  “Mas, a todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome” João 1.12.

A lâmpada do Senhor é constante sobre as nossas cabeças,  acompanhando-nos dia e noite. Iluminando o nosso caminho para não tropeçarmos em pedras, e não nos desviarmos dos santos caminhos. Deus zela pelo nosso bem-estar, saúde espiritual, tranquilidade. Ele nos guarda dos dardos inflamados do inimigo de nossas almas. Ele nos conduz seguros para a Sua mansão celestial.

“Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e luz, para os meus caminhos” Sl. 119.105.

“Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais que o mel à minha boca”Sl. 119.103.

Graça e Paz!

Barrabás

Barrabás

A cruz de CristoO nome Barrabás consta no Novo Testamento representando o ladrão, assassino, terrorista, amotinador. (João 18.40). Ele estava preso e condenado à morte. Mas por ocasião da festa da Páscoa, era costume o governador soltar um preso a escolha do povo. Pilatos consultou o povo a respeito de quem deveria ser solto. Pilatos não achou crime algum em Jesus, e não queria enviá-lo à cruz. Mas os principais sacerdotes e os escribas persuadiram o povo a pedir Barrabás, ao invés, de Jesus Cristo (Mt. 27.20). Os sacerdotes e os escribas que deveriam conhecer muito bem a Palavra de Deus, conhecer a pessoa do Senhor Jesus, que é citado em todo o Velho Testamento, por inveja queriam condená-lo a morte, e tornar nulo o Seu sacrifício na cruz.

Se os sacerdotes e os escribas soubessem bem a Palavra de Deus, e fossem espirituais, saberiam que Jesus viria e desenvolveria o Seu ministério, quisessem eles ou não. Ninguém impede a Deus de realizar os Seus planos, suas promessas, mas os sacerdotes e os escribas colocaram a inveja em primeiro lugar. Isto demonstra falta de conhecimento da Palavra de Deus. “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos” (Oséias 4.6).

De um lado estava Jesus Cristo, justo, representando tudo que era santo, que era bom, que era saudável, honesto, oferecendo de graça a salvação das almas imortais. Era o próprio Deus que habitou entre nós. Jesus oferecendo de graça a salvação às almas imortais, e as bênçãos maravilhosas que Ele tem reservado a todo aquele que n’Ele crê. Ele era (é e será) o Caminho, e a Verdade, e a Vida (João 14.6). Mas a multidão preferiu a Barrabás representante do mundo incrédulo, da morte, da perdição eterna, todo tipo de condenação, de pecado.

A grande maioria das pessoas é influenciada por quem tem a incumbência de dirigir, orientar, levar avante seus planos, muitas vezes diabólicos. Os planos diabólicos são bem mais aceitos do que os planos de paz, de amor, de salvação. Poucos querem ouvir falar do plano da salvação, das bênçãos que o Senhor tem a oferecer. Até os dias atuais Barrabás continua tendo os seus defensores,  os seus seguidores, os seus adoradores. “Solta-nos Barrabás!”. É a voz da multidão que ecoa até nossos dias.

Jesus assumiu o lugar de Barrabás na cruz do calvário, morrendo em seu lugar, e de todo pecador que necessita de salvação. O sangue de Jesus é suficiente para salvar todos que se entregarem a Ele, e segui-lo nos Seus santos e retos caminhos.

“Que farei, então, deste a quem chamais o rei dos judeus?” Jesus Cristo é o Rei dos reis. É soberano sobre tudo e sobre todos. A Ele toda honra, toda glória, todo o Reino. Ele é o Senhor dos senhores. Ele voltará como  Ele subiu aos céus  “… foi Jesus elevado às alturas, à vista deles, e uma nuvem O encobriu dos seus olhos. E, estando eles com os olhos fitos no céu, enquanto Jesus subia, eis que dois varões vestidos de branco se puseram ao lado deles e lhes disseram: Varões galileus,  por que estais olhando para as  alturas? Esse Jesus que dentre vós foi assunto ao céu virá do modo como o vistes subir” Atos 1.9-10.

O Senhor Jesus voltará para buscar os Seus escolhidos para viverem eternamente com Ele nas mansões celestiais. Ele voltará com poder e grande glória, não mais como uma pessoa humilde e pronta para conduzir, orientar, perdoar, mas como Juiz. Quem O aceitou como seu único e suficiente salvador pessoal, irá encontrar-se com Ele nos ares, e será transformado para a vida eterna, juntamente com Ele no paraíso celeste. Quem elegeu Barrabás (mundo incrédulo, perdido no pecado, corrupto, criminoso, ladrão, e sem preocupação com a vida espiritual) vai ver o Senhor Jesus voltando e chamando os Seus, não terá mais tempo de se arrepender e crer.  Todos são chamados a aceitar o Senhor Jesus, e ter uma nova vida, cheia de bênçãos, de paz, e segurança na eternidade juntamente com Ele. O paraíso celeste deve ser maravilhoso, porque assim a Palavra de Deus nos afirma!

“Então, se verá o Filho do homem vindo numa nuvem, com poder e grande glória” Luc. 21.27.

Graça e Paz!

O chamado do Senhor

O chamado do Senhor

Filho de Deus 2“Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim” Gálatas 2.20

Deus nos chama desde o ventre materno para que façamos parte de Seu povo santo.  “… O Senhor  me chamou desde o meu nascimento, desde o ventre de minha mãe fez menção do meu nome” (Is. 49.1b). Quando nós ainda não tínhamos consciência, nem entendimento, o Senhor Deus já preparava as bênçãos que iria nos oferecer através de Seu Filho Jesus. “Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda” (Sl. 139.16).

O Senhor chama cada ser humano desde o ventre materno, e prepara bênçãos para ele com antecipação. Mas o ser humano é rebelde por natureza, dificilmente ele reconhece que Deus tem bênçãos preparadas para ele. Então, ele prefere viver, e agir a seu modo. A escolha quase sempre é desastrosa, porque a pessoa está no comando de sua vida. Como ele herdou o pecado original, a tendência é aumentar e viver no mundo incrédulo, cheio de pecados. O ser humano por si não consegue chegar até Deus para receber as bênçãos prometidas por Ele. Por isso, há necessidade de buscar em Jesus a solução. Com o Senhor Jesus no comando, ele recebe as bênçãos maravilhosas para a sua vida, e a salvação de sua alma imortal, para viver a eternidade juntamente com Jesus nas mansões celestiais. (João 14.2,3,6).

Todos que são chamados pelo Eterno Deus tem o privilégio de receber muitas e poderosas bênçãos para suas vidas. O Senhor chama a todos, mas poucos são os que aceitam o chamado. A maioria das pessoas prefere viver em um mundo incrédulo, como: pecado de toda natureza, corrupção, inveja, mentira, maledicência, roubo, traição, e inúmeros outros pecados.

“Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma” Sl. 143.8.

Graça e Paz!