Os guardas mandados para prender Jesus

Os guardas mandados para prender Jesus

A murmuração dos judeus  6João 7.25-36; 45.53.

“Os fariseus, ouvindo a multidão murmurar estas cousas a respeito dele (Jesus), juntamente com os principais sacerdotes enviaram aguardas para O prenderem” v.32.

Os guardas foram enviados pelos fariseus e os principais sacerdotes para prender e trazer até eles o Senhor Jesus. Mas os guardas ouviram o que Ele dizia, e ficaram impressionados, porque ninguém falava como Ele. Suas Palavras penetravam no mais profundo dos corações. Chegaram a perguntar se as autoridades reconheciam que Ele era de fato o Cristo. Os guardas reconheciam que Jesus era o Cristo, mas os fariseus e os principais sacerdotes não. Enquanto houve discussão entre eles, Jesus ensinava no templo abertamente. Jesus não foi preso porque não havia chegado a sua hora. Jesus veio para realizar um ministério completo e profícuo  na hora certa e no lugar certo.

Muitos na multidão creram n’Ele, e diziam: “Quando vier o Cristo, fará, porventura, maiores sinais do que este homem tem feito?” v. 31. Ao ouvirem a multidão murmurar, os fariseus e os principais sacerdotes enviaram novamente os guardas para prenderem a Jesus. Jesus sabia que estavam procurando-O para prendê-lo.

Quando Jesus lhes disse: “Ainda por um pouco de tempo estou convosco e depois irei para junto daquele que me enviou. Haveis de procurar-me e não me achareis; também aonde eu estou, vós não podeis ir” vs. 33, 34. Os judeus ficaram muito indignados com o que Jesus afirmou a respeito d’Ele mesmo, que depois de ouvi-lo perguntaram a si próprios “Para onde irá este que não possamos segui-lo?”. v. 35. Queriam saber também “Que significa, de fato, o que Ele diz: Haveis de procurar-me e não me achareis; também onde eu estou, vós não podeis ir?” v. 36.

Os guardas voltaram à presença dos principais sacerdotes e fariseus, sem trazer Jesus preso, e estes lhes perguntaram: “Por que não O trouxestes?” v. 40b. Os soldados responderam que ninguém falava como Jesus. Os sacerdotes e os fariseus irritaram-se: “Será que também vós fostes enganados?” v. 47b. “Porventura, creu n’Ele alguém dentre  as autoridades ou algum dos fariseus?” v.48. “Quanto a esta plebe que nada sabe da lei, é maldita” v. 49. Assim, tanto sacerdotes como fariseus não aceitavam o Senhor Jesus, e planejavam matá-lo. E quanto à lei que ‘deveriam’ conhecer muito bem os sinais do Messias? Afinal eram os principais sacerdotes e fariseus condutores espirituais do povo. Quem poderia fazer os sinais que Jesus fazia, a não ser o Messias mesmo?

A afirmação do Senhor Jesus no versículo 33, ficou muito claro que os fariseus e os principais sacerdotes não iriam com Ele ao paraíso celeste. Porque rejeitar o Senhor Jesus é dar vitória para o inimigo das almas imortais. O inimigo das almas imortais que oferece tudo o que a pessoa gosta: orgulho, imbecilidade, mentira, covardia, falsidade, autoritarismo. Tudo isto o inimigo das almas imortais oferece sem limites, mas no final, ele requer a alma da pessoa, e não há desculpa que o faça retroceder. O Senhor Jesus  provou a eles, que Ele é o dono de tudo e de todos.  E o lugar onde Jesus está, certamente os fariseus e os sacerdotes não estão nem estarão, porque o lugar deles não é na mansão celestial do Senhor Jesus. O céu dos fariseus e dos sacerdotes é outro lugar preparado para todos os condenados do Senhor. Tanto os principais sacerdotes da época como os fariseus modernos valorizavam e valorizam tudo o que o inimigo oferece ilimitadamente. Eles se propuseram até a matar Jesus para conservar os benefícios que o inimigo das almas imortais lhes ofereceu. Então eles estão no lugar que eles próprios prepararam e estão usufruindo dele até a eternidade.

A mensagem de Jesus é muito presente em nossos dias. Quantas pessoas perseguem o Senhor Jesus? Quantas planejam matá-lo? Quantas O difamam? As pessoas que criticam ou tiram a palavra de Deus daqueles que entendem menos, mas gostam e querem aceitar o Senhor Jesus em seus corações. Aqueles que matam a pequenina semente (Palavra de Deus) que plantamos  na vida das pessoas. Matam a vontade das pessoas de buscar a Deus, de caminhar com o Senhor Jesus. Há também pessoas que difamam o Senhor Jesus. São contra todos que seguem a fiel doutrina da Palavra de Deus. Conclusão: Os perseguidores são os mesmos, a humanidade não mudou nada. Aqueles que planejavam contra a vida de Jesus, continuam planejando. Continuam matando o trabalho das pessoas que o realizam com satisfação, e que querem ver muitas pessoas felizes e salvas, seguindo o amado Mestre Jesus.

“Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vo-lo conceda” João 15.16.

Graça e Paz!

Comments are closed.