A missão do Consolador

A missão do Consolador

A missão do ConsoladorJoão 16.1-24.

“Quando Ele (Consolador) vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não creem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado” vs. 8-11.

Jesus discorria para os seus discípulos sobre tudo o que estava para acontecer, a respeito do Seu sacrifício na cruz do calvário, Sua morte e Sua ressurreição. Após estes acontecimentos Ele retornaria para junto do Pai. Disse ainda a Seus discípulos que acontecimentos vindouros iam aparecer como: serem expulsos das sinagogas, serem levados a algum tribunal para serem julgados, mesmo sendo inocentes, que seriam odiados pelo mundo, pois o mundo não conheceu e nem quer conhecer o Senhor Jesus “Isto farão porque não conhecem o Pai, nem a mim” v.3.

Jesus disse: “Quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as cousas que hão de vir” v.13. Jesus preparava o caminho para que Seus discípulos passassem pelos acontecimentos que breve iam chegar até eles. Depois de algum tempo eles se alegrariam com a vinda do Consolador (Espírito Santo de Deus). O Espírito Santo de Deus continuaria a obra que Jesus realizou fisicamente aqui. O reinado de Jesus não terá fim, é eterno. O Consolador veio alguns dias após a ascensão de Jesus ao céu, e permanece conosco até agora, e permanecerá para sempre com todos quantos O receberem.

O Espírito Santo abriu o entendimento dos discípulos e das pessoas, fazendo-as recordar do que Jesus lhes ensinara, e inculcando-lhes a necessidade de salvação de suas almas imortais. Para isso é necessário que a pessoa abra o seu coração/alma/espírito e receba o Senhor Jesus. Daí, o Espírito Santo de Deus entra na vida da pessoa, e muda totalmente o seu modo de viver, a sua visão do mundo, o amor ao próximo, a alegria de viver até então deixada de lado, porque os olhos estavam totalmente voltados para as coisas do mundo incrédulo. As pessoas continuam a viver no mundo, mas com outra visão da vida.

“Jesus disse: Um pouco, e não mais me vereis; outra vez um pouco, e ver-me-eis” v. 16. “Um pouco, e não mais me vereis…” Jesus está se referindo a sua assunção ao céu. Ele voltaria para junto do Pai. “… outra vez um pouco, e ver-me-eis” Ele se refere a sua vinda pela segunda vez. Ele virá com poder e grande glória. Jesus voltará como Juiz. “Então, se verá o Filho do homem vindo numa nuvem, com poder e grande glória” Lc. 21.27.

Aquele que se arrependeu de seus pecados, confessou-os e deixou de praticá-los, converteu-se ao Senhor Jesus, irá com Ele para as mansões celestiais. “… Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo” 1 João 2.1.  Aqueles que não fizeram assim, terão o lugar preparado por eles mesmos, ou seja, a perdição eterna. Eles não terão o Advogado junto ao Pai.

“… foi Jesus elevado às alturas, à vista deles (discípulos), e uma nuvem o encobriu dos seus olhos. E estando eles com os olhos fitos no céu, enquanto Jesus subia, eis que dois varões vestidos de branco se puseram ao lado deles e lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para as alturas? Este Jesus que dentre vós foi assunto ao céu virá do modo como o vistes subir” Atos 1.9-11.

“Ora, a mensagem que, da parte d’Ele, temos ouvido e vos anunciamos é esta: que Deus é luz, e não há n’Ele treva nenhuma” 1 João 1.5b.

Graça e Paz!

Comments are closed.